Profissionais: 5757
Prontuários: 232267

Esqueceu a senha? Cadastro da senha

Portal Saude Direta - Busca Palavra

BUSCA POR PALAVRA

POSTAGENS ANTERIORES

TAGS CLOUD

Protocolos - Algoritmos - Diretrizes - Fluxogramas

Baixar o Adobe Acrobat Reader
Para visualizar os conteúdos abaixo é necessário ter o Adobe Acrobat Reader instalado.

Advertência: Estes artigos e resumos são protegidos pela Lei de Direitos Autorais (Lei 9.610/98), sendo vedada a sua transcrição sem citação da fonte e a sua reprodução com finalidades comerciais sem autorização dos autores.

Retinopatia da Prematuridade

Zin A, Uno F, Sociedade Brasileira de Retina e Vítreo Sociedade Brasileira de Oftalmologia Pediátrica, Simões R
Conselho Brasileiro de Oftalmologia e outras. 2011
Número: 1923 / Publicado em 07/03/2012 - 19:41

A retinopatia da prematuridade (ROP) é uma doença vasoproliferativa secundária à inadequada vascularização da retina imatura dos recém-nascidos prematuros, que pode levar a cegueira ou a severas sequelas visuais. É uma das principais causas de cegueira prevenível na infância, estimando-se que 2/3 das 50.000 crianças cegas em todo o mundo vivem na América Latina.

Abrir arquivo em PDF

Recomendações para Preparo da Nutrição Parenteral

Auad GRV, Buzzini R
Sociedade Brasileira de Nutrição Parenteral e Enteral, Associação Brasileira de Nutrologia. 2011
Número: 1922 / Publicado em 07/03/2012 - 19:40

A qualidade da formulação de NP preparada está diretamente relacionada ao rigoroso controle de qualidade, realização de validações, existência de procedimentos operacionais padrão, registro das etapas do processo de manipulação e, sobretudo, gerência, vigilância e consistência por parte tanto do pessoal responsável como de todos os funcionários envolvidos de forma direta ou indireta com a manipulação de NP.

Abrir arquivo em PDF

Recomendações para Preparo da Nutrição Enteral

Kumbier M, Barreto AL, Costa C, Spolidoro JV, Buzzini R
Sociedade Brasileira de Nutrição Parenteral e Enteral, Federação Brasileira de Gastroenterologia, Associação Brasileira de Nutrologia. 2011
Número: 1921 / Publicado em 07/03/2012 - 19:37

Promover a segurança dos indivíduos que são nutridos por dieta enteral é dever de todos os profissionais da saúde envolvidos. Devem ser observados todos os aspectos relacionados à terapia de nutrição enteral (TNE), iniciando-se pela prescrição e preparo, para garantir a segurança e a efetividade no processo, tema que será abordado nessa diretriz.

Abrir arquivo em PDF

Recomendações Nutricionais para Crianças em Terapia Nutricional Enteral e Parenteral

Coppini LZ, Sampaio H, Marco D
Sociedade Brasileira de Nutrição Parenteral e Enteral, Associação Brasileira de Cirurgia Pediátrica, Sociedade Brasileira de Clínica Médica, Associação Brasileira de Nutrologia. 2011
Número: 1920 / Publicado em 07/03/2012 - 19:36

As necessidades nutricionais em pediatria variam segundo a etapa de crescimento em que os indivíduos se encontram. O fornecimento de macro e micronutrientes deve cobrir as necessidades nutricionais do paciente pediátrico. Estas necessidades influenciadas pelo gasto energético basal são atividade física, crescimento e correção para desnutrição pré-existente.

Abrir arquivo em PDF

Recomendações Nutricionais para Adultos em Terapia Nutricional Enteral e Parenteral

Coppini LZ, Sampaio H, Marco D, Martini C
Sociedade Brasileira de Nutrição Parenteral e Enteral, Sociedade Brasileira de Clínica Médica, Associação Brasileira de Nutrologia. 2011
Número: 1919 / Publicado em 07/03/2012 - 19:34

O objetivo da terapia nutricional (TN) é suprir as necessidades de macro e de micronutrientes de um indivíduo. Quando as necessidades de energia não são supridas, o organismo utiliza as suas reservas, como o tecido muscular, o que aumenta o risco da desnutrição. Por outro lado, o excesso de aporte de nutrientes pode sobrecarregar órgãos e sistemas, sendo, também, prejudicial ao organismo.

Abrir arquivo em PDF

Recém-nascido Macrossômico

Nader P, Vieira SE
Sociedade Brasileira de Pediatria. 2011
Número: 1918 / Publicado em 07/03/2012 - 19:33

O recém-nascido macrossômico (RNM) é definido como peso de nascimento superior a 4.000 g- 4.500 g, sendo esta definição variável. Quando o peso de nascimento é superior a 4.000 g a morbimortalidade já está aumentada. A forma mais correta de definir a macrossomia é por meio do peso em relação a sua idade gestacional. Feto com peso acima do percentil 95 em relação a sua idade gestacional é considerado macrossômico.

Abrir arquivo em PDF

Perda Auditiva Neurossensorial: Diagnóstico Radiológico

dos Santos AF, Felix F, Martins G de SQ, Hausen Pinna M, Bento RF, Monteiro TA, Gebrim EMS, Daniel MM, Gomes RLE, Haetinger R, Toyama C, Cevasco FKI, Mello SBM, Passos UL, Andrada NC
Sociedade Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cervico-Facial. 2011
Número: 1917 / Publicado em 07/03/2012 - 19:31

O diagnóstico radiológico apresenta um papel fundamental na avaliação de diversos problemas otorrinolaringológicos. Os exames mais utilizados são a Tomografia Computadorizada (TC), Ressonância Magnética (RM), Cintilografia e Angiografia.

Abrir arquivo em PDF

Osteoporose: Diagnóstico

Fernandes CE, Strufaldi R, Steiner ML, Pereira RMR, Domiciano DS, Simões R
Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia, Sociedade Brasileira de Reumatologia. 2011
Número: 1916 / Publicado em 07/03/2012 - 19:30

A patogênese da osteoporose inclui tanto a perda de massa óssea, quanto a alteração da microarquitetura trabecular, determinando, por conseguinte uma fragilidade óssea com o consequente aumento no risco de fraturas, mesmo aos mínimos traumas. Apesar da redução da massa óssea estar relacionada à elevação no risco de fraturas, o aumento na densidade mineral óssea em resposta ao tratamento, não demonstra correlação direta com a redução das fraturas.

Abrir arquivo em PDF

Osteoporose Induzida por Glicocorticoide: Prevenção e Tratamento

Pereira RMR, Paula AP, Zerbini C, Domiciano DS, Gonçalves H, Danowski J, Marques Neto JF, Carvalho JF, Mendonça LMC, Bezerra M, Terreri MT, Imamura M, Weingril P, Plapler PG, Radominski S, Tourinho T, Szejnfeld VL, Andrada NC
Sociedade Brasileira de Reumatologia, Associação Brasileira de Medicina Física e Reabilitação. 2011
Número: 1915 / Publicado em 07/03/2012 - 19:28

Os glicocorticoides (GC) são utilizados por praticamente todas as especialidades médicas, sendo que cerca de 0,5% da população geral do Reino Unido utiliza esses medicamentos, chegando a uma frequência de 1,75% das mulheres acima de 55 anos.

Abrir arquivo em PDF

Insulinização em Diabetes Tipo 2

Macedo G, Moura F, Soriano EA, Ribas DF, Andrada NC
Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabolismo
Número: 1914 / Publicado em 07/03/2012 - 19:26

O Diabetes Mellitus tipo 2 é uma doença crônica que requer uma contínua atenção médica, além de investimento em programas de educação em diabetes, para diminuir as complicações crônicas, melhorar a aderência ao tratamento e a qualidade de vida dos portadores desta patologia.

Abrir arquivo em PDF

Footer - v1.3
Atualizado em
04/02/2016
Saude-Direta-Facebook Saude-Direta-LinkedIN Saude-Direta-Twitter