Profissionais: 5632
Prontuários: 218668

Esqueceu a senha? Cadastro da senha

Portal Saude Direta - Busca Palavra

BUSCA POR PALAVRA

POSTAGENS ANTERIORES

TAGS CLOUD

Protocolos - Algoritmos - Diretrizes - Fluxogramas

Baixar o Adobe Acrobat Reader
Para visualizar os conteúdos abaixo é necessário ter o Adobe Acrobat Reader instalado.

Advertência: Estes artigos e resumos são protegidos pela Lei de Direitos Autorais (Lei 9.610/98), sendo vedada a sua transcrição sem citação da fonte e a sua reprodução com finalidades comerciais sem autorização dos autores.

Terapia Nutricional no Transplante de Célula Hematopoiética (TCH)

Sociedade Brasileira de Nutrição Parenteral e Enteral, Associação Brasileira de Nutrologia.
Projeto Diretrizes - Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina - 2011
Número: 1963 / Publicado em 09/03/2012 - 19:55

O TCH predispõe o paciente a complicações infecciosas e hemorrágicas. A terapêutica imunossupressora agressiva determina náuseas e vômitos repetidos nas primeiras duas semanas, a despeito do uso de drogas antieméticas. Mucosite orofaríngea, alteração do paladar e esofagite podem permanecer por até três a quatro semanas após TMO. Diarreia é uma complicação comum, que pode permanecer por várias semanas após TCH. Estas manifestações digestivas indesejáveis que acompanham estes pacientes determinam implicações negativas no aporte calórico-proteico e prejuízo na absorção de nutrientes, além do aumento das necessidades energéticas impostas pelo tratamento, diagnóstico e internação prolongada.

Abrir arquivo em PDF

Terapia Nutricional nas Dislipidemias

Sociedade Brasileira de Nutrição Parenteral e Enteral, Sociedade Brasileira de Cardiologia, Colégio Brasileiro de Cirurgiões, Sociedade Brasileira de Clínica Médica, Associação Brasileira de Nutrologia.
Projeto Diretrizes - Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina - 2011
Número: 1962 / Publicado em 09/03/2012 - 19:57

Desordens do metabolismo das lipoproteínas em conjunto com dietas ricas em gordura, obesidade e sedentarismo têm resultado em crescente incidência e prevalência de doença aterosclerótica em adultos moradores de países desenvolvidos ou em desenvolvimento, em especial a doença coronariana aterosclerótica. Há sólida evidência de que altas concentrações séricas de colesterol predispõem a doença arterial coronariana, bem como que a sua redução diminui a incidência.

Abrir arquivo em PDF

Triagem e Avaliação do Estado Nutricional

Dias MCG, van Aanholt DPJ, Catalani LA, Rey JSF, Gonzales MC, Coppini L, Franco Filho JW, Paes-Barbosa MR, Horie L, Abrahão V, Martins C
Sociedade Brasileira de Nutrição Parenteral e Enteral, Associação Brasileira de Nutrologia. 2011
Número: 1961 / Publicado em 07/03/2012 - 20:44

A avaliação nutricional é um processo sistemático, sendo o primeiro passo da assistência nutricional, tendo como objetivo obter informações adequadas, a fim de identificar problemas ligados à nutrição, sendo constituída de coleta, verificação e interpretação de dados para tomada de decisões referentes à natureza e à causa de problemas relacionados à nutrição.

Abrir arquivo em PDF

Transtorno da Ansiedade Social: Tratamento

Associação Brasileira de Psiquiatria.
Projeto Diretrizes - Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina.
Número: 1960 / Publicado em 09/03/2012 - 20:21

Apesar da alta prevalência e da morbidade significativa do transtorno de ansiedade social (TAS), apenas metade dos pacientes ao longo da vida irão procurar tratamento para este transtorno com tempo mediano de procura é de 16 anos. Além disso, as estimativas americanas apontam para uma adequação mínima de tratamento para essas condições de cerca de 40%.

Abrir arquivo em PDF

Transtorno da Ansiedade Social: Diagnóstico Diferencial

Levitan MN, Crippa JAS, Manfro G, Hetem LAB, Chagas MHN, Salum Júnior G, Isolan L, Ferrari MCF, Nardi AE, Andrada NC
Associação Brasileira de Psiquiatria. 2011
Número: 1959 / Publicado em 07/03/2012 - 20:41

O transtorno da ansiedade social (TAS) apresenta características clínicas que podem se assemelhar em diferentes aspectos a outros transtornos psiquiátricos tornando o diagnóstico diferencial muitas vezes um desafio na prática clínica. Faz-se importante destacar que uma pessoa socialmente hábil em todas as esferas da sua vida é algo raro de se encontrar.

Abrir arquivo em PDF

Terapia Nutricional: Indicadores de Qualidade

Waitzberg DL, Enck CR, Miyahira NS, Mourão JRP, Faim MMR, Oliseski M, Borges A
Sociedade Brasileira de Nutrição Parenteral e Enteral, Associação Brasileira de Nutrologia. 2011
Número: 1958 / Publicado em 07/03/2012 - 20:39

Todos os pacientes em terapia nutricional (TN) devem ser monitorizados de maneira rotineira, e esta avaliação deve garantir ao paciente o acesso ao melhor que a terapia pode lhe oferecer, tendo como resultado a recuperação clínica a custos baixos.

Abrir arquivo em PDF

Terapia Nutricional: Administração e Monitoramento

Matsuba CST, Ciosak SI, Serpa LF, Poltronieri M, Oliseski MS
Sociedade Brasileira de Nutrição Parenteral e Enteral, Associação Brasileira de Nutrologia. 2011
Número: 1957 / Publicado em 07/03/2012 - 20:37

Um programa de alimentação enteral intermitente ou contínua é determinado por múltiplos fatores: condição do paciente, tratamentos concorrentes, via de acesso, fórmulas nutricionais e potenciais para complicações.

Abrir arquivo em PDF

Terapia Nutricional para Portadores de Úlceras por Pressão

Correia MITD, Renofio J, Serpa L, Rezende R, Passos RM
Sociedade Brasileira de Nutrição Parenteral e Enteral, Associação Brasileira de Nutrologia, Sociedade Brasileira de Clínica Médica. 2011
Número: 1956 / Publicado em 07/03/2012 - 20:34

As úlceras por pressão (UP) apresentam alta prevalência e incidência em pacientes hospitalizados, tanto em centros de cuidados primários, como terciários ou em instituições especializadas para idosos ou deficientes físicos. Têm relação direta com a idade do paciente e com as características da instituição onde este se encontra.

Abrir arquivo em PDF

Terapia Nutricional para Pacientes na Senescência (Geriatria)

Celano RMG, Loss SH, Negrão RJN
Sociedade Brasileira de Nutrição Parenteral e Enteral, Colégio Brasileiro de Cirurgiões, Sociedade Brasileira de Clínica Médica, Associação Brasileira de Nutrologia. 2011
Número: 1955 / Publicado em 07/03/2012 - 20:33

O idoso é mais suscetível a alterações do estado nutricional em decorrência das mudanças compatíveis com o envelhecimento. Estado inflamatório e nutricional, predisposição genética, inatividade física e comorbidades frequentemente associadas são fatores preponderantes. De fato, as comorbidades podem ser causas do agravo nutricional ou, ainda, serem agravadas pela desnutrição.

Abrir arquivo em PDF

Terapia Nutricional para Pacientes na Fase Não-Dialítica da Doença Renal Crônica

Martins C, Cuppari L, Avesani C, Gusmão MH
Sociedade Brasileira de Nutrição Parenteral e Enteral, Associação Brasileira de Nutrologia. 2011
Número: 1954 / Publicado em 07/03/2012 - 20:31

A desnutrição é um grande problema na fase não-dialítica, e está diretamente relacionada à piora da função renal. Em geral, devido ao curso lento da doença, a terapia nutricional é realizada por meio de modificações na dieta via oral desses pacientes.

Abrir arquivo em PDF

Footer - v1.3
Atualizado em
04/02/2016
Saude-Direta-Facebook Saude-Direta-LinkedIN Saude-Direta-Twitter