Profissionais: 5632
Prontuários: 218668

Esqueceu a senha? Cadastro da senha

Portal Saude Direta - Busca Palavra

BUSCA POR PALAVRA

POSTAGENS ANTERIORES

TAGS CLOUD

Protocolos - Algoritmos - Diretrizes - Fluxogramas

Baixar o Adobe Acrobat Reader
Para visualizar os conteúdos abaixo é necessário ter o Adobe Acrobat Reader instalado.

Advertência: Estes artigos e resumos são protegidos pela Lei de Direitos Autorais (Lei 9.610/98), sendo vedada a sua transcrição sem citação da fonte e a sua reprodução com finalidades comerciais sem autorização dos autores.

Protocolo de Atendimento e Acompanhamento Nutricional Pediátrico por Níveis Assistenciais.

Cristina Toscani Leal Dornelles, Carla Silveira, Luciane Beitler Cruz, Lilia Refosco, Miriam Simon, Tatiana Maraschin.
Rev HCPA 2009;29(3):229-238
Número: 978 / Publicado em 23/06/2012 - 22:12

Descreve um protocolo de atendimento e acompanhamento nutricional através de níveis assistenciais em pediatria, para sistematizar e otimizar a assistência nutricional das crianças e adolescentes hospitalizados.

Abrir arquivo em PDF

Protocolo Clínico de Saúde da Criança.

Secretaria Municipal da Saúde.
Prefeitura Municipal de Londrina - 2006.
Número: 977 / Publicado em 23/06/2012 - 22:13

Uma criança para crescer saudável e preparada para enfrentar todas as transformações que ocorrem em seu organismo durante a infância deve receber determinados cuidados, no sentido de promover seu bem estar físico e prevenir problemas que possam interferir em seu desenvolvimento neuropsicomotor.

Abrir arquivo em PDF

Protocolo para Abordagem da Crise de Asma na Criança.

Antonio Carlos Pastorino.
Hospital Sirio Libanes - Agosto 2002.
Número: 976 / Publicado em 23/06/2012 - 22:15

Protocolo de avaliação clínica rápida e dirigida da crise de asma na infância.

Abrir arquivo em PDF

Protocolo de Atendimento à Hipertermia Maligna.

Unidade de Anestesia.
Hospital Israelita Albert Einstein - 2009.
Número: 975 / Publicado em 23/06/2012 - 22:15

Síndrome de origem fármaco-genética, autossômica dominante, manifestada quando o seu portador é submetido a um ou mais fatores desencadeantes durante uma anestesia geral. Há um hipermetabolismo da célula muscular esquelética que pode levar a sua destruição. Há grande consumo de energia, aumento de produção de CO2 e rápida elevação da temperatura, com conseqüências bioquímicas e hematológicas, que podem evoluir para choque irreversível e colapso cardiovascular.

Abrir arquivo em PDF

Protocolo de Cirurgia Pediátrica.

José Luiz Martins.
Cirurgia Pediátrica do Hospital Santa Marcelina.
Número: 974 / Publicado em 23/06/2012 - 22:19

Afecções Cirúrgicas abordadas: Fimose, Hérnia Umbilical, Hérnia Inguinal, Hérnia Inguinal Encarcerada, Hérnia Incisional, Cisto de Cordão, Hidrocele, Hidrocele Comunicante, Distopias Testiculares (Criptorquidia), Torção de Testículo, Torção da Hidátide de Morgagni, Orquite e Orqui-Epididimite, Linfadenites Persistentes, Cisto Tireoglosso, Restos, Fístulas e Cistos Branquiais, Freio Lingual ou Anquiloglossia, Freio do Lábio Superior, Hemangiomas e Malformações Vasculares, Lábio Leporino e Fissura Palatina, Constipação Intestinal, Pólipos Retais, Prolapso de Reto, Fístulas Perianais, Fissuras Perianais, Hipospádia, Epispádias com Extrofia Vesical, Infecções Urinárias de Repetição nos dois Sexos, Tumores Abdominais e de quaisquer outras regiões.

Abrir arquivo em PDF

Protocolo de Atendimento Odontológico a Pacientes Oncológicos Pediátricos – Revisão da Literatura.

Albuquerque et al.
Revista de Odontologia da UNESP. 2007; 36(3): 275-280
Número: 973 / Publicado em 23/06/2012 - 22:20

Os pacientes oncológicos pediátricos devem ser examinados pelo cirurgião-dentista tão logo tenham sua doença diagnosticada, e o tratamento odontológico deve ser iniciado preferencialmente antes do tratamento oncológico. O tratamento deve contemplar todas as especialidades odontológicas levando em consideração a condição clínica do paciente. Este trabalho tem como objetivo, por meio de revisão de literatura, discutir o protocolo de atendimento odontológico a pacientes oncológicos pediátricos. É dada ênfase às medidas preventivas e/ou curativas de adequação do meio bucal no intuito de evitar complicações decorrentes desse tipo de tratamento e ao tratamento das complicações orais decorrentes da terapia antineoplásica, bem como das complicações decorrentes da condição sistêmica desses pacientes durante e após tal tratamento.

Abrir arquivo em PDF

Dengue: Diagnóstico e Manejo Clínico - Adultos e Crianças.

Série A. Normas e Manuais Técnicos - 2007.
Secretaria de Vigilância em Saúde - Ministério da Saúde. Brasília - DF.
Número: 972 / Publicado em 23/06/2012 - 22:21

A infecção pelo vírus da dengue causa uma doença de amplo espectro clínico, incluindo desde formas inaparentes até quadros graves, podendo evoluir para o óbito. Entre estes, destaca-se a ocorrência de hepatite, insuficiência hepática, manifestações do sistema nervoso, miocardite, hemorragias graves e choque. Na dengue, a primeira manifestação é a febre, geralmente alta (39ºC a 40ºC) de início abrupto, associada à cefaléia, adinamia, mialgias, artralgias, dor retroorbitária, com presença ou não de exantema e/ou prurido. Anorexia, náuseas, vômitos e diarréia podem ser observados por 2 a 6 dias.

Abrir arquivo em PDF

Medidas para Identificação, Prevenção e Controle de Infecções Relacionadas à Assistência à Saúde por Microrganismos Multirresistentes.

Unidade de Investigação e Prevenção das Infecções e dos Eventos Adversos - Gerência Geral de Tecnologia em Serviços de Saúde.
Agência Nacional de Vigilância Sanitária - 25 de outubro de 2010.
Número: 969 / Publicado em 23/06/2012 - 22:25

Microrganismos multirresistentes são microrganismos resistentes a diferentes classes de antimicrobianos testados em exames microbiológicos. Alguns pesquisadores também definem microrganismos pan-resistentes, como aqueles com resistência comprovada in vitro a todos os antimicrobianos testados em exame microbiológico.

Abrir arquivo em PDF

Princípios para Uso Racional de Antimicrobianos.

Leila Beltrami Moreira.
Revista AMRIGS, Porto Alegre, 48 (2): 118-120, abr.-jun. 2004.
Número: 968 / Publicado em 23/06/2012 - 22:26

O uso excessivo de antimicrobianos, de forma indiscriminada, em seres humanos e animais é, o principal fator para emergência de resistência. Erros comuns são profilaxia e uso empírico inadequados, indicação de antimicrobianos para febre de causa não definida, infecções virais e abscessos. Infecções de vias aéreas superiores são a causa mais comum de abuso de antibióticos.

Abrir arquivo em PDF

Antibioticoterapia Profilática em Cirurgias Periodontais.

Flávio Roberto Guerra Seabra, Bárbara Gomes de Melo Seabra, Eduardo Gomes Seabra.
Odontologia. Clín.-Científ., Recife, 3 (1): 11 -16, jan/abr., 2004
Número: 966 / Publicado em 23/06/2012 - 22:28

Apesar de não ser objetivo deste trabalho discutir sobre a profilaxia para a endocardite infecciosa, a abordagem sobre os regimes profiláticos contra a endocardite publicados por órgãos oficiais demonstra a tendência moderna de se reduzir ao máximo a dose total de antibiótico administrada e, principalmente, o tempo de administração.

Abrir arquivo em PDF

Footer - v1.3
Atualizado em
04/02/2016
Saude-Direta-Facebook Saude-Direta-LinkedIN Saude-Direta-Twitter