Profissionais: 5759
Prontuários: 232290

Esqueceu a senha? Cadastro da senha

Portal Saude Direta - Busca Palavra

BUSCA POR PALAVRA

POSTAGENS ANTERIORES

TAGS CLOUD

Protocolos - Algoritmos - Diretrizes - Fluxogramas

Baixar o Adobe Acrobat Reader
Para visualizar os conteúdos abaixo é necessário ter o Adobe Acrobat Reader instalado.

Advertência: Estes artigos e resumos são protegidos pela Lei de Direitos Autorais (Lei 9.610/98), sendo vedada a sua transcrição sem citação da fonte e a sua reprodução com finalidades comerciais sem autorização dos autores.

Urologia Fundamental: Capítulo 16 - Carcinoma de Pelve Renal e de Ureter.

Antônio Antunes Rodrigues Júnior, Rodolfo Borges dos Reis.
Sociedade Brasileira de Urologia - SBU 2010.
Número: 1556 / Publicado em 10/03/2012 - 18:07

Tumores uroteliais de pelve renal e de ureter são raros e correspondem a aproximadamente 5% das neoplasias uroteliais, e entre 5 a 7% das renais, sendo 17 vezes menos frequentes do que tumores de bexiga. São mais comuns na sexta e sétima décadas de vida e incidem três vezes mais nos homens.

Abrir arquivo em PDF

Urologia Fundamental: Capítulo 15 - Câncer de Rim.

Ubirajara Ferreira, Emerson Luis Zani.
Sociedade Brasileira de Urologia - SBU 2010.
Número: 1555 / Publicado em 10/03/2012 - 18:06

Neoplasias malignas do rim apresentaram incidência crescente ao longo das últimas décadas, numa média de 2% ao ano. Câncer renal em adultos corresponde a 2 a 3% de todas as neoplasias malignas, com estimativa de cerca de 57 mil novos casos nos Estados Unidos e quase 13 mil óbitos pela doença em 2009. É o mais letal dos cânceres urológicos; tradicionalmente, mais de 40% dos pacientes morrem da sua doença, em contraste com 20% de mortalidade associada aos cânceres de próstata e de bexiga. Tumor renal é duas a três vezes mais frequente em homens, sendo mais prevalente dos 50 aos 70 anos de idade.

Abrir arquivo em PDF

Urologia Fundamental: Capítulo 14 - Patologias Cirúrgicas da Adrenal.

Fabiano André Simões, Lísias Nogueira Castilho.
Sociedade Brasileira de Urologia - SBU 2010.
Número: 1554 / Publicado em 10/03/2012 - 18:06

Tumores que acometem as glândulas adrenais no córtex e na medula atingem áreas de intensa atividade endócrina, podendo ter expressão metabólica expressiva. Muitas vezes, são difíceis de ser categorizados como benignos ou malignos tanto do ponto de vista clínico (por meio dos exames laboratoriais e de imagem) como no próprio exame anatomopatológico após sua remoção cirúrgica. cirúrgica.

Abrir arquivo em PDF

Urologia Fundamental: Capítulo 13 - Litotripsia Extracorpórea e Tratamento Cirúrgico da Litíase Urinária.

Antonio Corrêa Lopes Neto.
Sociedade Brasileira de Urologia - SBU 2010.
Número: 1553 / Publicado em 10/03/2012 - 18:05

O surgimento da litotripsia extracorpórea e de procedimentos endoscópicos menos invasivos mudou o panorama, antes constituído apenas por litotomias, caracterizadas por incisões cirúrgicas, piores resultados estéticos e convalescenças mais prolongadas e dolorosas.

Abrir arquivo em PDF

Urologia Fundamental: Capítulo 12 - Fisiopatologia e Tratamento Clínico da Litíase Urinária.

Valdemar Ortiz, Cláudio Ambrogini.
Sociedade Brasileira de Urologia - SBU 2010.
Número: 1552 / Publicado em 10/03/2012 - 18:05

Embora a fisiopatologia da litíase renal ainda seja repleta de questões e não exista um processo único e universal de formação que se aplique a todos os cálculos e pacientes, o modo como um mineral se acumula numa solução e se torna um cálculo clinicamente evidente parece ser semelhante.

Abrir arquivo em PDF

Urologia Fundamental: Capítulo 11 - Transplante Renal.

Roni de Carvalho Fernandes.
Sociedade Brasileira de Urologia - SBU 2010.
Número: 1551 / Publicado em 10/03/2012 - 18:04

A partir da metade desse século, com aperfeiçoamento da técnica cirúrgica, conhecimento do sistema imunológico e surgimento dos imunossupressores, ampliaram-se as chances de êxito do transplante renal, que passou a ser realizado em vários serviços do mundo.

Abrir arquivo em PDF

Urologia Fundamental: Capítulo 10 - Hipertensão Renovascular.

Antonio Marmo Lucon, Marcos Lucon.
Sociedade Brasileira de Urologia - SBU 2010.
Número: 1550 / Publicado em 10/03/2012 - 18:04

Doença renovascular pode ser definida como aquelas situações clínicas consequentes a obstruções totais ou parciais de uma ou das duas artérias renais.

Abrir arquivo em PDF

Urologia Fundamental: Capítulo 9 - Disfunções Sexuais.

Archimedes Nardozza Júnior.
Sociedade Brasileira de Urologia - SBU 2010.
Número: 1549 / Publicado em 10/03/2012 - 18:03

O processo de ereção tem por base o relaxamento das fibras musculares lisas dos corpos cavernosos, o que permite maior fluxo sanguíneo arterial aos espaços lacunares, com concomitante vasodilatação das artérias cavernosas.

Abrir arquivo em PDF

Urologia Fundamental: Capítulo 8 - Infertilidade Masculina.

Marcelo Vieira, Sidney Glina.
Sociedade Brasileira de Urologia - SBU 2010.
Número: 1548 / Publicado em 10/03/2012 - 18:03

Fator masculino tem a mesma importância do feminino, uma vez que a incidência desses fatores é igual nos casais com infertilidade conjugal. Cabe ao urologista avaliar o homem desde o início do processo para evitar retardo no diagnóstico.

Abrir arquivo em PDF

Urologia Fundamental: Capítulo 7 - Princípios e Aplicações da Medicina Nuclear em Urologia.

Carlos Alberto Buchpiguel, Marcelo Tatit Sapienza.
Sociedade Brasileira de Urologia - SBU 2010.
Número: 1547 / Publicado em 10/03/2012 - 18:02

Medicina nuclear caracteriza-se por fornecer informações fisiológicas por meio de imagens cintilográficas. O próprio princípio que permite a geração de imagens baseia-se exclusivamente nas propriedades funcionais dos diferentes órgãos que compõem o corpo humano.

Abrir arquivo em PDF

Footer - v1.3
Atualizado em
04/02/2016
Saude-Direta-Facebook Saude-Direta-LinkedIN Saude-Direta-Twitter