Profissionais: 7090
Prontuários: 489121

Portal Saúde Direta - Busca Palavra

BUSCA POR PALAVRA

POSTAGENS ANTERIORES

TAGS CLOUD

Protocolos Algoritmos Diretrizes Fluxogramas

Advertência: Estes artigos e resumos são protegidos pela Lei de Direitos Autorais (Lei 9.610/98), sendo vedada a sua transcrição sem citação da fonte e a sua reprodução com finalidades comerciais sem autorização dos autores.

Adobe Acrobat Reader
É necessário o Adobe Acrobat Reader instalado.

Síndrome de Schnitzler (SC)

Prof. Dan Lipsker (Janeiro 2007)
www.orpha.net
Número: 2854 / Publicado em 10/11/2014 - 11:48

A Síndrome de Schnitzler (SC) caracteriza-se principalmente por uma urticária crónica e uma quantidade elevada de proteínas anormais no sangue, que são anticorpos denominados de "imunoglobulinas M monoclonais". A SC manifesta-se também através de um conjunto de outros sintomas, de entre os quais, os mais frequentes são a febre (90% dos casos) e as dores articulares ou dos ossos (60% dos casos). Ainda que a patologia seja certamente sub-diagnosticada, a SC permanece uma doença rara. Após a descrição da síndrome, em 1972, aproximadamente 50 casos foram relatados em todo o mundo.

Abrir arquivo em PDF

Medidas de Precaução e Controle a serem Adotadas na Assistência a Pacientes Suspeitos de Infecção por Ebola

Agência Nacional de Vigilância Sanitária - 2014
Nota Técnica nº 02/2014 - GGTES/ANVISA
Número: 2853 / Publicado em 05/11/2014 - 10:59

Esta Nota Técnica disponibiliza orientações referentes às medidas de prevenção e controle que devem ser implementadas pelos serviços de saúde do país na assistência a casos suspeitos de infecção pelo vírus Ebola, a fim de evitar a sua transmissão dentro do serviço de saúde. A transmissão do vírus Ebola ocorre após o aparecimento dos sintomas e se dá por meio do contato com sangue, tecidos ou fluidos corporais de indivíduos infectados (incluindo cadáveres) ou do contato com superfícies e objetos contaminados.

Abrir arquivo em PDF

Clinical Management of Patients with Viral Haemorrhagic Fever: A Pocket Guide for the Front-line Health Worker (Ebola)

World Health Organization 2014
http://apps.who.int
Número: 2852 / Publicado em 04/01/2015 - 17:35

Viral haemorrhagic fever (VHF) is a general term for a severe illness, sometimes associated with bleeding, that may be caused by a number of viruses. The term is usually applied to disease caused by: 1. Arenaviridae (Lassa, Lujo, Junin, Guanarito, Sabia and Machupo); 2. Bunyaviridae (Crimean-Congo Haemorrhagic Fever - CCHF); 3. Filoviridae (Ebola and Marburg); 4. Flaviviridae (Omsk haemorrhagic fever, Kyasanur forest disease and Alkurma haemorhagic fever). This Guide is focused on specific VHFs-- Ebola, Marburg, CCHF, Lassa fever [and Lujo]-- that occur in Africa and have risk of person to person transmission. This Guide does not address the management of other viral infections, such as dengue, Rift Valley Fever and yellow fever, that also have haemorrhagic manifestations, but do not have direct person-to-person transmission.

Abrir arquivo em PDF

Consenso Brasileiro para o Tratamento do Lúpus Eritematoso Sistêmico (LES)

Sato et al.
Rev Bras Reumatol – Vol. 42 – N. o 6 – Nov/Dez, 2002
Número: 2851 / Publicado em 05/11/2014 - 10:30

O lúpus eritematoso sistêmico (LES) é uma doença inflamatória crônica, multissistêmica, de causa desconhecida e de natureza auto-imune, caracterizada pela presença de diversos auto-anticorpos. Evolui com manifestações clínicas polimórficas, com períodos de exacerbações e remissões. De etiologia não esclarecida, o desenvolvimento da doença está ligado à predisposição genética e aos fatores ambientais, como luz ultravioleta e alguns medicamentos.

Abrir arquivo em PDF

Tromboflebite Superficial: Epidemiologia, Fisiopatologia, Diagnóstico e Tratamento

Marcone Lima Sobreira, Winston Bonneti Yoshida, Sidnei Lastória
J Vasc Bras 2008, Vol. 7, Nº 2
Número: 2850 / Publicado em 05/11/2014 - 10:12

A tromboflebite superficial de membros inferiores é doença de ocorrência comum, estando associada a diversas condições clínicas e cirúrgicas. Historicamente considerada doença benigna, devido à sua localização superficial e ao fácil diagnóstico, o tratamento foi conservador durante muito tempo, na maioria dos casos. Entretanto, relatos recentes de freqüências altas de complicações tromboembólicas associadas – 22 a 37% para trombose venosa profunda e até 33% para embolia pulmonar – alertaram para a necessidade de abordagens diagnósticas e terapêuticas mais amplas, visando diagnosticar e tratar essas possíveis complicações.

Abrir arquivo em PDF

Personalidade e Consequências do Uso de Álcool entre Estudantes Universitários Veteranos

CISA - Centro de Informações sobre Saúde e Álcool
http://www.cisa.org.br
Número: 2849 / Publicado em 05/11/2014 - 10:13

Estudo avalia a relação de traços da personalidade, percepções e consumo de álcool em universitários.

Abrir arquivo em PDF

Diretrizes para a Prevenção, Diagnóstico e Manejo da Hiperhidrose Compensatória

Davi Wen Wei Kang , José Ribas Milanez de Campos, Marcelo de Paula Loureiro , Marcos Bessa Furian , Mário Gesteira Costa , Marlos de Souza Coelho , Roberto de Menezes Lyra
Sociedade Brasileira de Cirurgia Torácica (SBCT)
Número: 2846 / Publicado em 23/09/2014 - 15:32

Atualmente, o aumento de sudorese que ocorre no pós-operatório de cirurgia da simpatectomia torácica tem sido denominado de: Hiperidrose compensatória e Hiperidrose reflexa.

Abrir arquivo em PDF

Tratamento do Melasma: revisão sistemática

Denise Steiner, Camila Feola, Nediana Bialeski, Fernanda Ayres de Morais e Silva
Surgical & Cosmetic Dermatology 2009;1(2):87-94
Número: 2845 / Publicado em 09/09/2014 - 13:44

Revisão sistemática do tratamento do melasma.

Abrir arquivo em PDF

Fisiopatologia do Melasma

Miot LDB, Miot HA, Silva MG, Marques MEA
An Bras Dermatol. 2009;84(6):623-35.
Número: 2844 / Publicado em 09/09/2014 - 13:34

Melasma é uma dermatose comum que cursa com alteração da cor da pele normal, resultante da hiperatividade melanocítica focal epidérmica de clones de melanócitos hiperfuncionantes, com consequente hiperpigmentação melânica induzida, principalmente, pela radiação ultravioleta. Clinicamente, caracteriza-se por manchas acastanhadas, localizadas preferencialmente na face, embora possa acometer também região cervical, torácica anterior e membros superiores.

Abrir arquivo em PDF

Noctúria - Etiopatogenia e Terapêutica

José Garção Nunes
Serviço de Urologia – Hospital Curry Cabral – Lisboa
Número: 2843 / Publicado em 27/06/2014 - 10:48

É definida pela necessidade de acordar durante a noite para urinar. Cada micção é precedida e seguida de um período de sono. A noctúria, aplica-se a todos os que acordam para urinar não estabelecendo um número específico de vezes.

Abrir arquivo em PDF

Portal Saúde Direta - Footer
Atualizado em
17/06/2020
Saude-Direta-Facebook Saude-Direta-LinkedIN Saude-Direta-Twitter