Profissionais: 5875
Prontuários: 245118

Esqueceu a senha? Cadastro da senha

Portal Saude Direta - Busca Palavra

BUSCA POR PALAVRA

POSTAGENS ANTERIORES

TAGS CLOUD

Protocolos - Algoritmos - Diretrizes - Fluxogramas

Baixar o Adobe Acrobat Reader
Para visualizar os conteúdos abaixo é necessário ter o Adobe Acrobat Reader instalado.

Advertência: Estes artigos e resumos são protegidos pela Lei de Direitos Autorais (Lei 9.610/98), sendo vedada a sua transcrição sem citação da fonte e a sua reprodução com finalidades comerciais sem autorização dos autores.

Terapia Nutricional no Paciente com Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC)

Nunes ALB, Pasço MJ, Sousa CM, Buzzini R
Sociedade Brasileira de Nutrição Parenteral e Enteral, Associação Brasileira de Nutrologia. 2011
Número: 1943 / Publicado em 07/03/2012 - 20:12

A desnutrição é característica frequente em pacientes com DPOC, estando associada tanto com morbidade quanto mortalidade aumentadas nesses pacientes.

Abrir arquivo em PDF

Terapia Nutricional no Paciente com Alergia ao Leite de Vaca

Spolidoro JVN, Morais MB, Vieira MC, Toporovski M, Cardoso AL
Sociedade Brasileira de Nutrição Parenteral e Enteral, Sociedade Brasileira de Clínica Médica, Associação Brasileira de Nutrologia. 2011
Número: 1942 / Publicado em 07/03/2012 - 20:10

A alergia à proteína do leite de vaca é um problema comum em lactentes, usualmente com as primeiras manifestações clínicas nos primeiros seis meses de vida, com prevalência que varia de 2% a 5%. É uma doença inflamatória secundária à reação imunológica contra uma ou mais proteínas do leite de vaca, especialmente, a β-lactoglobulina, α-lactoalbumina e caseína. Acomete, principalmente, o aparelho digestório e a pele. A alergia ao leite de vaca é transitória, sendo que aproximadamente 85% das crianças desenvolvem tolerância até a idade entre 3 e 5 anos.

Abrir arquivo em PDF

Terapia Nutricional no Diabetes Mellitus

Borges VC, Correia MIT, Alvarez-Leite J
Sociedade Brasileira de Nutrição Parenteral e Enteral, Associação Brasileira de Nutrologia. 2011
Número: 1941 / Publicado em 07/03/2012 - 20:08

O diabetes mellitus (DM) é uma doença metabólica que cursa com aumento dos valores de glicemia plasmática devido a ausência, deficiência e/ou resistência à ação do hormônio sintetizado pelas células betapancreáticas, a insulina. No DM tipo 1, a hiperglicemia é resultado da deficiência na secreção de insulina, que progride para ausência absoluta deste hormônio. No DM tipo 2, a hiperglicemia ocorre tanto por resistência à ação da insulina como por deficiência na secreção deste hormônio. A insulina é um hormônio anabólico que está envolvido no metabolismo dos carboidratos, proteínas e lipídeos.

Abrir arquivo em PDF

Terapia Nutricional nas Fístulas Digestivas

Nascimento JEA, Campos AC, Borges A, Correia MITD
Sociedade Brasileira de Nutrição Parenteral e Enteral, Associação Brasileira de Cirurgia Pediátrica, Sociedade Brasileira de Clínica Médica, Associação Brasileira de Nutrologia. 2011
Número: 1940 / Publicado em 07/03/2012 - 20:07

Fístulas digestivas são comunicações anormais entre duas superfícies epiteliais, em geral, entre o tubo digestivo e a pele. Associam-se com importante taxa de mortalidade, que varia de 10% a 60%. As principais causas de morte são a desnutrição, o desequilíbrio hidroeletrolítico e a sepse.

Abrir arquivo em PDF

Terapia Nutricional nas Doenças Hepáticas Crônicas e Insuficiência Hepática

Jesus RP, Nunes ALB, Magalhães LP, Buzzini R
Sociedade Brasileira de Nutrição Parenteral e Enteral, Colégio Brasileiro de Cirurgiões, Associação Brasileira de Nutrologia. 2011
Número: 1939 / Publicado em 07/03/2012 - 20:05

As principais doenças hepáticas crônicas (DHC) são: hepatite viral, alcoólica ou autoimune, doença hepática gordurosa nãoalcoólica (DHGNA), cirrose hepática e carcinoma hepatocelular. A cirrose, doença difusa do fígado, é considerada estágio próprio da evolução de diversas doenças hepáticas crônicas e pode evoluir para insuficiência hepática e carcinoma hepatocelular. A cirrose resulta da inter-relação entre diversos fatores etiológicos, como necrose, regeneração celular e fibrose.

Abrir arquivo em PDF

Terapia Nutricional na Síndrome do Intestino Curto - Insuficiência/Falência Intestinal

Rocha EEM, Correia MITD, Borges VC, Dias MCG, Rocha RO, Borges A, Campos ACL, Buzzini R
Sociedade Brasileira de Nutrição Parenteral e Enteral, Associação Brasileira de Nutrologia. 2011
Número: 1938 / Publicado em 07/03/2012 - 20:03

A síndrome do intestino curto (SIC) é um estado clínico de má-absorção intestinal secundário à perda da superfície mucosa funcionante, em consequência de ressecção cirúrgica (ex. doença de Crohn), derivações do trânsito intestinal, como no caso de fístulas e cirurgia bariátrica, ou por perda das células mucosas (enterócitos) devido a infecção, isquemia, quimio e/ou radioterapia.

Abrir arquivo em PDF

Terapia Nutricional na Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (HIV/AIDS)

Coppini LZC, Jesus RP
Sociedade Brasileira de Nutrição Parenteral e Enteral, Associação Brasileira de Nutrologia. 2011
Número: 1937 / Publicado em 07/03/2012 - 20:02

O estado nutricional do paciente com HIV/AIDS adquiriu importância na prática clínica devido à desnutrição e aos efeitos colaterais da terapia antirretroviral.

Abrir arquivo em PDF

Terapia Nutricional na Prevenção e no Tratamento da Enterocolite Necrosante

Delgado A, Oba J
Sociedade Brasileira de Nutrição Parenteral e Enteral, Associação Brasileira de Nutrologia. 2011
Número: 1936 / Publicado em 07/03/2012 - 20:01

Os critérios diagnósticos para definir enterocolite necrosante (EN) são variáveis na literatura médica, mas em geral se baseiam em: pelo menos um sinal clínico (presença de resíduo gástrico, distensão abdominal, sangue nas fezes) associado a sinal gasoso radiológico na veia porta ou no parênquima hepático, pneumatose intestinal e/ou ar livre na cavidade, visualizado à ultrassonografia ou à radiografia simples de abdome. Assim sendo, o diagnóstico de EN é baseado em sinais clínicos, sintomas e no próprio curso e desenvolvimento da doença.

Abrir arquivo em PDF

Terapia Nutricional na Pancreatite Crônica

Aguilar-Nascimento JE, Dock DB
Sociedade Brasileira de Nutrição Parenteral e Enteral, Associação Brasileira de Nutrologia. 2011
Número: 1935 / Publicado em 07/03/2012 - 19:59

A pancreatite é uma doença inflamatória não-bacteriana comum, causada por ativação, liberação intersticial e autodigestão do pâncreas pelas suas próprias enzimas. O alcoolismo crônico é responsável pela maioria dos casos de pancreatite crônica (PC), entretanto, alguns casos são devidos a cálculos biliares por hipercalcemia, hiperlipidemia ou predisposição herdada. A maioria dos portadores de pancreatite crônica possui algum grau de desnutrição e estes devem ser acompanhados de perto.

Abrir arquivo em PDF

Terapia Nutricional na Pancreatite Aguda

Nascimento JEA
Sociedade Brasileira de Nutrição Parenteral e Enteral, Sociedade Brasileira de Clínica Médica, Associação Brasileira de Nutrologia. 2011
Número: 1934 / Publicado em 07/03/2012 - 19:58

Apesar de recentes avanços nos cuidados nutricionais e metabólicos, ainda existem controvérsias sobre a melhor abordagem nos doentes com pancreatite aguda. A avaliação da gravidade da pancreatite aguda, assim como a avaliação do estado nutricional, é importante na escolha da terapia nutricional.

Abrir arquivo em PDF

Footer - v1.3
Atualizado em
04/02/2016
Saude-Direta-Facebook Saude-Direta-LinkedIN Saude-Direta-Twitter