Profissionais: 5632
Prontuários: 218668

Esqueceu a senha? Cadastro da senha

Portal Saude Direta - Busca Palavra

BUSCA POR PALAVRA

POSTAGENS ANTERIORES

TAGS CLOUD

Protocolos - Algoritmos - Diretrizes - Fluxogramas

Baixar o Adobe Acrobat Reader
Para visualizar os conteúdos abaixo é necessário ter o Adobe Acrobat Reader instalado.

Advertência: Estes artigos e resumos são protegidos pela Lei de Direitos Autorais (Lei 9.610/98), sendo vedada a sua transcrição sem citação da fonte e a sua reprodução com finalidades comerciais sem autorização dos autores.

Perfil de Prescrições e Uso de Antibióticos em Infecções Comunitárias.

Del Fiol, Fernando de Sá; Lopes, Luciane Cruz; Toledo, Maria Inês de; Barberato-Filho, Silvio
Rev Soc Bras Med Trop;43(1): 68-72, jan.-fev. 2010
Número: 618 / Publicado em 18/06/2012 - 19:25

O objetivo deste estudo foi conhecer os padrões de utilização de antibióticos no município de Sorocaba, avaliando o diagnóstico referido, a terapêutica empregada e sua utilização. A inexistência e não utilização de protocolos terapêuticos têm resultado em grande diferença nos padrões de prescrição, levando a insucesso terapêutico e recidiva de infecções - situações frequentemente encontradas neste estudo. Concluindo, muitos profissionais de saúde ainda não se deram conta do grande problema que é, para a saúde pública, o mau uso de antibióticos e a resistência bacteriana.

Abrir arquivo em PDF

Medicamentos Potencialmente Inapropriados Prescritos a Idosos Ambulatoriais.

Christine Grutzmann Faustino
Tese de Mestrado - Faculdade de Medicina da USP - 2010
Número: 617 / Publicado em 18/06/2012 - 19:27

No Brasil, poucos estudos investigaram a prevalência de medicamentos potencialmente inapropriados (MPIs) em idosos ambulatoriais. Este estudo visa determinar a prevalência de MPIs prescritos para estes pacientes, identificando os mais comumente envolvidos e verificando se a idade, o sexo e o número de medicamentos estão relacionados à prescrição de tais medicamentos.

Abrir arquivo em PDF

Erro Médico em Pacientes Hospitalizados.

Manoel de Carvalho e Alan A. Vieira.
J Pediatr (Rio J) 2002; 78 (4): 261-8
Número: 616 / Publicado em 18/06/2012 - 11:34

Mesmo assumindo que a notificação do erro médico não ocorre em um grande número de eventos, é importante notar que sua incidência é muito maior do que julgamos. Só nos EUA, cerca de um milhão de pacientes por ano são vítimas de erros médicos e eventos adversos com drogas. Segundo recente metanálise, esta é, hoje, a quarta causa de morte nos EUA. Em unidades de terapia intensiva neonatal e pediátrica, nas quais é grande a complexidade e a freqüência de procedimentos, a ocorrência de erros é maior. Estima-se que quinze por cento das internações em unidades de terapia intensiva neonatal sejam acompanhadas de erro médico. A maioria destes erros acontece durante o período noturno, e envolve administração incorreta de droga (35%) e erro na interpretação da prescrição (26%). Fatores ambientais (barulho, calor), psicológicos (tédio, ansiedade, estresse) e fisiológicos (fadiga, sono) contribuem para a ocorrência de erros. Recente estudo revela que após um plantão de 24 horas, sem dormir, o desempenho psicomotor de um profissional de saúde é semelhante ao de um indivíduo legalmente bêbado (nível sérico alcoólico maior ou igual a 0,08%)!

Abrir arquivo em PDF

Erros na Medicação e Conseqüências para Profissionais de Enfermagem e Clientes: um Estudo Exploratório.

Viviane Tosta de Carvalho, Silvia Helena De Bortoli Cassiani.
Rev Latino-am Enfermagem 2002 julho-agosto; 10(4):523-9
Número: 615 / Publicado em 16/06/2012 - 14:57

Conclui-se a necessidade de se notificarem os erros na medicação para que se verifiquem suas causas, índices e conseqüências por parte das instituições hospitalares, uma vez que as taxas de erros na medicação representam matéria - prima para inúmeras investigações e constituem-se em indicadores para a melhoria do sistema hospitalar e da qualidade de assistência.

Abrir arquivo em PDF

Erros de Medicação: Tipos, Fatores Causais e Providências Tomadas em Quatro Hospitais Brasileiros.

Adriana Inocenti Miasso, Cris Renata Grou, Silvia Helena De Bortoli Cassiani, Ana Elisa Bauer de Camargo Silva, Flávio Trevisan Fakih.
Rev Esc Enferm USP 2006; 40(4):524-32.
Número: 614 / Publicado em 16/06/2012 - 15:01

Este estudo analisou, em quatro hospitais brasileiros, tipos, causas, providências administrativas tomadas e sugestões, em relação aos erros na medicação, na perspectiva dos profissionais envolvidos no sistema de medicação.

Abrir arquivo em PDF

Hipérico - Erva de São João.

César Augusto Braum e Maria Isabel Fischer
Boletim Informativo do CIM-RS N° 1 – Março de 2006 – Plantas: Hipérico
Número: 613 / Publicado em 16/06/2012 - 15:07

As evidências atuais em relação aos extratos de hipérico são inconsistentes e controversas. A planta pode apresentar menor eficácia no tratamento da depressão do que previamente sugerido.

Abrir arquivo em PDF

Epidemiologia da Solicitação de Exame Complementar em Consultas Médicas.

Marcelo F. Capilheira e Iná S. Santos.
Rev Saúde Pública 2006;40(2):289-97
Número: 612 / Publicado em 16/06/2012 - 15:09

O exame complementar tem por finalidade dar consistência às informações obtidas pela anamnese e exame físico na consulta médica. A solicitação de exame é influenciada por fatores ligados a: organização do sistema de saúde, características do médico e do paciente,além das diferentes interações entre esses grupos.

Abrir arquivo em PDF

Protocolo de Via Aérea Difícil.

Unidades de Terapia Intensiva da Disciplina de Anestesiologia, Dor e Medicina Intensiva
UNIFESP / EPM / HSP
Número: 611 / Publicado em 16/06/2012 - 15:11

Via aérea difícil é a situação clínica na qual anestesiologista treinado tenha dificuldade de intubar um paciente, manter sua ventilação manual sob máscara ou ambos.

Abrir arquivo em PDF

Estudo de Utilização de Medicamentos na Clínica Médica.

Gustavo José da Silva Pereira, Ivana Maria Fechine Sette, Lindomar de Farias Belém, Edílson Dantas da Silva Júnior, Arsênio Rodrigues Oliveira e Jahamunna Abrantes Andrade Barbosa.
Rev. Bras. Farm., 89(3), 2008
Número: 610 / Publicado em 18/06/2012 - 11:37

Quanto mais fármacos o paciente estiver utilizando, maiores serão as chances de ocorrer interação entre eles, apesar de que alguns estudos demonstram haver baixas incidências de interações medicamentosas e Reações Adversas a Medicamentos (RAMs), podendo algumas destas trazer conseqüências graves. Este trabalho analisou pacientes atendidos, entre outubro de 2007 a janeiro de 2008, em busca de possíveis RAMs que possam ter ocorrido nos 61 pacientes internados na clínica médica de um Hospital Público, partindo do pressuposto de que possa ter havido a utilização de um grande número de medicamentos simultaneamente. Em função dessa premissa, as prescrições foram avaliadas quanto à ocorrência de possíveis interações medicamentosas, bem como, suas freqüências. O estudo dos determinantes individuais de utilização de medicamentos indica os grupos mais sujeitos ao risco de RAMs, o que pode embasar estratégias específicas para diminuir a utilização nesses grupos, tais como, políticas mais restritivas para prescrições.

Abrir arquivo em PDF

Ilegibilidade e Ausência de Informação das Prescrições Médicas: Fatores de Risco Relacionados a Erros de Medicação.

Geysa Aguiar, Lourival Alves da Silva Júnior, Marco Antônio Magalhães Ferreira
RBPS 2006; 19 (2) : 84-91
Número: 609 / Publicado em 16/06/2012 - 15:17

Os erros na medicação podem acarretar sérias conseqüências aos pacientes, profissionais e instituições de saúde. Estes resultam de múltiplas causas, dentre elas a ilegibilidade e falta de informações das prescrições. Realizou-se um estudo de prescrições médicas com o objetivo de analisar a freqüência de riscos relacionados a erros de medicação. O estudo teve caráter quantitativo, do tipo descritivo e transversal, realizado nos meses de maio a julho de 2004.

Abrir arquivo em PDF

Footer - v1.3
Atualizado em
04/02/2016
Saude-Direta-Facebook Saude-Direta-LinkedIN Saude-Direta-Twitter