Profissionais: 5755
Prontuários: 232233

Esqueceu a senha? Cadastro da senha

Portal Saude Direta - Busca Palavra

BUSCA POR PALAVRA

POSTAGENS ANTERIORES

TAGS CLOUD

Protocolos - Algoritmos - Diretrizes - Fluxogramas

Baixar o Adobe Acrobat Reader
Para visualizar os conteúdos abaixo é necessário ter o Adobe Acrobat Reader instalado.

Advertência: Estes artigos e resumos são protegidos pela Lei de Direitos Autorais (Lei 9.610/98), sendo vedada a sua transcrição sem citação da fonte e a sua reprodução com finalidades comerciais sem autorização dos autores.

Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas - Insuficiência Pancreática Exócrina

Secretaria de Atenção à Saúde
Ministério da Saúde
Número: 189 / Publicado em 16/06/2012 - 20:50

A digestão e absorção dos alimentos ingeridos são processos complexos que envolvem pelo menos 3 fases. A primeira é a fase luminal, em que os alimentos são digeridos na luz do tubo digestivo por enzimas presentes em secreções ou na borda em escova do epitélio intestinal. A segunda fase é a absortiva, em que há fluxo dos nutrientes da luz do tubo digestivo para o meio interno. Na terceira fase os nutrientes alcançam a circulação sanguínea. O pâncreas exerce papel fundamental na fase luminal da digestão, pois secreta para a luz intestinal diversas enzimas fundamentais para essa fase. Existe grande reserva funcional, sendo que a má absorção de gordura e proteínas não é aparente até que haja uma diminuição para menos de 10% na função pancreática exócrina. A principal causa de deficiência pancreática exócrina não genética é a pancreatite crônica. Outras causas menos frequentes são os tumores pancreáticos, quando causam obstrução do ducto pancreático, e as pancreatectomias totais ou subtotais.

Abrir arquivo em PDF

Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas - Hipotireoidismo Congênito

Secretaria de Atenção à Saúde
Ministério da Saúde
Número: 188 / Publicado em 16/06/2012 - 20:51

O hipotireoidismo congênito tem incidência variável, ocorrendo de 1:1.800 a 1:10.000 nascidos-vivos, na Grécia e na França, respectivamente. No Brasil, a incidência relatada de aproximadamente 1 caso para cada 2.500 nascidos-vivos. Nas regiões não deficientes em iodo (como no Brasil), as principais causas de hipotireoidismo congênito são: ectopia tireoideana (em torno de 60%), agenesia tireoideana (em torno de 15%), e deficiência na síntese hormonal (em torno de 15%). Os casos de hipotireoidismo congênito central são mais raros, ocorrendo em cerca de 1:25.000 - 1:100.000 nascidos vivos, sendo diagnosticados com base na aferição do T4 em conjunto com TSH.

Abrir arquivo em PDF

Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas - Doença Falciforme

Secretaria de Atenção à Saúde
Ministério da Saúde
Número: 187 / Publicado em 16/06/2012 - 20:52

A doença falciforme (DF) é uma condição genética autossômica recessiva decorrente de defeitos na estrutura da hemoglobina (Hb) associada ou não a defeitos na sua síntese. As hemoglobinopatias decorrentes dos defeitos na estrutura da Hb são mais frequentes em povos africanos, enquanto as talassemias decorrentes de defeitos na síntese da Hb, em povos do Mediterrâneo, da Ásia e da China. Apesar dessa predileção étnica, a DF está presente em todos os continentes como consequência das migrações populacionais. No Brasil, que reconhecidamente apresenta uma das populações de maior heterogeneidade genética do mundo, a maior prevalência da doença ocorre nas Regiões Norte e Nordeste.

Abrir arquivo em PDF

Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas - Miastenia Gravis

Secretaria de Atenção à Saúde
Ministério da Saúde
Número: 186 / Publicado em 16/06/2012 - 19:19

A Miastenia Gravis (MG) é uma doença autoimune da porção pós-sináptica da junção neuromuscular caracterizada por fraqueza flutuante que melhora com o repouso e piora com o exercício, infecções, menstruação, ansiedade, estresse emocional e gravidez. Tal fraqueza pode ser limitada a grupos musculares específicos (i.e., músculos oculares, faciais, bulbares) ou ser generalizada. A crise miastênica é definida por insuficiência respiratória associada a fraqueza muscular grave.

Abrir arquivo em PDF

Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas - Hiperplasia Adrenal Congênita

Secretaria de Atenção à Saúde
Ministério da Saúde
Número: 185 / Publicado em 16/06/2012 - 19:21

A denominação hiperplasia adrenal congênita (HAC) engloba um conjunto de síndromes transmitidas de forma autossômica recessiva, que se caracterizam por diferentes deficiências enzimáticas na síntese dos esteróides adrenais. A incidência de HAC é variável entre diferentes populações, com incidências da forma perdedora de sal variando de 1:280 a 1:42.000 nascidos-vivos.

Abrir arquivo em PDF

Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas - Insuficiência Adrenal Primária (Doença de Addison)

Secretaria de Atenção à Saúde
Ministério da Saúde
Número: 184 / Publicado em 16/06/2012 - 19:22

A insuficiência adrenal primária (Doença de Addison) corresponde à falência do córtex da glândula adrenal em produzir os hormônios cortisol e aldosterona. É uma condição pouco freqüente, com prevalência entre 0,45-11,7 casos por 100.000 habitantes.

Abrir arquivo em PDF

Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas - Hipoparatireoidismo

Secretaria de Atenção à Saúde
Ministério da Saúde
Número: 183 / Publicado em 16/06/2012 - 19:23

Em seres humanos, o metabolismo do cálcio é controlado pelas ações diretas e indiretas do hormônio da paratireóide (PTH) e da vitamina D sobre rins, trato digestivo e ossos. O PTH, uma molécula de 84 aminoácidos secretada pelas glândulas paratireóides, é o principal hormônio no controle dos níveis circulantes de cálcio. O Hipoparatireoidismo, caracterizado pela diminuição da liberação de PTH pelas paratireóides, manifesta-se através dos sinais e sintomas da hipocalcemia.

Abrir arquivo em PDF

Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas - Ictioses Hereditárias

Secretaria de Atenção à Saúde
Ministério da Saúde
Número: 182 / Publicado em 16/06/2012 - 19:24

As ictioses são um grupo heterogêneo de doenças hereditárias ou adquiridas que tem como característica comum a diferenciação (cornificação) anormal da epiderme. O processo de cornificação é complexo e não completamente conhecido. Defeitos em diferentes passos e aspectos desse processo promovem um resultado similar: camada córnea anormal, descamação, eritema e hiperceratose.

Abrir arquivo em PDF

Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas - Hiperprolactinemia

Secretaria de Atenção à Saúde
Ministério da Saúde
Número: 181 / Publicado em 16/06/2012 - 19:25

A hiperprolactinemia é uma alteração frequente na prática médica, sendo responsável por amenorréia secundária em 20% a 25% dos casos. As causas desta anormalidade se enquadram em três principais categorias: fisiológicas, farmacológicas e patológicas.

Abrir arquivo em PDF

Abordagem Diagnóstica e Terapêutica do Acidente Vascular Cerebral Isquêmico Agudo (AVC).

Hospital Sírio-Libanes.
Diretrizes Assistenciais - Novembro – 2008.
Número: 180 / Publicado em 16/06/2012 - 19:28

O objetivo deste documento é colaborar para o suporte técnico-científico do projeto de capacitação do Hospital Sírio Libanês de São Paulo.

Abrir arquivo em PDF

Footer - v1.3
Atualizado em
04/02/2016
Saude-Direta-Facebook Saude-Direta-LinkedIN Saude-Direta-Twitter