Profissionais: 5757
Prontuários: 232267

Esqueceu a senha? Cadastro da senha

Portal Saude Direta - Busca Palavra

BUSCA POR PALAVRA

POSTAGENS ANTERIORES

TAGS CLOUD

Protocolos - Algoritmos - Diretrizes - Fluxogramas

Baixar o Adobe Acrobat Reader
Para visualizar os conteúdos abaixo é necessário ter o Adobe Acrobat Reader instalado.

Advertência: Estes artigos e resumos são protegidos pela Lei de Direitos Autorais (Lei 9.610/98), sendo vedada a sua transcrição sem citação da fonte e a sua reprodução com finalidades comerciais sem autorização dos autores.

Traumatismo Craniencefálico Moderado.

Sociedade Brasileira de Neurocirurgia.
Projeto Diretrizes - Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina.
Número: 474 / Publicado em 09/03/2012 - 19:09

São definidos como pacientes com TCE moderado aqueles que se apresentam com 9 a 13 pontos na ECGla seis horas após o TCE. Inicialmente foram considerados pacientes com TCE moderado aqueles que se apresentavam com 9 a 12 pontos na ECGl seis horas após o TCE.Stein e Ross, referem que no TCE moderado, 40,3% apresentaram TC anormal e 8,1% necessitaram de cirurgia. Similar incidência foi observada em pacientes com 13 pontos na ECGla.

Abrir arquivo em PDF

Tromboembolismo Venoso: Profilaxia em Pacientes Clínicos Parte I.

Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular e outras.
Projeto Diretrizes - Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina.
Número: 473 / Publicado em 09/03/2012 - 19:10

Tromboembolismo venoso (TEV) representa um espectro de doenças que inclui trombose venosa profunda, trombose associada a cateteres venosos centrais e, a complicação mais grave, tromboembolismo pulmonar (TEP). Tanto episódios assintomáticos, quanto aqueles clinicamente aparentes em pacientes hospitalizados, estão associados a fatalidade. Na primeira parte, encontram-se as informações sobre: mobilidade reduzida, idade > 55 anos, história prévia de TEV, varizes, insuficiência venosa crônica, insuficiência arterial periférica, obesidade, trombofilias hereditárias e adquiridas.

Abrir arquivo em PDF

Tromboembolismo Venoso: Profilaxia em Pacientes Clínicos Parte II.

Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular e outras.
Projeto Diretrizes - Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina.
Número: 472 / Publicado em 09/03/2012 - 19:11

Tromboembolismo venoso (TEV) representa um espectro de doenças que inclui trombose venosa profunda, trombose associada a cateteres venosos centrais e, a complicação mais grave, tromboembolismo pulmonar (TEP). Tanto episódios assintomáticos, quanto aqueles clinicamente aparentes em pacientes hospitalizados, estão associados a fatalidade. Na segunda parte: gravidez, pós-parto, reposição hormonal, contraceptivos, insuficiência cardíaca congestiva classes III-IV, infarto agudo do miocárdio, acidente vascular cerebral isquêmico, acidente vascular cerebral hemorrágico, paresia e paralisia de membros inferiores.

Abrir arquivo em PDF

Tromboembolismo Venoso: Profilaxia em Pacientes Clínicos Parte III.

Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular e outras.
Projeto Diretrizes - Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina.
Número: 471 / Publicado em 09/03/2012 - 19:12

Tromboembolismo venoso (TEV) representa um espectro de doenças que inclui trombose venosa profunda, trombose associada a cateteres venosos centrais e, a complicação mais grave, tromboembolismo pulmonar (TEP). Tanto episódios assintomáticos, quanto aqueles clinicamente aparentes em pacientes hospitalizados, estão associados à fatalidade. Na terceira parte: doença reumatológica ativa, doença inflamatória intestinal, doenças respiratórias graves, infecções com exceção das torácicas, síndrome nefrótica, câncer, quimioterapia, hormonioterapia, internação em unidade de terapia intensiva, uso de cateteres venosos centrais, uso de cateteres para hemodiálise, uso de Swan-Ganz.

Abrir arquivo em PDF

Tumores Adrenocorticais.

Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, Colégio Brasileiro de Radiologia.
Projeto Diretrizes - Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina.
Número: 470 / Publicado em 09/03/2012 - 19:12

O córtex da glândula supra-renal humana pode ser afetado por processos neoplásicos benignos ou malignos. Estes tumores podem se desenvolver em ambos os sexos e em qualquer faixa etária. A grande parte dos tumores adrenocorticais, no entanto, é pequena e de comportamento benigno. Em contraposição, os tumores adrenocorticais malignos ou carcinomas adrenocorticais são raros, agressivos e com prognóstico desfavorável.

Abrir arquivo em PDF

Tumores Congênitos do Pescoço.

Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço, Colégio Brasileiro de Radiologia.
Projeto Diretrizes - Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina.
Número: 469 / Publicado em 09/03/2012 - 15:51

A complexidade anatômica do pescoço propicia o surgimento de diversos tipos de anomalias congênitas, que devem ser diferenciadas de doenças inflamatórias e de neoplasias. Como em outras regiões, as anomalias congênitas cervicais são mais comumente diagnosticadas nos primeiros anos de vida. Apesar disso, muitos casos se manifestam mais tardiamente, inclusive na terceira idade.

Abrir arquivo em PDF

Ureterocele.

Sociedade Brasileira de Urologia.
Projeto Diretrizes - Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina.
Número: 468 / Publicado em 09/03/2012 - 15:52

A ureterocele é definida como uma dilatação cística do ureter submucoso intravesical, cuja etiologia ainda não está bem definida. É muito importante diagnosticá-la precocemente, pois pode acarretar infecção urinária de repetição e septicemia. Embora o tratamento da ureterocele seja eminentemente cirúrgico, o tipo de procedimento a ser empregado é motivo de muita controvérsia.

Abrir arquivo em PDF

Ureteroscopia.

Sociedade Brasileira de Urologia.
Projeto Diretrizes - Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina.
Número: 467 / Publicado em 09/03/2012 - 15:53

A ureteroscopia e a ureterolitotripsia transureteroscópica têm sido cada vez mais utilizadas, graças ao aperfeiçoamento dos ureterorrenoscópios, a partir do início da década de oitenta. De todas as ureteroscopias realizadas, 94% se dirigem ao tratamento de cálculos ureterais.

Abrir arquivo em PDF

Utilização da Bioimpedância para Avaliação da Massa Corpórea.

Associação Brasileira de Nutrologia, Sociedade Brasileira de Nutrição Parenteral e Enteral.
Projeto Diretrizes - Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina.
Número: 466 / Publicado em 09/03/2012 - 15:54

Entre os métodos instrumentais utilizados para tal fim podem ser destacados os radiológicos, os relacionados com a utilização do ultrassom e aqueles que estimam os compartimentos orgânicos por meio da medida da passagem de uma corrente elétrica pelo corpo. Nesta situação, mede-se o efeito da passagem da corrente elétrica e o respectivo efeito causado sobre as células do corpo, conhecido como bioimpedância (Bioelectrical Impedance Analysis).

Abrir arquivo em PDF

Uso do Cinto de Segurança Durante a Gravidez.

Associação Brasileira de Medicina de Trá‡fego.
Projeto Diretrizes - Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina.
Número: 465 / Publicado em 09/03/2012 - 15:55

As lesões causadas pelos acidentes de tráfego são as principais causas de morte por traumatismo, a décima causa de todas as mortes e a nona causa de morbidade em todo o mundo. Muitas destas lesões e mortes podem ser prevenidas por dispositivos de segurança, entre os quais o cinto de segurança ocupa lugar de destaque. Seu uso reduz a mortalidade e a gravidade das lesões provocadas em ocupantes de veículos automotores envolvidos em acidentes.

Abrir arquivo em PDF

Footer - v1.3
Atualizado em
04/02/2016
Saude-Direta-Facebook Saude-Direta-LinkedIN Saude-Direta-Twitter