Profissionais: 5632
Prontuários: 218668

Esqueceu a senha? Cadastro da senha

Portal Saude Direta - Busca Palavra

BUSCA POR PALAVRA

POSTAGENS ANTERIORES

TAGS CLOUD

Protocolos - Algoritmos - Diretrizes - Fluxogramas

Baixar o Adobe Acrobat Reader
Para visualizar os conteúdos abaixo é necessário ter o Adobe Acrobat Reader instalado.

Advertência: Estes artigos e resumos são protegidos pela Lei de Direitos Autorais (Lei 9.610/98), sendo vedada a sua transcrição sem citação da fonte e a sua reprodução com finalidades comerciais sem autorização dos autores.

Protocolos Clínicos - 016 - Abordagem do Paciente em Síndrome de Abstinência Alcóolica: Diagnóstico, Avaliação e Tratamento.

Hugo Alejandro C. Prais, Ednei Otávio Chagas E. Gomes, Helian Nunes de Oliveira.
Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig) - 2010
Número: 1060 / Publicado em 17/03/2012 - 16:00

A Síndrome de Abstinência Alcóolica (SAA) é um estigma da Síndrome de Dependência Alcóolica (SDA), sendo um indicador da existência de dependência, sinalizando consumo crônico e abusivo,desencadeada quando o indivíduo diminui ou cessa a ingestão abruptamente.

Abrir arquivo em PDF

Protocolos Clínicos - 015 - Manejo Hospitalar da Tuberculose.

Helena Rachel Weinreich, Guilherme Freire Garcia, Tânia Maria Marcial.
Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig) - 2010
Número: 1059 / Publicado em 17/03/2012 - 16:00

No Brasil, é alta a prevalência de tuberculose. Na região metropolitana de Belo Horizonte, 37% dos casos foram diagnosticados na rede hospitalar. O Estado de Minas Gerais ocupa o 4º lugar em número absoluto de casos de tuberculose e 24% dos casos foram diagnosticados em unidades hospitalares (SINAN-TB-SES de MG) . No Brasil 30 a 50% dos diagnósticos de TB são feitos no Hospital e 30% dos óbitos acontecem nos hospitais.

Abrir arquivo em PDF

Protocolos Clínicos - 014 - Uroginecologia.

Liv Braga de Paula.
Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig) - 2010
Número: 1058 / Publicado em 17/03/2012 - 16:01

A incontinência urinária é uma patologia crônica cuja prevalência aumenta com a idade da mulher, sendo fator limitante da atividade diária com redução da qualidade de vida e impacto social negativo. É necessária a correta identificação dos mecanismos das diversas formas clínicas para planejamento terapêutico, específico para cada condição.

Abrir arquivo em PDF

Protocolos Clínicos - 013 - Tratamento de Feridas Hospitalares I – Úlceras por Pressão.

Carlos Antônio Suski Torres, Marcos Aurélio Fonseca.
Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig) - 2010
Número: 1057 / Publicado em 17/03/2012 - 16:01

As lesões cutâneas 1. úlceras por pressão (UP) são áreas localizadas de isquemia e necrose tecidual, que se desenvolvem pela compressão prolongada dos tecidos moles entre proeminências ósseas e a superfície externa. Apresentam-se como alterações locais tipo calor, eritema, sensibilidade local e, quando infectadas, com descarga purulenta e odor fétido.

Abrir arquivo em PDF

Protocolos Clínicos - 012 - Tratamento das Hepatites Virais Crônicas B, C e Co-infectados HIV.

Francisco Carlos de Souza, João Gentilini, Tânia Marcial, Wald José Medeiros Junior.
Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig) - 2010
Número: 1056 / Publicado em 17/03/2012 - 16:01

Um dos maiores problemas mundiais de saúde pública, na atualidade, são as hepatites virais. Segundo a Sociedade Brasileira de Hepatologia, o número estimado de pacientes infectados pelo vírus B da hepatite (HVB) seria de 450 milhões em 2005. Em relação ao vírus da hepatite C (HVC), previa-se que, em 2002, haveria 175 milhões de pacientes infectados em todo o mundo, dada a sua prevalência global média próxima de 3%, variando de 0,1 a 5%. No Brasil há cerca de dois milhões de portadores crônicos da hepatite B e de dois a três milhões de portadores de hepatite C. São escassas na literatura as informações a respeito dos aspectos clínicos da HVC crônica no Brasil e em Minas Gerais, em razão da subnotificação dos casos e das dificuldades de diagnóstico e tratamento no nosso meio. O único estudo epidemiológico de base populacional no Brasil, realizado na cidade de São Paulo, demonstrou a prevalência de 1,42 % e 5,9% (1,04% de infecção ativa) para as hepatites C e B, respectivamente. Está em andamento no Brasil um estudo soro-epidemiológico de base populacional sobre hepatites virais do MS coordenado pela Universidade do Pernambuco. Os resultados preliminares regionais mostram prevalência de até 0,74% para vírus da hepatite B e 1,89% para hepatite C.

Abrir arquivo em PDF

Protocolos Clínicos - 011 - Protocolo para Tratamento da Fratura-luxação Trans-escafoperisemilunar do Carpo e da Luxação Perisemilunar do Carpo.

Samir Haikal Júnior, Paulo Randal Pires.
Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig) - 2010
Número: 1055 / Publicado em 17/03/2012 - 16:02

A luxação do osso semilunar do punho, com ou sem a associação da fratura do escafóide, é uma lesão relativamente comum, sobretudo nos traumas de maior energia e em pacientes jovens. Dados da literatura e também os observados em nossa prática, apontam para dois problemas principais a serem minimizados com este protocolo: 1. O grande número de pacientes com esta lesão inveterada, que procuraram o atendimento inicial e o diagnóstico não foi realizado; 2. A relativa alta frequência de instabilidade carpal ou outras sequelas decorrentes de abordagem terapêutica inadequada.

Abrir arquivo em PDF

Protocolos Clínicos - 010 - Atendimento Terciário das Lesões Traumáticas do Quadril e Pelve.

Euler de Carvalho Guedes, João Wagner Junqueira Pellucci, Alex Fabiano Dias Pinto.
Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig) - 2010
Número: 1054 / Publicado em 17/03/2012 - 16:02

As lesões traumáticas da região do quadril e pelve representam em torno de 12% das fraturas e luxações atendidas no HMAL, são de alta morbidade e merecem acompanhamento especializado. No tratamento terciário as complicações mais frequentes são os processos infecciosos, as necroses avasculares da cabeça femoral, as perdas de redução, as pseudartroses, as tromboses venosas profundas e as embolias pulmonares.

Abrir arquivo em PDF

Protocolos Clínicos - 009 - Protocolo de Intubação em Seqüência Rápida em Pediatria.

Carolina de Araújo Affonseca, Luís Fernando Andrade de Carvalho.
Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig) - 2010
Número: 1053 / Publicado em 17/03/2012 - 16:03

Sequência rápida de intubação (SRI) é uma técnica de intubação traqueal em situação de emergência que visa reduzir ao máximo os efeitos adversos do procedimento.

Abrir arquivo em PDF

Protocolos Clínicos - 008 - Convulsão no Recém-nascido.

Luiz Fernando Fonseca, Karina Santos Wandeck Henriques, José Mariano da Cunha Filho.
Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig) - 2010
Número: 1052 / Publicado em 17/03/2012 - 16:03

Convulsões no RN são consideradas emergência devido a grande lesão que podem causar em um cérebro imaturo. Podem ser de difícil reconhecimento. Sua incidência é inversamente proporcional à idade gestacional, sendo os prematuros extremos os mais acometidos. A mortalidade é alta e a chance de sequelas neurológicas varia entre 25% a 30%.

Abrir arquivo em PDF

Protocolos Clínicos - 007 - Abordagem e Acompanhamento Ambulatorial do Paciente com Hepatite Viral Aguda.

João Gentilini Fasciani de Castro, Tânia Maria Marcial, Francisco Carlos de Souza.
Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig) - 2010
Número: 1051 / Publicado em 17/03/2012 - 16:03

Os pacientes infectados com HEPATITES VIRAIS AGUDAS representam uma importante patologia no universo das doenças infecciosas dentro da FHEMIG e custos para o Estado. O diagnóstico e conduta corretos visam não só a identificação como também o tratamento uma vez que pode haver progressão para doença crônica e apresentação fulminante inclusive em 0,2 a 4% dos casos, com risco de óbito de 66% até 93%. Condutas padronizadas para esses pacientes visam oferecer uma melhor qualidade na prestação de serviço além de facilitar o treinamento de médicos residentes e outros profissionais.

Abrir arquivo em PDF

Footer - v1.3
Atualizado em
04/02/2016
Saude-Direta-Facebook Saude-Direta-LinkedIN Saude-Direta-Twitter