Profissionais: 7152
Prontuários: 520352

Protocolos/Algoritmos/Diretrizes/Fluxogramas

Advertência: Estes artigos e resumos são protegidos pela Lei de Direitos Autorais (Lei 9.610/98), sendo vedada a sua transcrição sem citação da fonte e a sua reprodução com finalidades comerciais sem autorização dos autores.

Adobe Acrobat Reader
É necessário o Adobe Acrobat Reader instalado.

Protocolo Cl√≠nico e Diretrizes Terap√™uticas - Fibrose Cistica - Manifesta√ß√Ķes Pulmonares

Secretaria de Aten√ß√£o √† Sa√ļde
Minist√©rio da Sa√ļde
Número: 201 / Publicado em 16/06/2012 - 21:03

A fibrose c√≠stica, tamb√©m chamada de mucoviscidose, √© uma doen√ßa gen√©tica autoss√īmica recessiva. Embora predomine na popula√ß√£o caucasiana, com incid√™ncia de 1:3.000 nascidos vivos, pode estar presente em todos os grupos √©tnicos. No Brasil a incid√™ncia ainda √© ignorada, contudo estudos regionais mostram dados estat√≠sticos vari√°veis que sugerem uma incid√™ncia em torno de 1:7.000 no pa√≠s como um todo. A vida m√©dia dos pacientes com fibrose c√≠stica tem aumentado nos √ļltimos anos, alcan√ßando a terceira d√©cada, resultado do diagn√≥stico precoce e do tratamento especializado institu√≠do nas fases iniciais da doen√ßa.

Abrir arquivo em PDF

Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas - Síndrome de Turner

Secretaria de Aten√ß√£o √† Sa√ļde
Minist√©rio da Sa√ļde
Número: 200 / Publicado em 16/06/2012 - 21:03

A S√≠ndrome de Turner √© a anormalidade dos cromossomos sexuais mais comum nas mulheres, ocorrendo em 1 a cada 1500 - 2500 crian√ßas do sexo feminino nascidas vivas. A constitui√ß√£o cromoss√īmica pode ser aus√™ncia de um cromossomo X (cari√≥tipo 45,X), mosaicismo cromoss√īmico (cari√≥tipo 45,X/46,XX), al√©m de outras anomalias estruturais do cromossomo X.

Abrir arquivo em PDF

Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas - Anemia Aplástica, Mielodisplasia e Neutropenias Constitucionais. Uso de Fatores Estimulantes de Crescimento.

Secretaria de Aten√ß√£o √† Sa√ļde
Minist√©rio da Sa√ļde
Número: 199 / Publicado em 16/06/2012 - 21:04

Os fatores de crescimento da linhagem mielóide (G-CSFfilgrastim/lenograstim e o GM-CSF - molgramostim/sargramostim) fazem parte da família de citocinas reguladoras da proliferação, diferenciação e ativação funcional das células hematopoiéticas mielóides (progenitoras e maduras).

Abrir arquivo em PDF

Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas - Raquitismo e Osteomalácia

Secretaria de Aten√ß√£o √† Sa√ļde
Minist√©rio da Sa√ļde
Número: 198 / Publicado em 16/06/2012 - 21:08

O raquitismo e a osteomalácia são doenças caracterizadas pelo defeito de mineralização do osso. Elas usualmente coexistem na criança, até o fechamento das cartilagens de crescimento. A osteomalácia ocorre por defeito na mineralização da matriz óssea, se apresenta na vida adulta e é uma das causas de baixa densidade mineral óssea, enquanto que o raquitismo é o defeito de mineralização das cartilagens de crescimento na criança e se apresenta com retardo no crescimento e deformidades esqueléticas.

Abrir arquivo em PDF

Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas - Artrite Reativa - Doença de Reiter

Secretaria de Aten√ß√£o √† Sa√ļde
Minist√©rio da Sa√ļde
Número: 197 / Publicado em 16/06/2012 - 21:09

A artrite reativa, antigamente denominada Doen√ßa de Reiter, √© uma das espondiloartropatias soronegativas: grupo de doen√ßas reum√°ticas cr√īnicas, que afetam articula√ß√Ķes perif√©ricas e da coluna, e que compartilham caracter√≠sticas cl√≠nicas, radiol√≥gicas e gen√©ticas semelhantes. Neste grupo de doen√ßas (espondiloartropatias), al√©m da artrite reativa, encontram-se a espondilite anquilosante, a artrite psori√°tica, a espondiloartropatia associada √† doen√ßa inflamat√≥ria intestinal e a espondiloartropatia indiferenciada.

Abrir arquivo em PDF

Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas - Dermatomiosite e Polimiosite

Secretaria de Aten√ß√£o √† Sa√ļde
Minist√©rio da Sa√ļde
Número: 196 / Publicado em 16/06/2012 - 19:43

As miopatias inflamatórias são um grupo heterogêneo de doenças que se caracterizam por fraqueza muscular proximal e elevação sérica de enzimas originadas da musculatura esquelética.

Abrir arquivo em PDF

Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas - Endometriose

Secretaria de Aten√ß√£o √† Sa√ļde
Minist√©rio da Sa√ļde
Número: 195 / Publicado em 16/06/2012 - 20:44

A endometriose √© uma doen√ßa ginecol√≥gica definida pelo desenvolvimento e crescimento de estroma e gl√Ęndulas endometriais fora da cavidade uterina que induzem uma rea√ß√£o inflamat√≥ria cr√īnica. √Č diagnosticada quase que exclusivamente em mulheres em idade reprodutiva, mulheres p√≥s-menop√°usicas representam somente 2% a 4% de todos os casos que v√£o √† laparoscopia por suspeita de endometriose. Como n√£o h√° correla√ß√£o entre sintomatologia e grau de doen√ßa, e como para confirma√ß√£o diagn√≥stica √© necess√°rio a realiza√ß√£o de um procedimento invasivo - laparoscopia - a determina√ß√£o da preval√™ncia √© dif√≠cil.

Abrir arquivo em PDF

Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas - Acne Grave

Secretaria de Aten√ß√£o √† Sa√ļde
Minist√©rio da Sa√ļde
Número: 194 / Publicado em 16/06/2012 - 20:45

A acne √© uma dermatose extremamente comum na pr√°tica m√©dica. Em recente levantamento epidemiol√≥gico realizado pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, a acne foi a causa mais freq√ľente de consultas ao dermatologista, correspondendo a 14% de todos os atendimentos. Outros estudos epidemiol√≥gicos mostram que 80% dos adolescentes e adultos jovens entre 11 e 30 anos ir√£o sofrer de acne. Seu tratamento justifica-se pela possibilidade de evitar tanto les√Ķes cut√Ęneas permanentes quanto o aparecimento ou agravamento de transtornos psicol√≥gicos, oriundos do abalo √† auto-estima ocasionado pelas les√Ķes.

Abrir arquivo em PDF

Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas - Puberdade Precoce Central

Secretaria de Aten√ß√£o √† Sa√ļde
Minist√©rio da Sa√ļde
Número: 193 / Publicado em 16/06/2012 - 20:46

A puberdade √© o processo de matura√ß√£o biol√≥gica que, atrav√©s de modifica√ß√Ķes hormonais, culmina no aparecimento de caracteres sexuais secund√°rios, na acelera√ß√£o da velocidade de crescimento e, por fim, na aquisi√ß√£o de capacidade reprodutiva da vida adulta. √Č resultado do aumento da secre√ß√£o do horm√īnio liberador de gonadotrofinas, o GnRH. Este horm√īnio estimula a secre√ß√£o dos horm√īnios luteinizante (LH) e fol√≠culo-estimulante (FSH), que por sua vez estimular√£o a secre√ß√£o dos ester√≥ides sexuais e promover√£o a gametog√™nese. Considera-se precoce o aparecimento de caracteres sexuais secund√°rios antes dos 8 anos em meninas e antes dos 9 anos em meninos.

Abrir arquivo em PDF

Protocolo Cl√≠nico e Diretrizes Terap√™uticas - Defici√™ncia de Horm√īnio de Crescimento - Hipopituitarismo

Secretaria de Aten√ß√£o √† Sa√ļde
Minist√©rio da Sa√ļde
Número: 192 / Publicado em 16/06/2012 - 20:47

O horm√īnio do crescimento (GH) √© um polipept√≠deo produzido e secretado por c√©lulas especializadas localizadas na hip√≥fise anterior, e cuja principal fun√ß√£o √© a promo√ß√£o do crescimento e desenvolvimento corporal; al√©m disso, participa da regula√ß√£o do metabolismo de prote√≠nas, lip√≠deos e carboidratos. N√£o existem estudos brasileiros sobre a incid√™ncia da defici√™ncia de GH; em estudo americano a incid√™ncia foi de 1 em cada 3480 nascidos vivos. A defici√™ncia de GH pode ser cong√™nita ou adquirida.

Abrir arquivo em PDF

Portal Saúde Direta - Footer
Atualizado em
14/09/2020
Saude-Direta-Facebook Saude-Direta-LinkedIN Saude-Direta-Twitter