Profissionais: 7120
Prontuários: 505158

Protocolos/Algoritmos/Diretrizes/Fluxogramas

Advertência: Estes artigos e resumos são protegidos pela Lei de Direitos Autorais (Lei 9.610/98), sendo vedada a sua transcrição sem citação da fonte e a sua reprodução com finalidades comerciais sem autorização dos autores.

Adobe Acrobat Reader
É necessário o Adobe Acrobat Reader instalado.

Dispepsia Não-investigada: Diagnóstico e Tratamento na Atenção Primária à Saúde.

Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade.
Projeto Diretrizes - Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina.
Número: 325 / Publicado em 09/03/2012 - 17:57

A síndrome clínica de dispepsia é caracterizada pela presença persistente ou recorrente de dor ou desconforto epigástrico, com ou sem a presença dos seguintes sintomas: má digestão, pirose, regurgitação, náusea, vômitos, saciedade precoce, eructação excessiva e sensação de digestão lenta.

Abrir arquivo em PDF

Dismenorréia.

Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia.
Projeto Diretrizes - Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina.
Número: 324 / Publicado em 09/03/2012 - 17:58

Dismenorréia é definida como dor pélvica pré-menstrual, com ou sem associação com sintomas sistêmicos. Sua incidência é de até 72% em mulheres com idade de 19 anos, em uma população urbana, com utilização de tratamento clínico em até 32% e 8% de perdas no trabalho ou esc escolar e outros.

Abrir arquivo em PDF

Prevenção da Aterosclerose – Dislipidemia.

Sociedade Brasileira de Cardiologia.
Projeto Diretrizes - Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina.
Número: 323 / Publicado em 09/03/2012 - 17:58

A aterosclerose é doença multifatorial na qual as dislipidemias são um fator de risco modificável. A diminuição do LDL-colesterol (LDL-C) em indivíduos sob risco diminui a morbi-mortalidade relacionada à aterosclerose coronariana.

Abrir arquivo em PDF

Disfunções Miccionais em Doenças Neurológicas: Infecciosas- Inflamatórias-Degenerativas.

Sociedade Brasileira de Urologia.
Projeto Diretrizes - Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina.
Número: 322 / Publicado em 09/03/2012 - 17:59

As disfunções miccionais decorrentes de lesões neurológicas estão relacionadas a alterações de função do detrusor, esfíncter externo e/ou associações. Em uma classificação topográfica, as lesões neurológicas podem ser divididas em suprapontinas, medulares e subsacrais (cauda eqüina e nervos periféricos).

Abrir arquivo em PDF

Disfunção Erétil: Tratamento com Drogas Inibidoras da Fosfodiesterase Tipo 5.

Sociedade Brasileira de Urologia.
Projeto Diretrizes - Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina.
Número: 321 / Publicado em 09/03/2012 - 17:59

Disfunção erétil (DE) é a incapacidade recorrente e persistente em ter e/ou manter uma ereção peniana para uma relação sexual satisfatória. É uma entidade clínica de grande prevalência e o tratamento oral é considerado o de primeira linha.

Abrir arquivo em PDF

Disfunção do Trato Urinário Inferior.

Sociedade Brasileira de Urologia.
Projeto Diretrizes - Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina.
Número: 320 / Publicado em 09/03/2012 - 18:00

A disfunção do trato inferior é definida como a presença de sintomas de urgência miccional e/ou urge-incontinência, na ausência de infecção urinária, alterações neurológicas e anormalidades anatômicas envolvendo a bexiga e uretra.

Abrir arquivo em PDF

Diabetes Mellitus: Uso de Ácido Acetilsalicílico (AAS).

Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia.
Projeto Diretrizes - Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina.
Número: 319 / Publicado em 09/03/2012 - 18:00

Diabetes mellitus é associado com grande aumento da prevalência de doença arterial coronariana. As complicações cardiocirculatórias representam a maior causa de morbidade e mortalidade nestes pacientes, sendo o risco de mortalidade por doença cardiovascular três vezes maior em homens diabéticos sem outros fatores de risco.

Abrir arquivo em PDF

Diabetes Mellitus: Tratamento Medicamentoso.

Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia.
Projeto Diretrizes - Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina.
Número: 318 / Publicado em 09/03/2012 - 18:01

O tratamento medicamentoso do diabetes tipo 2 deve ser iniciado quando as recomendações nutricionais e de atividade física não forem eficazes para manter os níveis de HbA1c inferiores a 7,0, mesmo em pacientes sem queixas, com boa qualidade de vida, e aderentes às orientações nutricionais e de atividade física.

Abrir arquivo em PDF

Diabetes Mellitus: Tratamento da Hipertensão Arterial.

Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia Sociedade Brasileira de Nefrologia.
Projeto Diretrizes - Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina.
Número: 317 / Publicado em 09/03/2012 - 18:02

A hipertensão arterial (HA) é definida como níveis pressóricos iguais ou maiores de 140/90 mmHg. Diabéticos, contudo, devem ser tratados para se manter uma pressão arterial < 130/80 mmHg. Em diabéticos tipo 2 ou em indivíduos com glicemia de jejum > 110 mg/dL, a HA está freqüentemente associada à resistência à insulina, dislipidemia e obesidade central, constituindo um dos critérios diagnósticos da síndrome metabólica e, em diabéticos tipo 1, geralmente está associada a nefropatia.

Abrir arquivo em PDF

Diabetes Mellitus: Recomendações Nutricionais.

Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia Sociedade Brasileira de Nefrologia.
Projeto Diretrizes - Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina.
Número: 316 / Publicado em 09/03/2012 - 18:02

As pesquisas apontam que não só a quantidade de carboidrato é importante, mas a qualidade é determinante da resposta glicêmica.

Abrir arquivo em PDF

Portal Saúde Direta - Footer
Atualizado em
14/09/2020
Saude-Direta-Facebook Saude-Direta-LinkedIN Saude-Direta-Twitter