Profissionais: 7132
Prontuários: 511673

Protocolos/Algoritmos/Diretrizes/Fluxogramas

Advertência: Estes artigos e resumos são protegidos pela Lei de Direitos Autorais (Lei 9.610/98), sendo vedada a sua transcrição sem citação da fonte e a sua reprodução com finalidades comerciais sem autorização dos autores.

Adobe Acrobat Reader
É necessário o Adobe Acrobat Reader instalado.

Protocolo Clínico de Doença Orificial (Abscessos e Fístulas Anais).

João Batista Pinheiro Barreto, Alexandre José Aguiar Andrade.
Serviço de Coloproctologia - Hospital Universitário - Universidade Federal do Maranhão - maio/2010.
Número: 956 / Publicado em 23/06/2012 - 22:41

Os abscessos e as f√≠stulas anais podem ser considerados como o espectro de apresenta√ß√£o de uma mesma doen√ßa; os primeiros representariam a fase aguda enquanto que os √ļltimos, a cr√īnica deste processo.

Abrir arquivo em PDF

Protocolo Clínico de Avaliação e Conduta no Traumatismo Dentário.

Bandeira Macena, Maria Carolina; Leite, Ana Catarina; Colares, Viviane; Vieira,Sandra; Guedes de Carvalho Neto, Luiz.
Revista Brasileira em Promo√ß√£o da Sa√ļde, Vol. 22, N√ļm. 2, 2009, pp. 120-127
Número: 955 / Publicado em 20/06/2012 - 08:33

Protocolo cl√≠nico, baseado na literatura atual, visando otimizar o atendimento emergencial do trauma dent√°rio nas denti√ß√Ķes dec√≠dua e permanente. O traumatismo dent√°rio est√° entre as patologias, eventos e agravos √† sa√ļde bucal que t√™m despertado crescente interesse da comunidade cient√≠fica nos √ļltimos anos. O aumento dos n√≠veis de viol√™ncia, do n√ļmero de acidentes de tr√Ęnsito e uma maior participa√ß√£o das crian√ßas em atividades esportivas contribuem para transformar o traumatismo dent√°rio em um problema de sa√ļde p√ļblica emergente.

Abrir arquivo em PDF

Protocolo Clínico para Uso de Espaçador em Crianças com Asma (Beta-2 Agonista).

Carlos O. Carraro
UNIMED
Número: 954 / Publicado em 23/06/2012 - 22:48

Atualmente, na maioria dos servi√ßos de atendimento emergencial a crise asm√°tica aguda √© tratada atrav√©s da nebuliza√ß√£o com f√°rmaco. Embora tal conduta esteja correta, cada nebuliza√ß√£o nesse tipo de tratamento demanda tempo, mais profissionais da √°rea da sa√ļde para preparar a medica√ß√£o e maior utiliza√ß√£o de oxig√™nio, visto que principalmente as crian√ßas pequenas n√£o permitem uma oclus√£o adequada da m√°scara √† face, diminuindo em muito a efic√°cia da medica√ß√£o. Dessa forma, estudos mais recentes t√™m demonstrado que o fornecimento do Beta-2 agonista atrav√©s do spray com espa√ßador √© mais conveniente, pois promove maior disponibilidade da droga para as vias a√©reas em tempo menor, permitindo √† crian√ßa deixar a m√°scara efetivamente acoplada √† face (o que melhora a efic√°cia do tratamento), diminui a incid√™ncia de efeitos adversos, tornando o tratamento de menor custo.

Abrir arquivo em PDF

Protocolo Cl√≠nico e Diretrizes Terap√™uticas: Hepatite Viral Cr√īnica C.

Secretaria de Vigil√Ęncia em Sa√ļde, Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais.
Minist√©rio da Sa√ļde ‚Äď Bras√≠lia 2010.
Número: 953 / Publicado em 20/06/2012 - 08:35

Esta publica√ß√£o apresenta o novo Protocolo Cl√≠nico e Diretrizes Terap√™uticas para o Tratamento da Hepatite Viral Cr√īnica B e Coinfec√ß√Ķes e, tamb√©m, como anexo, o Protocolo Cl√≠nico e as Diretrizes Terap√™uticas para o Tratamento da Hepatite Viral Cr√īnica C.

Abrir arquivo em PDF

Protocolo Cl√≠nico e Diretrizes Terap√™uticas: Hepatite Viral Cr√īnica B e Coinfec√ß√Ķes.

Secretaria de Vigil√Ęncia em Sa√ļde, Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais.
Minist√©rio da Sa√ļde ‚Äď Bras√≠lia 2010.
Número: 952 / Publicado em 20/06/2012 - 08:36

Esta publica√ß√£o apresenta o novo Protocolo Cl√≠nico e Diretrizes Terap√™uticas para o Tratamento da Hepatite Viral Cr√īnica B e Coinfec√ß√Ķes e, tamb√©m, como anexo, o Protocolo Cl√≠nico e as Diretrizes Terap√™uticas para o Tratamento da Hepatite Viral Cr√īnica C.

Abrir arquivo em PDF

Uveítes Posteriores Não-Infecciosas.

Minist√©rio da Sa√ļde e Secretarias de Sa√ļde.
Portaria SAS/MS N¬ļ 498 de 23 de Dezembro de 2009.
Número: 949 / Publicado em 19/06/2012 - 17:17

Uve√≠te corresponde √† inflama√ß√£o da √ļvea, camada vascular m√©dia dos olhos e pode ser dividida em anterior (√≠ris), intermedi√°ria (corpo ciliar e v√≠treo) e posterior (v√≠treo, retina, cor√≥ide e esclera). Uve√≠tes com acometimento de mais de uma por√ß√£o uveal s√£o chamadas de difusas, apresentando geralmente acometimento bilateral. As doen√ßas oculares inflamat√≥rias s√£o causa importante de cegueira (acuidade visual com melhor corre√ß√£o menor que 20/400 ou 0,05) e baixa vis√£o (acuidade visual com melhor corre√ß√£o entre 20/70 ou 0,3 e 20/200 ou 0,1) no mundo todo. A incid√™ncia anual de uve√≠te varia, de acordo com o pa√≠s, entre 17 e 52 casos por 100.000 habitantes, com uma preval√™ncia de 38 a 714 casos por 100.000 habitantes. As uve√≠tes s√£o respons√°veis por cerca de 10% dos casos de defici√™ncia visual no mundo ocidental, e aproximadamente 35% dos pacientes com uve√≠te referem baixa vis√£o ou cegueira.

Abrir arquivo em PDF

Manual de Publicidade de Assuntos Médicos.

Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro.
CREMERJ. - 6ª ed. rev. ampl. - Rio de Janeiro, 2007.
Número: 947 / Publicado em 19/06/2012 - 17:22

Este Manual visa esclarecer os il√≠citos √©ticos contidos no pen√ļltimo cap√≠tulo do C.E.M. Assim, os conceitos aqui inseridos emanam dos Conselhos de √Čtica M√©dica, Federal e Regionais, regulamentando a publicidade m√©dica.

Abrir arquivo em PDF

Sepse Grave na Unidade de Pronto Atendimento - Emerg√™ncia (Protocolo n¬ļ 2).

Hospital Pilar - 08/2009
ABRAMEDE - Associação Brasileira de Medicina de Emergência.
Número: 942 / Publicado em 19/06/2012 - 16:46

Folha para atendimento e preenchimento em emergencia.

Abrir arquivo em PDF

Erros de Medica√ß√£o - Defini√ß√Ķes e Estrat√©gias de Preven√ß√£o.

Aline Santa Cruz Belela, Maria Angélica S. Peterlini, Mavilde L. G. Pedreira
Membros da Rede Brasileira de Enfermagem e Seguran√ßa do Paciente. REBRAENSP ‚Äď Polo S√£o Paulo - 2011
Número: 940 / Publicado em 19/06/2012 - 16:54

Manual originado da Disserta√ß√£o de Mestrado ‚ÄúErros de Medica√ß√£o Notificados em uma Unidade de Cuidados Intensivos Pedi√°tricos para Atendimento de Pacientes Oncol√≥gicos‚ÄĚ, apresentada ao Programa de P√≥s-Gradua√ß√£o em Enfermagem da UNIFESP, em 2008.

Abrir arquivo em PDF

Pneumonia Adquirida na Comunidade.

Protocolo de Atendimento Médico - Emergências Clínicas.
Hospital da Clínicas - Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.
Número: 939 / Publicado em 19/06/2012 - 16:58

Algoritmo de atendimento médico.

Abrir arquivo em PDF

Portal Saúde Direta - Footer
Atualizado em
14/09/2020
Saude-Direta-Facebook Saude-Direta-LinkedIN Saude-Direta-Twitter