Profissionais: 7137
Prontuários: 513724

Protocolos/Algoritmos/Diretrizes/Fluxogramas

Advertência: Estes artigos e resumos são protegidos pela Lei de Direitos Autorais (Lei 9.610/98), sendo vedada a sua transcrição sem citação da fonte e a sua reprodução com finalidades comerciais sem autorização dos autores.

Adobe Acrobat Reader
É necessário o Adobe Acrobat Reader instalado.

Diagnósticos Clínicos e Laboratoriais das Onicomicoses.

Kedma de Magalhães Lima, Rossana Sette de Melo Rêgo e Francisco Montenegro.
NewsLab - edição 83 - 2007
Número: 1151 / Publicado em 23/06/2012 - 08:16

As onicomicoses s√£o infec√ß√Ķes f√ļngicas nas unhas causadas por leveduras, dermat√≥fitos ou fungos filamentos n√£o-dermat√≥fitos e constituem uma das principais causas de enfermidades ungueais a n√≠vel mundial, representando 20-40%, e tendo aumentado sua ocorr√™ncia nos √ļltimos anos.

Abrir arquivo em PDF

Enteroparasitoses e Onicomicoses em Manipuladores de Alimentos do Município de Ribeirão Preto, SP, Brasil

Jaqueline Otero Silva, Divani M. Capuano, Osvaldo M. Takayanagui, Eug√™nio Giacometti J√ļnior.
Rev Bras Epidemiol 2005; 8(4): 385-92
Número: 1150 / Publicado em 23/06/2012 - 08:17

A maioria das doen√ßas veiculadas por alimentos de origem microbiana deve-se √† manipula√ß√£o inadequada dos mesmos. A identifica√ß√£o de manipuladores de alimentos portadores de agentes patog√™nicos que podem ser propagados para os alimentos √© uma ferramenta √ļtil na preven√ß√£o da contamina√ß√£o dos mesmos.

Abrir arquivo em PDF

Condutas Frente as Neurites Hansênicas.

Mauricio L. Nobre, Maria Leide W. Oliveira.
Sociedade Brasileira de Dermatologia - Departamento de Hanseníase.
Número: 1148 / Publicado em 23/06/2012 - 08:21

A neuropatia hans√™nica √© decorrente da invas√£o bacilar e especialmente do processo inflamat√≥rio dos nervos perif√©ricos. As neurites agudas se caracterizam por dor intensa que ocorre espontaneamente ou durante a palpa√ß√£o dos troncos nervosos; s√£o comuns durante os epis√≥dios reacionais, mas podem ocorrer isoladamente sem evid√™ncia de processo inflamat√≥rio cut√Ęneo. Em alguns casos as neurites agudas deixam como seq√ľelas dores cr√īnicas ao longo dos nervos afetados, o que recebe a denomina√ß√£o de dor neurop√°tica.

Abrir arquivo em PDF

Queloides na Adolescência: a Busca pelo Melhor Tratamento.

Herscovitz et al.
Revista da AMRIGS, Porto Alegre, 53 (1): 78-83, jan.-mar. 2009
Número: 1146 / Publicado em 23/06/2012 - 08:24

Queloides s√£o les√Ķes benignas que resultam de uma prolifera√ß√£o fibrobl√°stica excessiva da derme ap√≥s o trauma de pele. As les√Ķes s√£o espessas, ultrapassam os limites da les√£o inicial e invadem a pele normal. Existem diversas teorias que procuram explicar os mecanismos de forma√ß√£o desse tipo de les√£o, mas a real patog√™nese ainda n√£o foi elucidada, o que explica a multiplicidade de tratamentos dispon√≠veis, n√£o havendo consenso na literatura sobre a melhor abordagem terap√™utica. No presente artigo, descrevemos o caso de uma adolescente que desenvolveu queloide em abdome ap√≥s les√£o por arma de fogo e abordamos os diversos aspectos do tratamento. Nessa faixa et√°ria, deve-se atentar para a seguran√ßa dos m√©todos terap√™uticos empregados. Entre as op√ß√Ķes existentes, a combina√ß√£o de excis√£o cir√ļrgica com aplica√ß√£o de triancinolona representa uma op√ß√£o segura e eficaz.

Abrir arquivo em PDF

Tratamento de Cicatrizes Patológicas com a Associação de Cepalin, Heparina e Alantoína.

José Roberto da Costa Pereira
RBM - Rev. Bras. Med. - Vol. 60 - N¬ļ 8 - Agosto de 2003
Número: 1145 / Publicado em 23/06/2012 - 08:26

As cicatrizes hipertr√≥ficas e quel√≥ides se constituem em um desafio para os cirurgi√Ķes, n√£o s√≥ pelo aspecto inest√©tico, mas tamb√©m pelas repercuss√Ķes sintom√°ticas e funcionais. Podemos concluir que a associa√ß√£o de cepalin, alanto√≠na e heparina √© √ļtil na preven√ß√£o e tratamento de cicatrizes patol√≥gicas.

Abrir arquivo em PDF

Apnéia Obstrutiva do Sono: Diagnóstico e Tratamento.

Bruno Nifossi Prado, Eduardo Gon√ßalves Fernandes, Tha√≠s Cristina Ara√ļjo Moreira, Jo√£o Gavranich Jr.
Rev. Odontol. Univ. Cid. Sao Paulo;22(3): 233-239, set.-dez. 2010.
Número: 1144 / Publicado em 23/06/2012 - 08:27

A S√≠ndrome da Apneia Obstrutiva do Sono (SAOS) √© uma doen√ßa cr√īnica, progressiva, incapacitante e com consequ√™ncias amea√ßadoras sobre o potencial de vida. Caracterizada por um colapso das vias a√©reas superiores, devido ao estreitamento recorrente completo ou parcial dessas vias durante o per√≠odo do sono, e esta difere da apneia central, quando falta o est√≠mulo no sistema nervoso central e da hipoapneia quando h√° uma redu√ß√£o incompleta e transit√≥ria do fluxo de ar. O objetivo √© conhecer as diversas maneiras de diagnosticar e tratar a apneia obstrutiva do sono, dando √™nfase ao cirurgi√£o-dentista como parte de uma equipe multidisciplinar atuando direta e indiretamente. No que se refere SAOS, o cirurgi√£o-dentista tem a possibilidade de diagnosticar precocemente, atrav√©s dos sinais cl√≠nicos e do diagn√≥stico das deformidades craniofaciais a possibilidade do paciente de vir a ter SAOS, quando adulto ou mesmo quando crian√ßa, encaminhando o paciente para um diagn√≥stico definitivo e tratamento multidisciplinar.

Abrir arquivo em PDF

Preven√ß√£o e Tratamento de N√°useas e V√īmitos no Per√≠odo P√≥s-Operat√≥rio.

Carlos Roberto Naegeli Gondim; Andr√© Miguel Japiass√ļ; Pedro Eder Portari Filho; Gustavo Ferreira de Almeida; Marcelo Kalichsztein; Gustavo Freitas Nobre
Rev. Bras. Ter. Intensiva vol.21 no.1 S√£o Paulo Jan./Mar. 2009
Número: 1143 / Publicado em 23/06/2012 - 08:27

N√°useas e v√īmitos p√≥s-operat√≥rios s√£o comuns e podem ser evitados. Complica√ß√Ķes provenientes deste problema acarretam aumento de morbi-mortalidade. Foi realizada revis√£o de literatura no MEDLINE, com foco em estudos cl√≠nicos controlados. A fisiopatologia √© complexa, com v√°rias vias centrais aferentes e eferentes, e seu entendimento ajuda na escolha das medica√ß√Ķes. Fatores de risco s√£o apresentados, com escala de estratifica√ß√£o de chance para desenvolvimento de n√°useas e v√īmitos p√≥soperat√≥rios. Algoritmo para abordagem de pacientes com maior risco foi elaborado e estratifica n√≠vel de preven√ß√£o/tratamento a ser recebido, de modo a evitar uso excessivo de drogas e seus paraefeitos. N√°useas e v√īmitos p√≥s-operat√≥rios devem ser prevenidos, pois acarretam complica√ß√Ķes e desconforto nos pacientes. Abordagem sistem√°tica com an√°lise de fatores de risco per-operat√≥rios e prescri√ß√£o de medica√ß√Ķes podem ser eficazes para sua preven√ß√£o.

Abrir arquivo em PDF

Anestesia no Paciente Cardiopata.

Adriano Bechara de Souza Hobaika, Wendell Valadares Campos Pereira, Giovanni Menezes Santos
Rev Med Minas Gerais 2010; 20(4): 528-533
Número: 1142 / Publicado em 23/06/2012 - 08:28

O avan√ßo da tecnologia permitiu que a proped√™utica pr√©-operat√≥ria, a monitoriza√ß√£o e a terap√™utica se tornassem mais adequadas para os cardiopatas, que s√£o, cada vez mais, submetidos aos mais complexos procedimentos cir√ļrgicos. A avalia√ß√£o pr√©-anest√©sica √© fundamental em todos os pacientes, no intuito de oferecer o melhor cuidado poss√≠vel. A integra√ß√£o entre o anestesista, o cardiologista e o cirurgi√£o √© essencial para o sucesso no tratamento. Com o objetivo de se predizer o risco card√≠aco e, mais importante que isto, formular estrat√©gias para melhorar o estado cl√≠nico no pr√©-operat√≥rio, v√°rios √≠ndices foram elaborados e reavaliados, apresentando boa correla√ß√£o. O cl√≠nico envolvido no tratamento de pacientes cardiopatas deve conhecer as intera√ß√Ķes medicamentosas, exames pr√©-operat√≥rios necess√°rios e a conduta perioperat√≥ria adequada para cada situa√ß√£o espec√≠fica.

Abrir arquivo em PDF

O Papel da Fisioterapia na Melhora dos Sintomas da Fibromialgia.

Amélia Pasqual Marques
Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional da FMUSP
Número: 1141 / Publicado em 23/06/2012 - 08:30

Uma condi√ß√£o dolorosa, n√£o articular, envolvendo predominantemente m√ļsculos. √Č causa mais comum de dor musculoesquel√©tica cr√īnica difusa.

Abrir arquivo em PDF

Procedimentos Terapêuticos Associados no Tratamento da Fibromialgia.

Felipe Azevedo Moretti
Programa de gerenciamento interdisciplinar da dor na Fibromialgia
Número: 1140 / Publicado em 23/06/2012 - 08:31

S√≠ndrome dolorosa cr√īnica, de etiologia desconhecida e n√£o inflamat√≥ria. Caracteriza-se pela presen√ßa de sensibilidade exacerbada √† palpa√ß√£o de pontos pr√©-definidos (tender- points), diminui√ß√£o da qualidade de vida e sintomas como: altera√ß√£o do sono, depress√£o, fadiga, rigidez muscular, entre outros.

Abrir arquivo em PDF

Portal Saúde Direta - Footer
Atualizado em
14/09/2020
Saude-Direta-Facebook Saude-Direta-LinkedIN Saude-Direta-Twitter