Profissionais: 7152
Prontuários: 520352

Protocolos/Algoritmos/Diretrizes/Fluxogramas

Advertência: Estes artigos e resumos são protegidos pela Lei de Direitos Autorais (Lei 9.610/98), sendo vedada a sua transcrição sem citação da fonte e a sua reprodução com finalidades comerciais sem autorização dos autores.

Adobe Acrobat Reader
É necessário o Adobe Acrobat Reader instalado.

Protocolos Clínicos - 022 - Cuidados com o Paciente em Morte Encefálica ou Suspeita de Morte Encefálica.

Simone Lino Mello.
Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig) - 2010
Número: 1066 / Publicado em 17/03/2012 - 15:58

O Brasil est√° inserido no cen√°rio mundial dos transplantes de √≥rg√£os h√° cerca de 40 anos. 90% destes procedimentos ocorrem atrav√©s do Sistema √önico de Sa√ļde. A rela√ß√£o adequada de doadores por milh√£o da popula√ß√£o (pmp) no mundo gira em torno de 16. No Brasil houve um decr√©scimo nos √ļltimos dois anos de 7 doadores pmp para 5,8 doadores pmp. O n√ļmero de poss√≠veis doadores n√£o diminuiu, entretanto, de alguma forma os cuidados pouco adequados inviabilizam os testes necess√°rios para a confirma√ß√£o da morte encef√°lica a tempo de ocorrer doa√ß√£o e, geralmente, os poss√≠veis doadores evoluem para fal√™ncia m√ļltipla de √≥rg√£os e sistemas com parada cardiorrespirat√≥ria.

Abrir arquivo em PDF

Protocolos Cl√≠nicos - 021 - Asma na Inf√Ęncia.

José Semionato Filho, Luis Fernando A. Carvalho, Wilson Rocha Filho.
Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig) - 2010
Número: 1065 / Publicado em 17/03/2012 - 15:58

A asma √© uma doen√ßa inflamat√≥ria cr√īnica, caracterizada por hipersensibilidade das vias a√©reas inferiores e por limita√ß√£o vari√°vel ao fluxo a√©reo, revers√≠vel espontaneamente ou com tratamento. Manifesta-se clinicamente por epis√≥dios recorrentes de sibil√Ęncia, dispneia, aperto no peito e tosse, √† noite e pela manh√£ ao despertar. Resulta de uma intera√ß√£o entre gen√©tica, exposi√ß√£o ambiental a al√©rgenos e irritantes e outros fatores espec√≠ficos que levam ao desenvolvimento e manuten√ß√£o dos sintomas.

Abrir arquivo em PDF

Protocolos Clínicos - 020 - Linha Guia para o Manejo Clínico do Paciente com Influenza por Cepa Emergente Potencialmente Pandêmica.

Adriana C. M. Magalh√£es, Andr√©a Lucchesi, J√ļlia Maluf Lopes, Lucin√©ia Carvalhais.
Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig) - 2010
Número: 1064 / Publicado em 17/03/2012 - 15:58

Definir uma ‚ÄúDiretriz Cl√≠nica‚ÄĚ como ‚ÄúLinha Guia‚ÄĚ de atendimento, desde a aten√ß√£o b√°sica √† terci√°ria, de forma segura e eficiente de pacientes suspeitos ou confirmados de infec√ß√£o por novo subtipo viral de influenza altamente patog√™nico. Otimizar o manejo cl√≠nico de forma a minimizar a letalidade e riscos de transmiss√£o inter-humana, na fase de alerta pand√™mico atual.

Abrir arquivo em PDF

Protocolos Clínicos - 019 - Tratamento Primário das Fraturas Expostas.

José Marcos Nogueira, Drumond Gilberto Ferreira Braga, Fernando Milton da Cunha.
Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig) - 2010
Número: 1063 / Publicado em 17/03/2012 - 15:59

Este protocolo √© estruturado por classifica√ß√£o de doen√ßa (fratura exposta) com base em evid√™ncia cl√≠nica e tem como p√ļblico-alvo: m√©dicos, enfermeiros, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, t√©cnicos de radiologia e assistente social. Fratura exposta (FE) √© aquela em que h√° comunica√ß√£o entre o foco de fratura e o ambiente externo, geralmente atrav√©s de uma les√£o na pele.

Abrir arquivo em PDF

Protocolos Clínicos - 018 - Protocolo de Captação de Doadores de Tecidos Oculares para Transplante.

Marcia Regina Issa Salom√£o Lib√Ęnio.
Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig) - 2010
Número: 1062 / Publicado em 17/03/2012 - 15:59

Todo paciente que vai a óbito constitui um potencial doador de tecidos oculares para transplante, não sendo necessário que o paciente esteja em morte encefálica. A notificação dos potenciais doadores é obrigatória por lei, devendo ser avisados à CNCDO e ao Banco de Olhos responsável pela área de abrangência.

Abrir arquivo em PDF

Protocolos Clínicos - 017 - Apendicectomia.

S√©rgio Iba√Īez Nunes, Tarc√≠sio Versiane Filho
Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig) - 2010
Número: 1061 / Publicado em 17/03/2012 - 16:00

A apendicite aguda é a principal causa de abdome agudo, constituindo a apendicectomia a cirurgia de urgência mais comum no nosso meio. Além da apendicectomia, o tratamento local e sistêmico pode variar de acordo com o grau de evolução da doença.

Abrir arquivo em PDF

Protocolos Clínicos - 016 - Abordagem do Paciente em Síndrome de Abstinência Alcóolica: Diagnóstico, Avaliação e Tratamento.

Hugo Alejandro C. Prais, Ednei Ot√°vio Chagas E. Gomes, Helian Nunes de Oliveira.
Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig) - 2010
Número: 1060 / Publicado em 17/03/2012 - 16:00

A S√≠ndrome de Abstin√™ncia Alc√≥olica (SAA) √© um estigma da S√≠ndrome de Depend√™ncia Alc√≥olica (SDA), sendo um indicador da exist√™ncia de depend√™ncia, sinalizando consumo cr√īnico e abusivo,desencadeada quando o indiv√≠duo diminui ou cessa a ingest√£o abruptamente.

Abrir arquivo em PDF

Protocolos Clínicos - 015 - Manejo Hospitalar da Tuberculose.

Helena Rachel Weinreich, Guilherme Freire Garcia, T√Ęnia Maria Marcial.
Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig) - 2010
Número: 1059 / Publicado em 17/03/2012 - 16:00

No Brasil, √© alta a preval√™ncia de tuberculose. Na regi√£o metropolitana de Belo Horizonte, 37% dos casos foram diagnosticados na rede hospitalar. O Estado de Minas Gerais ocupa o 4¬ļ lugar em n√ļmero absoluto de casos de tuberculose e 24% dos casos foram diagnosticados em unidades hospitalares (SINAN-TB-SES de MG) . No Brasil 30 a 50% dos diagn√≥sticos de TB s√£o feitos no Hospital e 30% dos √≥bitos acontecem nos hospitais.

Abrir arquivo em PDF

Protocolos Clínicos - 014 - Uroginecologia.

Liv Braga de Paula.
Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig) - 2010
Número: 1058 / Publicado em 17/03/2012 - 16:01

A incontin√™ncia urin√°ria √© uma patologia cr√īnica cuja preval√™ncia aumenta com a idade da mulher, sendo fator limitante da atividade di√°ria com redu√ß√£o da qualidade de vida e impacto social negativo. √Č necess√°ria a correta identifica√ß√£o dos mecanismos das diversas formas cl√≠nicas para planejamento terap√™utico, espec√≠fico para cada condi√ß√£o.

Abrir arquivo em PDF

Protocolos Cl√≠nicos - 013 - Tratamento de Feridas Hospitalares I ‚Äď √ölceras por Press√£o.

Carlos Ant√īnio Suski Torres, Marcos Aur√©lio Fonseca.
Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig) - 2010
Número: 1057 / Publicado em 17/03/2012 - 16:01

As les√Ķes cut√Ęneas 1. √ļlceras por press√£o (UP) s√£o √°reas localizadas de isquemia e necrose tecidual, que se desenvolvem pela compress√£o prolongada dos tecidos moles entre proemin√™ncias √≥sseas e a superf√≠cie externa. Apresentam-se como altera√ß√Ķes locais tipo calor, eritema, sensibilidade local e, quando infectadas, com descarga purulenta e odor f√©tido.

Abrir arquivo em PDF

Portal Saúde Direta - Footer
Atualizado em
14/09/2020
Saude-Direta-Facebook Saude-Direta-LinkedIN Saude-Direta-Twitter