Profissionais: 7137
Prontuários: 513735

Protocolos/Algoritmos/Diretrizes/Fluxogramas

Advertência: Estes artigos e resumos são protegidos pela Lei de Direitos Autorais (Lei 9.610/98), sendo vedada a sua transcrição sem citação da fonte e a sua reprodução com finalidades comerciais sem autorização dos autores.

Adobe Acrobat Reader
É necessário o Adobe Acrobat Reader instalado.

Reconstrução do Ligamento Cruzado Anterior: Escolha do Enxerto.

Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia.
Projeto Diretrizes - Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina.
Número: 448 / Publicado em 09/03/2012 - 16:12

A cirurgia de reconstrução do Ligamento Cruzado Anterior (LCA) é comumente realizada na prática ortopédica. A escolha do melhor enxerto autólogo para a reconstrução do LCA, em joelhos com insuficiência deste ligamento, tem sido assunto de debate.

Abrir arquivo em PDF

Rastreamento do Sedentarismo em Adultos e Interven√ß√Ķes na Promo√ß√£o da Atividade F√≠sica na Aten√ß√£o Prim√°ria √† Sa√ļde.

Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade, Sociedade Brasileira de Clínica Médica, Sociedade Brasileira de Medicina do Esporte, Associação Brasileira de Medicina Física e Reabilitação
Projeto Diretrizes - Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina.
Número: 447 / Publicado em 09/03/2012 - 16:14

No Brasil, aproximadamente 70% dos adultos s√£o sedent√°rios; na cidade de Porto Alegre, 56% das mulheres e 37% dos homens t√™m esse perfil. Indiv√≠duos fisicamente ativos tem morbidade e mortalidade menor por diversas doen√ßas cr√īnicodegenerativas (c√Ęncer, diabetes tipo 2, hipertens√£o, doen√ßas cardiovasculares) do que indiv√≠duos sedent√°rios. Isto tamb√©m ocorre quando comparados indiv√≠duos com sobrepeso ou obesidade ativos com indiv√≠duos sedent√°rios com peso normal, sendo a atividade f√≠sica t√£o importante quanto a obesidade e o sobrepeso como preditores de mortalidade, pelo menos entre os homens. Os benef√≠cios da atividade f√≠sica, principalmente aqueles de intensidade moderada, s√£o observados em diversos estudos populacionais.

Abrir arquivo em PDF

Raquitismo Hipofosfatêmico Ligado ao X.

Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia.
Projeto Diretrizes - Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina.
Número: 446 / Publicado em 09/03/2012 - 16:15

O raquitismo hipofosfat√™mico ligado ao X √© considerado a causa mais comum de raquitismo heredit√°rio. Representa tamb√©m a etiologia mais freq√ľente dentre as doen√ßas heredit√°rias que causam aumento da perda renal de f√≥sforo.

Abrir arquivo em PDF

Obstrução Intestinal Neonatal: Diagnóstico e Tratamento.

Associa√ß√£o Brasileira de Cirurgia Pedi√°trica, Col√©gio Brasileiro de Cirurgi√Ķes, Col√©gio Brasileiro de Radiologia.
Projeto Diretrizes - Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina.
Número: 445 / Publicado em 09/03/2012 - 16:15

A obstru√ß√£o intestinal neonatal pode ser definida por aus√™ncia de elimina√ß√£o de mec√īnio, acompanhada de distens√£o abdominal progressiva e v√īmitos, ainda que at√© 30% das obstru√ß√Ķes apresentem elimina√ß√£o meconial nos primeiros dias.

Abrir arquivo em PDF

Obstrução Intestinal no Lactente e na Criança Maior: Diagnóstico e Tratamento.

Associa√ß√£o Brasileira de Cirurgia Pedi√°trica, Col√©gio Brasileiro de Radiologia, Col√©gio Brasileiro de Cirurgi√Ķes.
Projeto Diretrizes - Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina.
Número: 444 / Publicado em 09/03/2012 - 16:17

Obstru√ß√£o intestinal √© a oclus√£o da luz do intestino impedindo a passagem de seu conte√ļdo. Leva ao ac√ļmulo de gases e l√≠quidos ent√©ricos proximais √† obstru√ß√£o. L√≠quidos s√£o seq√ľestrados para dentro da luz e da parede intestinal, contribuindo para o aumento do grau de obstru√ß√£o. O represamento destes elementos e a sua eventual expuls√£o por meio de v√īmitos acarretam desidrata√ß√£o e hipovolemia. A perda de secre√ß√Ķes e a redu√ß√£o da volemia costumam levar √† acidose metab√≥lica. Quando mais alta a obstru√ß√£o, mais acentuada ser√£o as altera√ß√Ķes metab√≥licas.

Abrir arquivo em PDF

Ossifica√ß√Ķes Heterot√≥picas.

Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia.
Projeto Diretrizes - Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina.
Número: 443 / Publicado em 09/03/2012 - 16:17

O termo ossifica√ß√£o heterot√≥pica descreve a situa√ß√£o patol√≥gica em que h√° forma√ß√£o de tecido √≥sseo fora do esqueleto. Ela pode ocorrer como um fen√īmeno biol√≥gico, que surge ap√≥s trauma causado por acidente, tratamento cir√ļrgico, em pacientes neurol√≥gicos ou como um problema patol√≥gico causado por dist√ļrbios gen√©ticos bem evidentes.

Abrir arquivo em PDF

Osteoartrite (Artrose): Tratamento.

Sociedade Brasileira de Reumatologia.
Projeto Diretrizes - Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina.
Número: 442 / Publicado em 09/03/2012 - 16:18

A osteoartrite, doen√ßa articular degenerativa, artrose ou osteoartrose, como ainda √© conhecida no nosso meio, √© a doen√ßa reum√°tica mais prevalente entre indiv√≠duos com mais de 65 anos de idade. Estudos americanos apontam que mais de 50 milh√Ķes de pessoas apresentam hoje esta enfermidade. No Brasil, n√£o existem dados precisos sobre esta preval√™ncia.

Abrir arquivo em PDF

Osteomielite Hematogênica Aguda.

Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia, Associação Brasileira de Cirurgia da Mão, Colégio Brasileiro de Radiologia.
Projeto Diretrizes - Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina.
Número: 441 / Publicado em 09/03/2012 - 16:19

A osteomielite hematog√™nica aguda √© uma infec√ß√£o √≥ssea causada por germes piog√™nicos que se proliferam no tecido √≥sseo ap√≥s dissemina√ß√£o pela circula√ß√£o sang√ľ√≠nea.

Abrir arquivo em PDF

Osteoporose em Mulheres na Pós-Menopausa.

Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia e Sociedade Brasileira de Reumatologia.
Projeto Diretrizes - Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina.
Número: 440 / Publicado em 09/03/2012 - 16:20

Devido ao aumento na expectativa de vida das popula√ß√Ķes, a osteoporose √© atualmente reconhecida como importante quest√£o em termos de sa√ļde p√ļblica. Afeta indiv√≠duos de maior idade, sobretudo mulheres na p√≥s-menopausa. Uma mulher de 50 anos apresenta um risco de fratura osteopor√≥tica durante a vida de 17,5% para o colo do f√™mur, 15,6% para as v√©rtebras, 16% para o r√°dio distal, e de aproximadamente 40% em qualquer outro local do esqueleto. Importante destacar que microfraturas ocultas s√£o comuns em mulheres na p√≥s-menopausa e indicam um aumento no risco de tr√™s a cinco vezes de fraturas osteopor√≥ticas. A presen√ßa de uma fratura vertebral significa um risco de 20% a mais para ocorr√™ncia de nova fratura.

Abrir arquivo em PDF

Otite M√©dia Aguda na Inf√Ęncia: Diagn√≥stico.

Sociedade Brasileira de Pediatria Departamento de Otorrinolaringologia e Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facia,l Academia de Otorrinolaringologia Pediátrica.
Projeto Diretrizes - Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina.
Número: 439 / Publicado em 09/03/2012 - 16:21

Na presença de dor de ouvido, a probabilidade de a criança ter OMA, é 3,0 a 7,3 vezes maior, do que não ter (LR +: 3,0 a 7,3). Para prevalência de 20% de OMA, a dor de ouvido confere uma probabilidade pós-teste que varia de 43% a 65%. Quando há suspeita dos pais, a probabilidade de a criança ter OMA é 3,4 vezes maior.

Abrir arquivo em PDF

Portal Saúde Direta - Footer
Atualizado em
14/09/2020
Saude-Direta-Facebook Saude-Direta-LinkedIN Saude-Direta-Twitter