Profissionais: 7120
Prontuários: 505144

Protocolos/Algoritmos/Diretrizes/Fluxogramas

Advertência: Estes artigos e resumos são protegidos pela Lei de Direitos Autorais (Lei 9.610/98), sendo vedada a sua transcrição sem citação da fonte e a sua reprodução com finalidades comerciais sem autorização dos autores.

Adobe Acrobat Reader
É necessário o Adobe Acrobat Reader instalado.

Lúpus Eritematoso Sistêmico: Tratamento do Acometimento Sistêmico.

Sociedade Brasileira de Reumatologia.
Projeto Diretrizes - Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina.
Número: 408 / Publicado em 09/03/2012 - 16:58

Oito reumatologistas que trabalham em serviços que atendem grande número de pacientes com lúpus eritematoso sistêmico, alguns dos quais têm pesquisa e publicações científicas nesta área, foram convidados a participar do grupo de trabalho. Também foram convidados um nefrologista e uma dermatologista que atuam em grandes centros universitários, com grande experiência no atendimento destes pacientes. Todos se reuniram para discutir o tratamento das diferentes manifestações da doença, subdivididos em quatro grupos de trabalho, cada qual ficando responsável por buscar a melhor evidência para o tratamento de um ou mais comprometimentos da doença.

Abrir arquivo em PDF

Lúpus Eritematoso Sistêmico: Tratamento do Acometimento Cutâneo/Articular.

Sociedade Brasileira de Reumatologia.
Projeto Diretrizes - Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina.
Número: 407 / Publicado em 09/03/2012 - 16:59

O lúpus eritematoso sistêmico é uma doença inflamatória crônica, multissistêmica, de causa desconhecida e de natureza autoimune, caracterizada pela presença de diversos auto-anticorpos. Evolui com manifestações clínicas polimórficas, com períodos de exacerbações e remissões. De etiologia não esclarecida, o desenvolvimento da doença está ligado à predisposição genética e aos fatores ambientais, como luz ultravioleta e alguns medicamentos.

Abrir arquivo em PDF

Litotripsia Extracorpórea.

Sociedade Brasileira de Urologia.
Projeto Diretrizes - Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina.
Número: 406 / Publicado em 09/03/2012 - 17:00

A litotripsia extracorpórea por ondas de choque (LEOC) revolucionou a terapêutica da calculose urinária, transformando-se rapidamente na maior inovação tecnológica para o tratamento desta doença. No início, o seu uso foi limitado ao tratamento de cálculos renais; no entanto, os avanços na tecnologia destes equipamentos permitiram a aplicação desta modalidade não invasiva também em cálculos em todo o ureter.

Abrir arquivo em PDF

Litíase Urinária: Investigação Diagnóstica.

Sociedade Brasileira de Urologia.
Projeto Diretrizes - Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina.
Número: 405 / Publicado em 09/03/2012 - 17:01

Embora 90% dos cálculos urinários sejam opacos em radiografias abdominais, a sensibilidade para identificação prospectiva de cálculos é de apenas 50% a 60% e a especificidade é de cerca de 70%. Em torno de 10% dos cálculos são radiotransparentes nas radiografias convencionais.

Abrir arquivo em PDF

Litíase Urinária: Cirurgia Convencional (Aberta).

Sociedade Brasileira de Urologia.
Projeto Diretrizes - Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina.
Número: 404 / Publicado em 09/03/2012 - 17:02

A introdução da litotripsia extracorpórea por ondas de choque (LEOC) e o desenvolvimento da endourologia para a remoção de cálculos diminuiu, dramaticamente, o papel da cirurgia aberta, especialmente para procedimento de remoção de cálculos. A cirurgia aberta é, atualmente, um dos tratamentos menos comuns para a doença calculosa.

Abrir arquivo em PDF

Litíase Urinária: Aspectos Metabológicos em Adultos e Crianças.

Sociedade Brasileira de Urologia.
Projeto Diretrizes - Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina.
Número: 403 / Publicado em 09/03/2012 - 17:02

Apesar de muitos médicos de pacientes que apresentam litíase urinária entenderem que deva haver investigação, não existe unanimidade entre os especialistas.

Abrir arquivo em PDF

Litíase Urinária em Criança: Recomendações de Tratamento Intervencionista.

Sociedade Brasileira de Urologia.
Projeto Diretrizes - Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina.
Número: 402 / Publicado em 09/03/2012 - 17:05

A litíase urinária na criança está freqüentemente associada a distúrbios metabólicos, anomalias do trato genito-urinário ou infecção urinária. Dessa forma, esse grupo etário está mais predisposto a episódios recorrentes e a um número maior de intervenções e manipulações, o que justifica o uso de tratamentos minimamente invasivos.

Abrir arquivo em PDF

Litíase Urinária em Criança.

Sociedade Brasileira de Urologia.
Projeto Diretrizes - Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina.
Número: 401 / Publicado em 09/03/2012 - 17:04

A prevalência de litíase urinária na infância envolve apenas 2% a 3% dos casos de litíase em geral, sendo responsável por cerca de 1 em cada 1000 a 7000 casos de internação. Esses valores não são fixos para todos os países e, em cada um deles, podem variar de uma região para outra.

Abrir arquivo em PDF

Lesões Traumáticas da Coluna Torácica (T1-T9), Toracolombar (T10-L2) e Lombar (L3-L5).

Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia, Sociedade Brasileira de Neurocirurgia, Colégio Brasileiro de Radiologia.
Projeto Diretrizes - Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina.
Número: 400 / Publicado em 09/03/2012 - 17:06

Aproximadamente 90% de todas as fraturas da coluna vertebral estão localizadas na junção toracolombar, sendo que as fraturas tipo compressão (explosão) perfazem 20% dessas lesões.

Abrir arquivo em PDF

Lesões Traumáticas da Coluna Cervical (Cervical Alta – C1 e C2, e Cervical Baixa – C3 a C7).

Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia, Sociedade Brasileira de Neurocirurgia, Colégio Brasileiro de Radiologia.
Projeto Diretrizes - Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina.
Número: 399 / Publicado em 09/03/2012 - 17:07

As lesões da coluna cervical são cada vez mais freqüentes, em decorrência do número crescente de acidentes de alta energia. Existem várias classificações para as lesões da coluna cervical, sendo que as melhores preocuparam-se em identificar as lesões instáveis da coluna cervical. Desta forma, facilitam a decisão de tratamento e a definição do prognóstico dos pacientes.

Abrir arquivo em PDF

Portal Saúde Direta - Footer
Atualizado em
14/09/2020
Saude-Direta-Facebook Saude-Direta-LinkedIN Saude-Direta-Twitter