Profissionais: 7132
Prontuários: 511926

Protocolos/Algoritmos/Diretrizes/Fluxogramas

Advertência: Estes artigos e resumos são protegidos pela Lei de Direitos Autorais (Lei 9.610/98), sendo vedada a sua transcrição sem citação da fonte e a sua reprodução com finalidades comerciais sem autorização dos autores.

Adobe Acrobat Reader
É necessário o Adobe Acrobat Reader instalado.

Urologia Fundamental: Capítulo 35 - Urgências Urológicas: Escroto Agudo e Priapismo.

Adriano Fregonesi, Leonardo Oliveira Reis.
Sociedade Brasileira de Urologia - SBU 2010.
Número: 1575 / Publicado em 10/03/2012 - 18:16

Priapismo é uma condição rara e deve ser encarada como emergência, podendo resultar em disfunção erétil se o tratamento for protelado. A síndrome clínica de escroto agudo geralmente acomete homens jovens. No entanto, nosso conhecimento sobre essa condição é relativamente recente. Torção do cordão espermático foi reconhecida como entidade clínica há 150 anos e torção do apêndice testicular, há 75 anos.

Abrir arquivo em PDF

Urologia Fundamental: Capítulo 34 - Trauma Geniturinário.

José Cury, Giuliano B. Guglielmetti.
Sociedade Brasileira de Urologia - SBU 2010.
Número: 1574 / Publicado em 10/03/2012 - 18:16

Segundo o IBGE, a principal causa de morte em jovens é o traumatismo externo, que é também a terceira principal causa de morte na população brasileira em geral. Aproximadamente 3 a 10% dos indivíduos vítimas de trauma terão lesão no trato geniturinário, com mais acometimento do rim, seguido da bexiga, uretra e ureter, respectivamente.

Abrir arquivo em PDF

Urologia Fundamental: Capítulo 33 - Tuberculose Geniturinária.

Douglas Otto Verndl, Sidney Glina.
Sociedade Brasileira de Urologia - SBU 2010.
Número: 1573 / Publicado em 10/03/2012 - 18:15

O contato inicial √© sempre por via respirat√≥ria, com prolifera√ß√£o do bacilo e forma√ß√£o do complexo prim√°rio de Ghon (g√Ęnglio sat√©lite) e dissemina√ß√£o hematog√™nica aos diversos √≥rg√£os.

Abrir arquivo em PDF

Urologia Fundamental: Capítulo 32 - Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST).

Julio José Máximo de Carvalho, Homero Gustavo de Campos Guidi.
Sociedade Brasileira de Urologia - SBU 2010.
Número: 1572 / Publicado em 10/03/2012 - 18:15

Doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) caracterizam-se pela transmissão preferencial por meio do ato sexual.

Abrir arquivo em PDF

Urologia Fundamental: Capítulo 31 - Infecção Urinária (ITU).

José Alaor de Figueiredo.
Sociedade Brasileira de Urologia - SBU 2010.
Número: 1571 / Publicado em 10/03/2012 - 18:14

Infec√ß√£o urin√°ria pode ser definida como coloniza√ß√£o bacteriana da urina, que resulta em infec√ß√£o das estruturas do aparelho urin√°rio ‚Äď do rim ao meato uretral. Infec√ß√£o em estruturas adjacentes, como pr√≥stata, ves√≠culas seminais e epid√≠dimos, pode ser inclu√≠da nessa defini√ß√£o por estar em intimamente ligadas.

Abrir arquivo em PDF

Urologia Fundamental: Capítulo 30 - Fístulas Urogenitais (FUGs).

Fernando Gonçalves de Almeida, João Paulo Zambon.
Sociedade Brasileira de Urologia - SBU 2010.
Número: 1570 / Publicado em 10/03/2012 - 18:14

Didaticamente, fístulas urogenitais (FUGs) podem ser divididas em fístulas vesicovaginais (FVVs), fístulas ureterovaginais (FUVs), fístulas vesicuterinas (FVUs) e fístulas uretrovaginais (FURVs). Dentre todas as FUGs, FVVs são as mais comuns, com incidência que varia entre 0,3 a 2%.

Abrir arquivo em PDF

Urologia Fundamental: Capítulo 29 - Incontinência Urinária de Esforço (IUE).

Luis Augusto Seabra Rios, Herval Penalva Gomes.
Sociedade Brasileira de Urologia - SBU 2010.
Número: 1569 / Publicado em 10/03/2012 - 18:13

Incontin√™ncia urin√°ria de esfor√ßo (IUE) √© definida como perda involunt√°ria de urina durante esfor√ßo, pr√°tica de exerc√≠cio, ao tossir ou espirrar. Incontin√™ncia urin√°ria de urg√™ncia √© perda de urina precedida de urg√™ncia miccional, geralmente associada a polaci√ļria e a nict√ļria.

Abrir arquivo em PDF

Urologia Fundamental: Capítulo 28 - Bexiga Hiperativa (BH).

Rogério Simonetti Alves.
Sociedade Brasileira de Urologia - SBU 2010.
Número: 1568 / Publicado em 10/03/2012 - 18:13

Em 2002, a Sociedade Internacional de Contin√™ncia definiu que bexiga hiperativa (BH) √© uma s√≠ndrome caracterizada pelos sintomas de urg√™ncia urin√°ria com ou sem incontin√™ncia de urg√™ncia, geralmente acompanhada de aumento na frequ√™ncia miccional e nict√ļria, sem causa local ou metab√≥lica.

Abrir arquivo em PDF

Urologia Fundamental: Capítulo 27 - Bexiga Neurogênica (BN).

Fl√°vio Eduardo Trigo Rocha, Cristiano Mendes Gomes.
Sociedade Brasileira de Urologia - SBU 2010.
Número: 1567 / Publicado em 10/03/2012 - 18:12

Bexiga neurog√™nica (BN) √© um termo criado para descrever disfun√ß√Ķes v√©sico-esfincterianas que acometem portadores de doen√ßas do sistema nervoso central ou perif√©rico.

Abrir arquivo em PDF

Urologia Fundamental: Cap√≠tulo 26 - Avalia√ß√£o Urodin√Ęmica (EU).

Carlos Alberto Ricetto Sacomani.
Sociedade Brasileira de Urologia - SBU 2010.
Número: 1566 / Publicado em 10/03/2012 - 18:12

O exame urodin√Ęmico (EU) √© o m√©todo proped√™utico de elei√ß√£o para an√°lise funcional do trato urin√°rio inferior (TUI). Ele nos permite avaliar o comportamento vesical durante seu enchimento, e esvaziamento e, consequentemente, obter uma amostra do ciclo de mic√ß√£o do paciente.

Abrir arquivo em PDF

Portal Saúde Direta - Footer
Atualizado em
14/09/2020
Saude-Direta-Facebook Saude-Direta-LinkedIN Saude-Direta-Twitter