Profissionais: 7133
Prontuários: 512016

Protocolos/Algoritmos/Diretrizes/Fluxogramas

Advertência: Estes artigos e resumos são protegidos pela Lei de Direitos Autorais (Lei 9.610/98), sendo vedada a sua transcrição sem citação da fonte e a sua reprodução com finalidades comerciais sem autorização dos autores.

Adobe Acrobat Reader
É necessário o Adobe Acrobat Reader instalado.

Incontin√™ncia Urin√°ria de Esfor√ßo: Tratamento N√£o Cir√ļrgico e N√£o Farmacol√≥gico.

Sociedade Brasileira de Urologia.
Projeto Diretrizes - Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina.
Número: 383 / Publicado em 09/03/2012 - 17:20

A incontin√™ncia urin√°ria na mulher √© definida pela Sociedade Internacional de Contin√™ncia como qualquer perda de urina. O tratamento da incontin√™ncia urin√°ria de esfor√ßo historicamente tem sido cir√ļrgico, no entanto, apesar do comprometimento da qualidade de vida pelas perdas urin√°rias, algumas mulheres s√£o relutantes √† corre√ß√£o cir√ļrgica pelos riscos operat√≥rios e outras t√™m contra-indica√ß√Ķes anest√©sico-cir√ļrgicas.

Abrir arquivo em PDF

Incontinência Urinária de Esforço: Tratamento Farmacológico da Insuficiência Esfincteriana.

Sociedade Brasileira de Urologia.
Projeto Diretrizes - Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina.
Número: 382 / Publicado em 09/03/2012 - 17:20

A incontin√™ncia urin√°ria de esfor√ßo √© respons√°vel por 49% (variando de 24% a 75%) dos casos de incontin√™ncia urin√°ria que afetam a popula√ß√£o feminina entre 18 e 90 anos. V√°rias op√ß√Ķes terap√™uticas podem ser propostas para as pacientes, desde forros perineais, exerc√≠cios do assoalho p√©lvico, medicamentos e tratamento cir√ļrgico.

Abrir arquivo em PDF

Hirsutismo: Diagnóstico.

Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, Sociedade Brasileira de Dermatologia.
Projeto Diretrizes - Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina.
Número: 381 / Publicado em 09/03/2012 - 17:21

O hirsutismo √© definido como a presen√ßa de p√™los terminais na mulher, em √°reas anat√īmicas caracter√≠sticas de distribui√ß√£o masculina. Pode manifestar-se como queixa isolada, ou como parte de um quadro cl√≠nico mais amplo, acompanhado de outros sinais de hiperandrogenismo, viriliza√ß√£o, dist√ļrbios menstruais e/ou infertilidade.

Abrir arquivo em PDF

Hipotireoidismo Congênito.

Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia.
Projeto Diretrizes - Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina.
Número: 380 / Publicado em 09/03/2012 - 17:21

O hipotireoidismo cong√™nito representa uma das causas mais freq√ľentes de retardo mental, que pode ser prevenida com o diagn√≥stico precoce e tratamento adequado. Resulta de uma produ√ß√£o inadequada de horm√īnio tireoidiano decorrente de diversas causas.

Abrir arquivo em PDF

Hipopituitarismo: Tratamento.

Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, Sociedade Brasileira de Clínica Médica.
Projeto Diretrizes - Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina.
Número: 379 / Publicado em 09/03/2012 - 17:23

A hip√≥fise √© uma gl√Ęndula formada por v√°rios tipos celulares, cujos produtos de secre√ß√£o estimulam outras gl√Ęndulas end√≥crinas perif√©ricas a sintetizar e a secretar horm√īnios envolvidos em fun√ß√Ķes diversas, como crescimento, desenvolvimento neuropsicomotor, matura√ß√£o sexual, fertilidade, controle do gasto energ√©tico, regula√ß√£o do metabolismo de carboidratos, lip√≠deos e prote√≠nas, manuten√ß√£o do balan√ßo hidroeletrol√≠tico. A secre√ß√£o hormonal hipofis√°ria √© regulada por horm√īnios hipotal√Ęmicos e pelos horm√īnios produzidos pelas gl√Ęndulas end√≥crinas perif√©ricas.

Abrir arquivo em PDF

Hipopituitarismo: Diagnóstico.

Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, Sociedade Brasileira de Clínica Médica.
Projeto Diretrizes - Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina.
Número: 378 / Publicado em 09/03/2012 - 17:23

A hip√≥fise √© uma gl√Ęndula formada por v√°rios tipos celulares, cujos produtos de secre√ß√£o estimulam outras gl√Ęndulas end√≥crinas perif√©ricas a sintetizar e secretar horm√īnios envolvidos em fun√ß√Ķes diversas, como crescimento, desenvolvimento neuropsicomotor, matura√ß√£o sexual, fertilidade, controle do gasto energ√©tico, regula√ß√£o do metabolismo de carboidratos, lip√≠deos e prote√≠nas, manuten√ß√£o do balan√ßo hidroeletrol√≠tico. A secre√ß√£o hormonal hipofis√°ria √© regulada por horm√īnios hipotal√Ęmicos e pelos horm√īnios produzidos pelas gl√Ęndulas end√≥crinas perif√©ricas.

Abrir arquivo em PDF

Hipogonadismo Masculino Tardio (Andropausa): Tratamento.

Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia.
Projeto Diretrizes - Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina.
Número: 377 / Publicado em 09/03/2012 - 17:24

O uso da terapia de reposi√ß√£o androg√™nica em homens hipogon√°dicos est√° bem documentado, especialmente porque a restaura√ß√£o das concentra√ß√Ķes de testosterona nos limites normais mant√©m as caracter√≠sticas sexuais, a energia, o humor, o desenvolvimento de massa muscular e o aumento de massa √≥ssea. No entanto, a reposi√ß√£o hormonal no hipogonadismo masculino tardio permanece controversa.

Abrir arquivo em PDF

Hipogonadismo Masculino Tardio (Andropausa): Diagnóstico.

Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia.
Projeto Diretrizes - Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina.
Número: 376 / Publicado em 09/03/2012 - 17:24

Por muitos anos, estratégias de reposição hormonal focaram principalmente o tratamento de mulheres na menopausa. No entanto, o uso de terapia de reposição de testosterona para prevenir e tratar aspectos da andropausa ganhou o interesse de pesquisadores e clínicos. Esse fato coincide com a tendência de dados demográficos do envelhecimento, que mostram um aumento da porcentagem de homens mais velhos inclusive na América Latina.

Abrir arquivo em PDF

Os Ritmos da Vida: Uma Vis√£o Actualizada da Cronobiologia Aplicada.

Ana Rita Ac√ļrcio, Lu√≠s Monteiro Rodrigues.
Rev. Lus√≥fona de Ci√™ncias e Tecnologias da Sa√ļde, 2009; (6) 2: 216-234
Número: 375 / Publicado em 18/06/2012 - 08:54

As flutua√ß√Ķes ambientais, tais como o ciclo dia-noite, as esta√ß√Ķes do ano e as varia√ß√Ķes de temperatura e humidade, s√£o um desafio √† sobreviv√™ncia dos seres vivos, os quais desenvolveram mecanismos de ajustamento e adapta√ß√£o dos seus processos fisiol√≥gicos a essas varia√ß√Ķes c√≠clicas - o chamado Rel√≥gio End√≥geno. Este rel√≥gio percebe a varia√ß√£o temporal, √© regulado por diversos sincronizadores e, informa todo o organismo atrav√©s de sistemas humorais e neurais.

Abrir arquivo em PDF

Ritmos Biol√≥gicos: Entendendo as Horas, os Dias e as Esta√ß√Ķes do Ano.

Regina Pekelmann Markus, Eduardo José Mortani Barbosa Junior, Zulma Silva Ferreira.
einstein 2003; 1:148
Número: 374 / Publicado em 18/06/2012 - 08:56

Esta revis√£o tem por objetivo apresentar aos m√©dicos em geral os principais conceitos e a evolu√ß√£o no campo da cronobiologia. Este campo busca o entendimento de como os seres vivos manuseiam as recorr√™ncias temporais e como os diferentes organismos s√£o capazes de sincronizar as suas atividades a estas varia√ß√Ķes.

Abrir arquivo em PDF

Portal Saúde Direta - Footer
Atualizado em
14/09/2020
Saude-Direta-Facebook Saude-Direta-LinkedIN Saude-Direta-Twitter