Profissionais: 7132
Prontuários: 511932

Protocolos/Algoritmos/Diretrizes/Fluxogramas

Advertência: Estes artigos e resumos são protegidos pela Lei de Direitos Autorais (Lei 9.610/98), sendo vedada a sua transcrição sem citação da fonte e a sua reprodução com finalidades comerciais sem autorização dos autores.

Adobe Acrobat Reader
É necessário o Adobe Acrobat Reader instalado.

Rubéola: Sintomas, Transmissão e Prevenção

Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos)
Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz)
Número: 2725 / Publicado em 04/06/2013 - 08:36

A rub√©ola √© comumente confundida com outras doen√ßas, pois sintomas como dores de garganta e de cabe√ßa s√£o comuns a outras infec√ß√Ķes, dificultando seu diagn√≥stico. Apesar de n√£o ser grave, a rub√©ola √© particularmente perigosa na forma cong√™nita. Neste caso, pode deixar seq√ľelas irrevers√≠veis no feto como: glaucoma, catarata, malforma√ß√£o card√≠aca, retardo no crescimento, surdez e outras.

Abrir arquivo em PDF

Vacina Tríplice Viral

Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos)
Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz)
Número: 2723 / Publicado em 04/06/2013 - 08:26

Os ingredientes ativos da vacina trivalente são os vírus vivos atenuados do sarampo (cepa Schwarz), da rubéola (cepa Wistar RA27/3) e da caxumba (cepa RIT 4385 derivada da cepa Jeryl-Lynn), produzidos em substratos celulares e células diploides. Os bulks (concentrados virais) monovalentes de rubéola, sarampo e caxumba são misturados juntamente com volumes apropriados de excipientes e estabilizadores.

Abrir arquivo em PDF

Vacina Tetravalente Viral

Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos)
Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz)
Número: 2722 / Publicado em 04/06/2013 - 08:24

A vacina tetra viral √© recomendada em duas aplica√ß√Ķes, para crian√ßas de 12 meses e aos 4 anos de idade. At√© ent√£o, esse imunizante era importado e ofertado apenas na rede p√ļbica em caso de surtos ou campanhas espec√≠ficas, por meio de transfer√™ncia de tecnologia, o Brasil vai come√ßar a produzir a vacina contra varicela que combinar√° com a tr√≠plice viral.

Abrir arquivo em PDF

Vacina Contra Poliomielite

Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos)
Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz)
Número: 2721 / Publicado em 04/06/2013 - 08:23

A vacina utilizada no pa√≠s √© produzida por Bio-Manguinhos a partir do concentrado viral monovalente (bulk) importado, segundo as normas da Organiza√ß√£o Mundial de Sa√ļde (OMS). S√£o utilizadas as cepas de v√≠rus atenuados Sabin tipos I, II e III, propagadas em cultivo de c√©lula dipl√≥ide humana (MRC5).

Abrir arquivo em PDF

Vacina Contra Meningite A e C

Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos)
Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz)
Número: 2720 / Publicado em 04/06/2013 - 08:21

Existem vários sorogrupos da bactéria Neisseria meningitidis ou meningococo: A, B, C, Y e W-135 são os mais comuns. A prevalência de um ou outro sorotipo está associada a região geográfica.

Abrir arquivo em PDF

Vacina Contra Haemophilus influenzae tipo B (Hib)

Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos)
Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz)
Número: 2719 / Publicado em 04/06/2013 - 08:20

A vacina conjugada de Hib protege contra infec√ß√Ķes graves causadas pelo Haemophilus influenzae tipo b, como meningite e pneumonia.

Abrir arquivo em PDF

Vacina Contra Febre Amarela

Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos)
Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz)
Número: 2718 / Publicado em 04/06/2013 - 08:18

Bio-Manguinhos √© reconhecido internacionalmente como fabricante da vacina febre amarela (antiamar√≠lica). Desde 1937, as prepara√ß√Ķes vacinais s√£o obtidas em seus laborat√≥rios a partir da cepa atenuada 17D do v√≠rus da Febre Amarela, cultivada em ovos embrionados de galinha livres de agentes patog√™nicos, de acordo com as normas estabelecidas pela Organiza√ß√£o Mundial da Sa√ļde.

Abrir arquivo em PDF

Vacina DTP e Haemophilus influenzae b (Hib)

Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos)
Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz)
Número: 2717 / Publicado em 04/06/2013 - 08:10

A vacina combinada de DTP e Hib √© tamb√©m chamada tetravalente, j√° que protege, ao mesmo tempo, contra difteria, t√©tano, pertussis (coqueluche) e infec√ß√Ķes graves pelo Haemophilus influenzae tipo b.

Abrir arquivo em PDF

Calendário de Vacinação (a partir dos 20 anos de idade)

Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos)
Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz)
Número: 2716 / Publicado em 04/06/2013 - 08:06

Bio-Manguinhos √© o principal fornecedor de vacinas do Minist√©rio da Sa√ļde e sua produ√ß√£o √© feita a partir da previs√£o anual do Programa Nacional de Imuniza√ß√Ķes (PNI). A Secretaria de Vigil√Ęncia em Sa√ļde (SVS) coordena o PNI e define como ser√£o as estrat√©gias de utiliza√ß√£o de imunobiol√≥gicos segundo a previs√£o da taxa de natalidade brasileira do respectivo ano e a situa√ß√£o epidemiol√≥gica do pa√≠s. As vacinas demandadas pelo PNI s√£o produzidas em Bio-Manguinhos e transportadas em caminh√Ķes frigor√≠ficos para o Centro Nacional de Armazenamento e Distribui√ß√£o de Imunobiol√≥gicos (Cenadi), permanecendo em c√Ęmaras frias at√© a aprova√ß√£o dos lotes de vacinas e diluentes pelo Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Sa√ļde (INCQS). Uma vez liberados, o Cenadi envia lotes em caixas t√©rmicas para as coordena√ß√Ķes estaduais de sa√ļde, onde tamb√©m s√£o conservados em c√Ęmaras frias. Desta mesma forma, √© feito o transporte para as centrais regionais, onde as vacinas tamb√©m ficam armazenadas. L√°, os representantes dos postos de vacina√ß√£o retiram a quantidade necess√°ria para um determinado per√≠odo na regi√£o em que atuam.

Abrir arquivo em PDF

Calendário de Vacinação (de 11 aos 19 anos de idade)

Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos)
Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz)
Número: 2715 / Publicado em 04/06/2013 - 08:03

A partir de 2004, o PNI ampliou sua √°rea de atua√ß√£o junto √† popula√ß√£o brasileira e o Minist√©rio da Sa√ļde estabeleceu tr√™s calend√°rios obrigat√≥rios de vacina√ß√£o: o Calend√°rio B√°sico de Vacina√ß√£o da Crian√ßa, o Calend√°rio de Vacina√ß√£o do Adolescente e o Calend√°rio de Vacina√ß√£o do Adulto e Idoso. Estes calend√°rios determinam as vacinas, o n√ļmero de doses, a idade e o per√≠odo em que devem ser tomadas para garantir uma prote√ß√£o efetiva.

Abrir arquivo em PDF

Portal Saúde Direta - Footer
Atualizado em
14/09/2020
Saude-Direta-Facebook Saude-Direta-LinkedIN Saude-Direta-Twitter