Profissionais: 7136
Prontuários: 513456

Protocolos/Algoritmos/Diretrizes/Fluxogramas

Advertência: Estes artigos e resumos são protegidos pela Lei de Direitos Autorais (Lei 9.610/98), sendo vedada a sua transcrição sem citação da fonte e a sua reprodução com finalidades comerciais sem autorização dos autores.

Adobe Acrobat Reader
É necessário o Adobe Acrobat Reader instalado.

Protocolo de Profilaxia e Tratamentos de Eventos Tromboembólicos (TEV)

Disciplina de Anestesiologia, Dor e Medicina Intensiva
Universidade Federal de S√£o Paulo - Escola Paulista de Medicina
Número: 2234 / Publicado em 18/04/2012 - 08:32

A maioria dos pacientes admitidos em terapia intensiva (UTI) apresenta m√ļltiplos fatores de risco para tromboembolismo venoso (TEV), que precedem ou se desenvolvem durante a interna√ß√£o. O TEV engloba a trombose venosa profunda (TVP) e tromboembolismo pulmonar (TEP), complica√ß√Ķes freq√ľentes, mas pouco reconhecidas em pacientes graves.

Abrir arquivo em PDF

Protocolo de Síndrome Coronariana Aguda

Disciplina de Anestesiologia, Dor e Medicina Intensiva
Universidade Federal de S√£o Paulo - Escola Paulista de Medicina
Número: 2233 / Publicado em 18/04/2012 - 08:29

A ocorrência de IAM no peri-operatório (IAMPO) é um dos preditores mais importantes de morbi-mortalidade, a curto e longo prazos, em cirurgias não cardíacas. Entretanto, mais de 80% dos IAMPO são assintomáticos. Num mesmo estudo, não sendo monitorizados o eletrocardiograma e enzimas cardíacas, a incidência de IAMPO foi de 3,6%. Enquanto que, ao ser dosada rotineiramente a troponina, a incidência subiu para 12%.

Abrir arquivo em PDF

Protocolo de Status Asm√°tico

Disciplina de Anestesiologia, Dor e Medicina Intensiva
Universidade Federal de S√£o Paulo - Escola Paulista de Medicina
Número: 2232 / Publicado em 18/04/2012 - 08:25

A asma √© uma doen√ßa respirat√≥ria caracterizada pela inflama√ß√£o das vias a√©reas e conseq√ľente hiper-reatividade a uma ampla variedade de est√≠mulos. Esta hiper-reatividade conduz √† obstru√ß√£o das vias respirat√≥rias e paroxismos de tosse, dispn√©ia, opress√£o tor√°cica e sibilos respirat√≥rios. √Č uma doen√ßa epis√≥dica com exacerba√ß√Ķes agudas intercaladas por per√≠odos assintom√°ticos. Em terapia intensiva pode ser tanto a raz√£o da interna√ß√£o como um evento ocorrendo dentro do contexto de interna√ß√£o por outras causas. Seu tratamento representa, muitas vezes, um grande desafio.

Abrir arquivo em PDF

Protocolo de Monitora√ß√£o Hemodin√Ęmica

Disciplina de Anestesiologia, Dor e Medicina Intensiva
Universidade Federal de S√£o Paulo - Escola Paulista de Medicina
Número: 2231 / Publicado em 18/04/2012 - 08:23

A palavra monitora√ß√£o significa vigil√Ęncia. A monitora√ß√£o hemodin√Ęmica n√£o se limita somente a press√Ķes e d√©bito card√≠aco, √© muito mais abrangente envolvendo oxigena√ß√£o e metabolismo. A monitora√ß√£o do paciente grave deve ser realizada de maneira cuidadosa, pois todos os detalhes podem contribuir para a avalia√ß√£o e determina√ß√£o de condutas. O objetivo de monitorar o paciente √© adequar a perfus√£o e oxigena√ß√£o tecidual e celular. Todos os pacientes internados em unidade de terapia intensiva necessitam algum grau de monitora√ß√£o. Assim sendo, o estabelecimento dos passos a serem empregados √© fundamental.

Abrir arquivo em PDF

Protocolo de Atendimento ao Paciente no Pós-Operatório de Transplante Hepático

Disciplina de Anestesiologia, Dor e Medicina Intensiva
Universidade Federal de S√£o Paulo - Escola Paulista de Medicina
Número: 2230 / Publicado em 18/04/2012 - 08:19

O objetivo deste protocolo ser√° tra√ßar diretrizes gerais que orientem os cuidados no p√≥s-operat√≥rio de transplante hep√°tico, pois a identifica√ß√£o precoce de altera√ß√Ķes, associada √† imediata interven√ß√£o cl√≠nico-cir√ļrgica, constitui fator cr√≠tico no progn√≥stico do paciente. N√£o ser√£o discutidas as patologias hep√°ticas, as indica√ß√Ķes do transplante as t√©cnicas cir√ļrgicas e/ou procedimentos intra-operat√≥rios.

Abrir arquivo em PDF

Question√°rio de Hipertermia Maligna

Centro de Estudo, Diagnóstico e Intervenção em Hipertermia Maligna
Universidade Federal de S√£o Paulo - Escola Paulista de Medicina
Número: 2229 / Publicado em 18/04/2012 - 08:14

Questionário sobre Hipertermia Maligna elaborado pelo Centro de Estudo, Diagnóstico e Intervenção em Hipertermia Maligna.

Abrir arquivo em PDF

Protocolo de Diagnóstico, Tratamento e Prevenção da Hipertermia Maligna

Disciplina de Anestesiologia, Dor e Medicina Intensiva
Universidade Federal de S√£o Paulo - Escola Paulista de Medicina
Número: 2228 / Publicado em 18/04/2012 - 08:41

A Hipertermia Maligna (HM) é afecção hereditária e latente, caracterizada por resposta hipermetabólica aos anestésicos voláteis halogenados (halotano, enflurano, isoflurano, sevoflurano , desflurano) e succinilcolina.

Abrir arquivo em PDF

Protocolo de Sedação, Analgesia e Bloqueio Neuromuscular

Flavia Ribeiro Machado
http://www.anestesiologia.unifesp.br/protocolo_sedacao.pdf
Número: 2227 / Publicado em 18/04/2012 - 08:01

Sedação, analgesia e bloqueio neuromuscular são procedimentos de rotina na UTI, potencialmente associados a iatrogenias se feitos de forma inadequada. A grande maioria dos pacientes admitidos na UTI necessita de condutas relacionadas a esses tópicos durante sua internação.

Abrir arquivo em PDF

Cuidados Paliativos Oncológicos: Controle da Dor

Instituto Nacional de C√Ęncer - INCA
Minist√©rio da Sa√ļde - Rio de Janeiro - 2002
Número: 2226 / Publicado em 18/04/2012 - 07:56

O sucesso no tratamento da dor requer uma avalia√ß√£o cuidadosa de sua natureza, entendimento dos diferentes tipos e padr√Ķes de dor e conhecimento do melhor tratamento. A boa avalia√ß√£o inicial da dor ir√° atuar como uma linha de base para o julgamento de interven√ß√Ķes subseq√ľentes.

Abrir arquivo em PDF

Escala Multidimensional de Avaliação de Dor (EMADOR)

F√°tima Faleiros Sousa, Lilian Varanda Pereira, Roberta Cardos, Priscilla Hortense
Rev. Latino-Am. Enfermagem. jan-fev 2010;18(1)
Número: 2225 / Publicado em 18/04/2012 - 07:46

Os objetivos deste estudo foram elaborar escala de avaliação de dor e validá-la para a língua portuguesa.

Abrir arquivo em PDF

Portal Saúde Direta - Footer
Atualizado em
14/09/2020
Saude-Direta-Facebook Saude-Direta-LinkedIN Saude-Direta-Twitter