Profissionais: 7133
Prontuários: 512016

Protocolos/Algoritmos/Diretrizes/Fluxogramas

Advertência: Estes artigos e resumos são protegidos pela Lei de Direitos Autorais (Lei 9.610/98), sendo vedada a sua transcrição sem citação da fonte e a sua reprodução com finalidades comerciais sem autorização dos autores.

Adobe Acrobat Reader
É necessário o Adobe Acrobat Reader instalado.

Atualização do Consenso Brasileiro no Diagnóstico e Tratamento da Artrite Reumatóide.

Consenso Brasileiro de Doenças Reumåticas.
Temas de Reumatologia ClĂ­nica - Vol. 10 - NÂș 1 - Março de 2009.
Número: 994 / Publicado em 23/06/2012 - 21:44

A artrite reumatoide (AR) Ă© uma doença autoimune de etiologia desconhecida, caracterizada por poliartrite perifĂ©rica, simĂ©trica, que leva a deformidade e destruição das articulaçÔes em virtude de erosĂ”es Ăłsseas e da cartilagem. Afeta mulheres duas a trĂȘs vezes mais do que homens e sua prevalĂȘncia aumenta com a idade.

Abrir arquivo em PDF

Protocolo ClĂ­nico e Diretrizes TerapĂȘuticas: Artrite ReumatĂłide.

Portaria SAS/MS nÂș 865, de 05 de novembro de 2002.
MinistĂ©rio da SaĂșde.
Número: 993 / Publicado em 23/06/2012 - 21:44

Artrite reumatĂłide Ă© uma desordem auto-imune, de etiologia desconhecida, caracterizada por poliartrite perifĂ©rica, simĂ©trica, que leva a deformidade e destruição das articulaçÔes devido Ă  erosĂŁo da cartilagem e do osso. Quando apresenta envolvimento multissistĂȘmico, a morbidade e a gravidade da doença sĂŁo maiores. A maioria dos pacientes apresenta um curso clĂ­nico flutuante, com perĂ­odos de melhora e exacerbação dos sintomas articulares. A prevalĂȘncia estimada Ă© de 1%, com incidĂȘncia de 36:100.000 em mulheres e de 14:100.000 em homens.

Abrir arquivo em PDF

Protocolo ClĂ­nico e Diretrizes TerapĂȘuticas: Doença de Alzheimer.

Portaria SAS/MS nÂș 843, de 31 outubro de 2002.
MinistĂ©rio da SaĂșde.
Número: 992 / Publicado em 23/06/2012 - 21:45

SĂ­ndrome clĂ­nica decorrente de doença ou disfunção cerebral, usualmente de natureza crĂŽnica e progressiva, a demĂȘncia caracteriza-se pela perturbação de mĂșltiplas funçÔes cognitivas, incluindo memĂłria, atenção e aprendizado, pensamento, orientação, compreensĂŁo, cĂĄlculo, linguagem e julgamento. O comprometimento das funçÔes cognitivas Ă© comumente acompanhado, e ocasionalmente precedido, por deterioração do controle emocional, comportamento social ou motivação. A demĂȘncia produz um declĂ­nio apreciĂĄvel no funcionamento intelectual e interfere com as atividades do dia-a-dia, como higiene pessoal, vestimenta, alimentação, atividades fisiolĂłgicas e de toalete. A sobrevida mĂ©dia apĂłs o diagnĂłstico de demĂȘncia Ă© de 3,3 anos.

Abrir arquivo em PDF

Acidentes por Animais Peçonhentos: Serpentes Peçonhentas.

Marisa M. de Azevedo-Marques; Palmira Cupo & Sylvia Evelyn Hering.
Medicina, RibeirĂŁo Preto, 36: 480-489, abr./dez. 2003.
Número: 990 / Publicado em 23/06/2012 - 21:50

SĂŁo abordados aspectos da fisiopatologia, clĂ­nica e terapĂȘutica dos envenenamentos humanos, causados por serpentes peçonhentas dos gĂȘneros Bothrops, Crotalus e Micrurus, que ocorrem no sudeste do Brasil. Elaboração de diretrizes para o atendimento dos pacientes na U.E-HCFMRP-USP e reprodução dos princĂ­pios para a indicação de soroterapia antiveneno (SAV). Quando aplicada, a SAV deverĂĄ ser administrada por via intravenosa, gota a gota, sem diluição, precedida por drogas anti-histamĂ­nicas (anti H1 e anti H2) e corticĂłides, visando Ă  proteção contra possĂ­veis reaçÔes de hipersensibilidade e sem que sejam realizados testes cutĂąneos previamente.

Abrir arquivo em PDF

Acidentes por Animais Peçonhentos: EscorpiÔes e Aranhas.

Palmira Cupo; Marisa M. de Azevedo-Marques & Sylvia Evelyn Hering.
Medicina, RibeirĂŁo Preto, 36: 490-497, abr./dez.2003.
Número: 989 / Publicado em 23/06/2012 - 21:51

SĂŁo abordados aspectos da fisiopatologia, clĂ­nica e terapĂȘutica dos envenenamentos humanos, causados por escorpiĂ”es do gĂȘnero Tityus e aranhas do gĂȘneros Phoneutria e Loxosceles, encaminhados ao Centro de Controle de IntoxicaçÔes (CCI) da U.E.- HCFMRP USP. Quando indicada, a soroterapia antiveneno (SAV) especĂ­fica deverĂĄ obedecer ao roteiro de aplicação, descrito para os acidentes ofĂ­dicos.

Abrir arquivo em PDF

Protocolo de Cuidados de Feridas.

Secretaria Municipal de SaĂșde.
Prefeitura Municipal de FlorianĂłpolis - Julho, 2008.
Número: 988 / Publicado em 23/06/2012 - 21:52

Ferida Ă© qualquer lesĂŁo que interrompa a continuidade da pele. Pode atingir a epiderme a derme, tecido subcutĂąneo, fĂĄscia muscular, chegando a expor estruturas profundas. As feridas sĂŁo classificadas segundo diversos parĂąmetros, que auxiliam no diagnĂłstico, evolução e definição do tipo de tratamento, tais como cirĂșrgicas, traumĂĄticas e ulcerativas.

Abrir arquivo em PDF

Protocolo de AssistĂȘncia aos Portadores de Feridas.

GerĂȘncia de AssistĂȘncia – Coordenação de Atenção Ă  SaĂșde do Adulto e do Idoso.
Secretaria Municipal de SaĂșde - Prefeitura Municipal de Belo Horizonte - RevisĂŁo 2006.
Número: 987 / Publicado em 23/06/2012 - 21:53

Este protocolo visa a instrumentalizar as açÔes dos profissionais e sistematizar a assistĂȘncia a ser prestada ao portador de ferida, alĂ©m de fornecer subsĂ­dios para implementação desta assistĂȘncia.

Abrir arquivo em PDF

Protocolo ClĂ­nico e Diretrizes TerapĂȘuticas: Doença CelĂ­aca.

Secretaria de Atenção Ă  SaĂșde.
MinistĂ©rio da SaĂșde - 2009.
Número: 982 / Publicado em 23/06/2012 - 22:06

A Doença CelĂ­aca (DC) Ă© autoimune, causada pela intolerĂąncia permanente ao glĂșten - principal fração protĂ©ica presente no trigo, centeio, cevada e aveia - e que se expressa por enteropatia mediada por linfĂłcitos T, em indivĂ­duos geneticamente predispostos.

Abrir arquivo em PDF

Diretriz de Apoio ao Suporte Avançado de Vida em Cardiologia. CĂłdigo Azul - Registro de Ressuscitação - Normatização do Carro de EmergĂȘncia.

Jorge Ilha GuimarĂŁes.
Diretrizes e NormatizaçÔes da Sociedade Brasileira de Cardiologia.
Número: 979 / Publicado em 23/06/2012 - 22:10

Durante os Ășltimos 50 anos, com a introdução da ressuscitação cardiopulmonar (RCP), ocorreram muitos avanços no atendimento das emergĂȘncias cardiovasculares e no suporte avançado de vida em cardiologia. Essas intervençÔes tĂȘm contribuĂ­do para restaurar a circulação e melhorar a sobrevivĂȘncia de vĂ­timas de paradas cardiorrespiratĂłrias.

Abrir arquivo em PDF

Protocolo de Atendimento e Acompanhamento Nutricional PediĂĄtrico por NĂ­veis Assistenciais.

Cristina Toscani Leal Dornelles, Carla Silveira, Luciane Beitler Cruz, Lilia Refosco, Miriam Simon, Tatiana Maraschin.
Rev HCPA 2009;29(3):229-238
Número: 978 / Publicado em 23/06/2012 - 22:12

Descreve um protocolo de atendimento e acompanhamento nutricional atravĂ©s de nĂ­veis assistenciais em pediatria, para sistematizar e otimizar a assistĂȘncia nutricional das crianças e adolescentes hospitalizados.

Abrir arquivo em PDF

Portal Saúde Direta - Footer
Atualizado em
14/09/2020
Saude-Direta-Facebook Saude-Direta-LinkedIN Saude-Direta-Twitter