Profissionais: 7136
Prontuários: 513118

Protocolos/Algoritmos/Diretrizes/Fluxogramas

Advertência: Estes artigos e resumos são protegidos pela Lei de Direitos Autorais (Lei 9.610/98), sendo vedada a sua transcrição sem citação da fonte e a sua reprodução com finalidades comerciais sem autorização dos autores.

Adobe Acrobat Reader
É necessário o Adobe Acrobat Reader instalado.

Abordagem da Crise Convulsiva Aguda e Estado de Mal Epiléptico em Crianças.

Erasmo Barbante Casella, Cristina M.F. M√Ęngia.
Jornal de Pediatria - Vol. 75, Supl.2, 1999.
Número: 1525 / Publicado em 21/06/2012 - 09:25

Os autores realizaram uma revis√£o atualizada sobre o diagn√≥stico e o tratamento das convuls√Ķes agudas e do estado de mal epil√©ptico.

Abrir arquivo em PDF

Fissura Anal - Parte II Abordagem Pr√°tica.

Pedro Amaro, Alexandre Duarte.
Rev Port Coloproct. 2009; 6(1): 30-32.
Número: 1524 / Publicado em 21/06/2012 - 09:26

A patologia ano-rectal benigna √© motivo frequente de recurso a cuidados m√©dicos, sendo a fissura anal uma das etiologias mais prevalentes e que ami√ļde √© desvalorizada e inadequadamente tratada. O aparecimento de novas op√ß√Ķes terap√™uticas suportadas por novos conceitos fisiopatol√≥gicos veio modificar os algoritmos de tratamento desta afec√ß√£o e motivar a publica√ß√£o recente de recomenda√ß√Ķes por algumas sociedades m√©dicas internacionais.

Abrir arquivo em PDF

Fissura Anal - Parte I Fundamentos Teóricos.

Pedro Amaro, Alexandre Duarte.
Rev Port Coloproct. 2009; 6(1): 30-32.
Número: 1523 / Publicado em 21/06/2012 - 09:27

A patologia ano-rectal benigna √© motivo frequente de recurso a cuidados m√©dicos, sendo a fissura anal uma das etiologias mais prevalentes e que ami√ļde √© desvalorizada e inadequadamente tratada. O aparecimento de novas op√ß√Ķes terap√™uticas suportadas por novos conceitos fisiopatol√≥gicos veio modificar os algoritmos de tratamento desta afec√ß√£o e motivar a publica√ß√£o recente de recomenda√ß√Ķes por algumas sociedades m√©dicas internacionais.

Abrir arquivo em PDF

Resistência e Refratariedade no Transtorno Obsessivo-Compulsivo (TOC).

Ferr√£o YA et al.
Rev Bras Psiquiatr. 2007
Número: 1522 / Publicado em 21/06/2012 - 09:28

O objetivo desta revisão da literatura é avaliar os conceitos e critérios de resistência e refratariedade ao tratamento, abordar os aspectos intrínsecos e extrínsecos à fenomenologia descritiva do transtorno obsessivo-compulsivo que possam influenciar a resposta aos tratamentos convencionais preconizados, e propor um fluxo de alternativas terapêuticas para casos resistentes e refratários às diversas abordagens.

Abrir arquivo em PDF

Trombose Venosa Profunda (TVP).

Aldemar Araujo Castro
http://www.lava.med.br/livro
Número: 1521 / Publicado em 21/06/2012 - 09:32

A n√£o classifica√ß√£o do risco de trombose venosa profunda e/ou embolismo pulmonar de todos os doentes hospitalizados, a aus√™ncia de profilaxia adequada nos doentes, o diagn√≥stico por vezes n√£o t√£o √≥bvio e simples, resultam, por vezes, no tratamento de doentes que n√£o t√™m trombose venosa profunda ou no n√£o tratamento de que a tem. Qualquer uma das duas situa√ß√Ķes devem ser evitadas.

Abrir arquivo em PDF

Doença de Berger: Proposta de Algoritmo Terapêutico e Factores Preditivos de Insuficiência Renal Crónica (IRC).

Pedro Pessegueiro et al.
Acta Médica Portuguesa 2003; 16:261-266.
Número: 1520 / Publicado em 18/03/2012 - 17:52

A doença de Berger, definida como uma nefropatia glomerular por deposição de imuno-complexos antiimunoglobulina A e G, tornou-se actualmente na glomerulonefrite mais frequente no mundo, atingindo 1,3% da população, com pico de incidência nos jovens adultos do sexo masculino.

Abrir arquivo em PDF

Recomenda√ß√Ķes para o Tratamento do Acidente Vascular Cerebral Isqu√©mico (AVC) e do Acidente Isqu√©mico Transit√≥rio (AIT).

Executive Committee and the ESO Writing Committee - 2008.
The European Stroke Organization (ESO).
Número: 1519 / Publicado em 21/06/2012 - 09:34

Estas recomenda√ß√Ķes abrangem tanto acidentes vasculares cerebrais (AVC) isqu√©micos como acidentes isqu√©micos transit√≥rios (AIT), que s√£o agora considerados como uma √ļnica entidade. Se as recomenda√ß√Ķes diferirem para as duas condi√ß√Ķes, tal ser√° explicitamente mencionado, caso contr√°rio as recomenda√ß√Ķes s√£o v√°lidas para ambas as condi√ß√Ķes.

Abrir arquivo em PDF

Tratamento Farmacológico do Transtorno de Personalidade Limítrofe (TPL): Revisão Crítica da Literatura e Desenvolvimento de Algoritmos.

André F. Carvalho, Cristiane B. Stracke, Fábio G. de Matos e Souza.
R. Psiquiatr. RS, 26'(2): 176-189, mai./ago. 2004.
Número: 1518 / Publicado em 18/03/2012 - 17:46

O transtorno de personalidade lim√≠trofe (TPL) √© um diagn√≥stico cl√≠nico que engloba uma vasta gama de apresenta√ß√Ķes. As manifesta√ß√Ķes da s√≠ndrome podem ser agrupadas em tr√™s n√ļcleos sintom√°ticos, a saber: 1) sintomas afetivos, que incluem estados afetivos flutuantes, como depress√£o, raiva e hostilidade; 2) distor√ß√Ķes perceptuais e cognitivas, como del√≠rios de refer√™ncia, idea√ß√£o paran√≥ide, ilus√Ķes e fen√īmenos dissociativos; e 3) comportamentos agressivos e impulsivos, como automutila√ß√£o, agress√£o f√≠sica e verbal a terceiros, comportamento suicida, uso abusivo de drogas e promiscuidade.

Abrir arquivo em PDF

Síndrome das Pernas Inquietas (SPI).

Flávio Alóe, Stella Márcia Azevedo Tavares.
Rev Neurocienc 2006; 14(4):204-213.
Número: 1517 / Publicado em 18/03/2012 - 17:45

A s√≠ndrome das pernas inquietas (SPI) √© ainda uma condi√ß√£o m√©dica relativamente desconhecida da classe m√©dica. A introdu√ß√£o oficial dos agentes dopamin√©rgicos como primeira escolha no tratamento proporcionou uma conscientiza√ß√£o a respeito da SPI. Apesar disso, o diagn√≥stico correto e o tratamento podem demorar causando anos de sofrimento. √ą importante pesquisar e tratar as causas prim√°ria da SPI e de comorbidades como depress√£o e polineuropatia. Tratamento de casos resistentes, efeitos colaterais como a expans√£o podem ser minimizados a partir do conhecimento dos detalhes de algoritmo do tratamento e seguimento m√©dico.

Abrir arquivo em PDF

Tratamento Farmacol√≥gico do Transtorno Bipolar na Inf√Ęncia e Adolesc√™ncia (THB).

Luis Augusto Rohde, Silz√° Tramontina.
Rev. Psiq. Clín. 32, supl 1; 117-127, 2005.
Número: 1516 / Publicado em 18/03/2012 - 17:49

A maioria dos estudos sobre transtorno de humor bipolar (THB) em crianças e adolescentes foi realizada nos Estados Unidos e Canadá. Poucos estudos epidemiológicos têm examinado a prevalência e/ou a incidência do THB em crianças e adolescentes. Há controvérsias em torno dos sintomas apresentados por crianças e adolescentes e o correto diagnóstico do THB nesta faixa etária.

Abrir arquivo em PDF

Portal Saúde Direta - Footer
Atualizado em
14/09/2020
Saude-Direta-Facebook Saude-Direta-LinkedIN Saude-Direta-Twitter