Profissionais: 7133
Prontuários: 512016

Protocolos/Algoritmos/Diretrizes/Fluxogramas

Advertência: Estes artigos e resumos são protegidos pela Lei de Direitos Autorais (Lei 9.610/98), sendo vedada a sua transcrição sem citação da fonte e a sua reprodução com finalidades comerciais sem autorização dos autores.

Adobe Acrobat Reader
É necessário o Adobe Acrobat Reader instalado.

Capsaicina T√≥pica para Neuropatia Cr√īnica em Adultos

Derry S, Rice ASC, Cole P, Tan T, Moore RA.
Cochrane Database of Systematic Reviews 2013, Issue 2.
Número: 2746 / Publicado em 05/08/2013 - 08:28

Cremes t√≥picos com capsaicina s√£o usados para tratar a dor de uma grande variedade de condi√ß√Ķes cr√īnicas, incluindo a dor neurop√°tica. Ap√≥s a aplica√ß√£o na pele a capsaicina provoca o aumento da sensibilidade a est√≠mulos nocivos, seguido de um per√≠odo com sensibilidade reduzida e, ap√≥s aplica√ß√Ķes repetidas, dessensibiliza√ß√£o persistente. H√° incertezas sobre a efic√°cia e tolerabilidade da capsaicina para o tratamento de neuropatias dolorosas cr√īnicas.

Abrir arquivo em PDF

Anti-inflamatórios não Esteroides (AINS) tópicos para Dor Musculoesquelética em Adultos

Derry S, Moore RA, Rabbie R.
Cochrane Database of Systematic Reviews 2012, Issue 9.
Número: 2745 / Publicado em 05/08/2013 - 08:25

Os anti-inflamat√≥rios n√£o-ester√≥ides (AINEs) s√£o geralmente tomadas por via oral, mas s√£o tamb√©m dispon√≠veis em prepara√ß√£o t√≥pica para ser aplicada sobre a pele de uma articula√ß√£o dolorosa, normalmente afetada por artrite, com o objetivo de aliviar a dor no local . Os AINEs t√≥picos s√£o amplamente utilizados em algumas partes do mundo para condi√ß√Ķes dolorosas agudas e cr√īnicas, mas n√£o s√£o universalmente aceitos at√© recentemente. Um dos problemas era o fato dos estudos cl√≠nicos mais antigos serem geralmente curtos, com dura√ß√£o de quatro semanas ou menos, e estudos de curta dura√ß√£o n√£o s√£o considerados adequados para avalia√ß√£o de condi√ß√Ķes dolorosas.

Abrir arquivo em PDF

Expectativas Positivas em Rela√ß√£o ao Uso do √Ālcool e ao Beber com Embriaguez: Diferen√ßas de G√™nero em Estudo do Projeto GENACIS, S√£o Paulo, Brasil

CISA - Centro de Informa√ß√Ķes sobre Sa√ļde e √Ālcool
http://www.cisa.org.br
Número: 2744 / Publicado em 18/07/2013 - 09:12

Estudo mostra que homens bebem mais no padrão intenso e episódico e se assemelham às mulheres quanto às expectativas dos efeitos do consumo do álcool.

Abrir arquivo em PDF

Diretrizes Práticas da Infectious Diseases Society of America: Staphylococcus aureus Resistentes à Meticilina - MRSA (em português)

Catherine Liu et als
Clinical Infectious Diseases ; 2011 ; 52 : e18 -e55
Número: 2743 / Publicado em 29/08/2013 - 09:46

Estas diretrizes baseadas em evid√™ncias para o manejo de infec√ß√Ķes por Staphylococcus aureus resistentes √† meticilina (MRSA) foram preparadas por um grupo de especialistas da Infectious Diaseases Society of America (IDSA). As diretrizes destinam-se a profissionais de sa√ļde que atendem a pacientes adultos e crian√ßas com infec√ß√Ķes por MRSA. Elas discutem o manejo de v√°rias s√≠ndromes cl√≠nicas associadas √† doen√ßa por MRSA, inclusive as infec√ß√Ķes de pele e partes moles (IPPM), a bacteremia e a endocardite, a pneumonia, as infec√ß√Ķes √≥sseas e articulares e do sistema nervoso central (SNC). S√£o feitas recomenda√ß√Ķes quanto √† dosagem e monitoramento da vancomicina, ao manejo das infec√ß√Ķes por cepas de MRSA com susceptibilidade reduzida √† vancomicina e das falhas terap√™uticas da vancomicina.

Abrir arquivo em PDF

I Diretriz de Preven√ß√£o da Aterosclerose na Inf√Ęncia e Adolesc√™ncia

Giuliano, I.C.B., Caramelli, B., Pellanda, L., Duncan, B.,Mattos, S., Fonseca, F.A.H.
Sociedade Brasileira de Cardiologia
Número: 2742 / Publicado em 10/06/2013 - 10:02

Atualmente, sabemos que √© poss√≠vel obter uma redu√ß√£o na incid√™ncia de complica√ß√Ķes da aterosclerose com a ado√ß√£o de um estilo de vida saud√°vel e com o tratamento medicamentoso. N√£o h√° consenso, entretanto, em que fase da vida e de que forma a preven√ß√£o deve ser implantada. Na medida em que foram sendo compreendidos os mecanismos de origem e desenvolvimento da doen√ßa ateroscler√≥tica, foi se formando o conceito de que este tratamento deve come√ßar na inf√Ęncia. Ao inv√©s de substituir o racioc√≠nio cl√≠nico esta diretriz pretende complement√°-lo, tornando-se uma refer√™ncia para o estabelecimento de estrat√©gias individuais e populacionais no controle dos fatores de risco para aterosclerose na inf√Ęncia e adolesc√™ncia.

Abrir arquivo em PDF

Atividade F√≠sica e Sa√ļde na Inf√Ęncia e Adolesc√™ncia

José Kawazoe Lazzoli e colaboradores
Rev Bras Med Esporte Vol. 4, N¬ļ 4 ‚Äď Jul/Ago, 1998
Número: 2741 / Publicado em 10/06/2013 - 09:45

Este documento, elaborado por m√©dicos especialistas em exerc√≠cio e esporte, baseia-se em conceitos cient√≠ficos e na experi√™ncia cl√≠nica, tendo como objetivos: 1) estabelecer os benef√≠cios da atividade f√≠sica na crian√ßa e no adolescente; 2) caracterizar os elementos de avalia√ß√£o e prescri√ß√£o do exerc√≠cio para a sa√ļde nessa faixa et√°ria; 3) estimular a recomenda√ß√£o e a pr√°tica da atividade f√≠sica nas crian√ßas e adolescentes, mesmo na presen√ßa de doen√ßas cr√īnicas, visto que s√£o raras as contra-indica√ß√Ķes absolutas.

Abrir arquivo em PDF

Anafilaxia: Diagnóstico

Associação Brasileira de Alergia e Imunopatologia & Sociedade Brasileira de Anestesiologia
Rev. Assoc. Med. Bras. 2013, vol.59, n.1, pp. 7-17
Número: 2740 / Publicado em 07/06/2013 - 11:19

A anafilaxia √© conceituada como uma rea√ß√£o al√©rgica aguda grave, de in√≠cio s√ļbito e evolu√ß√£o r√°pida, e que √© potencialmente fatal. Os √≥rg√£os-alvo envolvidos incluem pele e mucosas (80% a 90% dos epis√≥dios), aparelho respirat√≥rio (70% dos epis√≥dios), trato gastrointestinal (30% a 40%), sistema cardiovascular (10% a 45%) e sistema nervoso central em 10% a 15% dos epis√≥dios.

Abrir arquivo em PDF

Protocolo Clínico da Degeneração Macular Relacionada à Idade (DMRI) - Protocolo de Lucentis

Secretaria de Estado de Sa√ļde do Distrito Federal
Distrito Federal - 2009
Número: 2739 / Publicado em 07/06/2013 - 11:10

A DMRI, juntamente com a catarata e retinopatia diabética, é uma das principais causas de cegueira legal em pessoas maiores de 50 anos, representando hoje, a terceira maior causa de cegueira legal no mundo.

Abrir arquivo em PDF

Protocolo Clínico de Anafilaxia

Secretaria de Estado de Sa√ļde do Distrito Federal
Distrito Federal - 2009
Número: 2738 / Publicado em 07/06/2013 - 11:01

Anafilaxia √© uma rea√ß√£o imunol√≥gica sist√™mica de hipersensibilidade imediata conseq√ľente da intera√ß√£o entre o ant√≠geno e o anticorpo IgE fixado em bas√≥filos e mast√≥citos. A rea√ß√£o √© chamada de anafilact√≥ide quando n√£o depende da rea√ß√£o entre ant√≠geno e IgE, mas apresenta outros mecanismos, imunol√≥gicos ou n√£o cujas manifesta√ß√Ķes cl√≠nicas s√£o semelhantes √†s da anafilaxia.

Abrir arquivo em PDF

Protocolo Clínico sobre Alergia Alimentar

Secretaria de Estado de Sa√ļde do Distrito Federal
Distrito Federal - 2009
Número: 2737 / Publicado em 07/06/2013 - 10:58

Alergia alimentar √© um termo utilizado para descrever rea√ß√Ķes adversas a alimentos, dependentes de mecanismos imunol√≥gicos, IgE mediados ou n√£o.

Abrir arquivo em PDF

Portal Saúde Direta - Footer
Atualizado em
14/09/2020
Saude-Direta-Facebook Saude-Direta-LinkedIN Saude-Direta-Twitter