Profissionais: 6927
Prontuários: 430184

Esqueceu a senha? Cadastro da senha

Portal Saude Direta - Busca Palavra

BUSCA POR PALAVRA

POSTAGENS ANTERIORES

TAGS CLOUD

Protocolos - Algoritmos - Diretrizes - Fluxogramas

Baixar o Adobe Acrobat Reader
Para visualizar os conteúdos abaixo é necessário ter o Adobe Acrobat Reader instalado.

Advertência: Estes artigos e resumos são protegidos pela Lei de Direitos Autorais (Lei 9.610/98), sendo vedada a sua transcrição sem citação da fonte e a sua reprodução com finalidades comerciais sem autorização dos autores.

Algoritmo de Investigação das Adenomegalias.

João Espírito Santo, Luís Brito Avô, Manuel Ferreira Gomes.
Update em Medicina 2011.
Número: 1441 / Publicado em 22/06/2012 - 08:32

Algoritmos de diagnóstico e condutas ambulatoriais e hospitalares de adenomegalias. Descrição de casos exemplos.

Abrir arquivo em PDF

Febre Aguda Sem Sinais de Localização em Crianças Menores de 36 meses de Idade.

Eliana de Andrade Trotta, Alfredo Elias Gilio.
Jornal de Pediatria - Vol. 75, Supl.2, 1999.
Número: 1439 / Publicado em 22/06/2012 - 08:35

Crianças febris são responsáveis por uma proporção importante de visitas a ambulatórios pediátricos, sendo a maioria menor que 3 anos de idade. Ao primeiro exame, pode não haver diferença na aparência clínica de uma criança com doença viral, bacteremia oculta ou infecção bacteriana grave. Os autores apresentam as recomendações e os protocolos citados na literatura para auxiliar os médicos no manejo de lactentes e crianças com febre aguda sem sinais de localização.

Abrir arquivo em PDF

Reações Transfusionais Tardias Não-Infecciosas - Diagnóstico Diferencial, Algoritmos de Investigação e Incidência.

Youko Nukui.
Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo.
Número: 1438 / Publicado em 22/06/2012 - 08:36

Algoritmos e diagramas diagnósticos.

Abrir arquivo em PDF

Algoritmo para Classificação das Notificações de Casos de Gripe A (H1N1).

Roberto Dusi, Lívia Sant’anna, Rosa Mossri, Adarc Flor, Ana Maria, Sueli Sabino, Rosilene Rodrigues, Suzana Ilha, Rosana Campos, Janilce Guedes, Priscila Evangelho, Diva Castelo Branco.
Gerência de Vigilância Epidemiológica e Imunização - DIVEP - Secretaria de Saúde do DF - 2009.
Número: 1437 / Publicado em 22/06/2012 - 08:38

Fluxogramas de Notificação.

Abrir arquivo em PDF

Efeitos da Utilização de Prebióticos (Oligossacarídeos) na Saúde da Criança.

Elisabete Millani, Tulio Konstantyner, José Augusto de A. C. Taddei.
Rev Paul Pediatr 2009;27(4):436-46.
Número: 1413 / Publicado em 22/06/2012 - 09:03

Os oligossacarídeos prebióticos em produtos alimentares demonstraram efeitos benéficos quanto ao aumento do número total de bifidobactérias, redução do número de microorganismos patogênicos no intestino e melhora da consistência das fezes e frequência das evacuações. Tais efeitos sugerem a recomendação de seu uso em crianças constipadas. Foram verificados resultados benéficos em diversos estudos quanto ao menor desenvolvimento de alergias, infecções respiratórias, febre, irritabilidade, flatulência, diarreia, regurgitação, vômito, cólica e choro, menor uso de antibióticos e melhora nas características de fermentação de ácidos graxos e pH fecal. Apesar dos prebióticos parecerem promissores e oferecerem efeitos benéficos em determinadas situações, alguns aspectos duvidosos devem ser investigados de forma a avaliar o real efeito e segurança de sua utilização em curto e longo prazo, a fim de comprovar a ausência de consequências prejudiciais à saúde da criança.

Abrir arquivo em PDF

Existe a Constipação após Histerectomia ? Avaliação Clínica e Manométrica.

Maria Auxiliadora Prolungatti Cesar e Cols.
Rev bras Coloproct, 2010;30(2): 191-198.
Número: 1412 / Publicado em 22/06/2012 - 09:04

Os autores encontraram a presença de evacuação incompleta que não ocorria no pós-operatório. Não foram encontradas alterações manométricas e duas pacientes apresentaram dor abdominal à distensão da ampola retal na aferição do volume máximo tolerável. Conclusões: Os achados deste estudo sugerem que alterações intestinais ocorrem após a histerectomia e são principalmente relacionadas ao reto.

Abrir arquivo em PDF

A Declaração de Óbito: Documento Necessário e Importante.

Série A. Normas e Manuais Técnicos.
Ministério da Saúde / Conselho Federal de Medicina - 2009.
Número: 1403 / Publicado em 29/01/2013 - 22:18

Para além dos aspectos jurídicos que encerra, a declaração de óbito é um instrumento imprescindível para a construção de qualquer tipo de planejamento de saúde. E uma política de saúde adequada pode significar a diferença entre a vida e a morte para muitas pessoas.

Abrir arquivo em PDF

Educação Profissional Básica para Agentes Indígenas de Saúde. Módulo Promovendo a Saúde e Prevenindo DST/Aids.

Fundação Nacional de Saúde (Funasa).
Ministério da Saúde, Brasília – DF - 2005.
Número: 1397 / Publicado em 22/06/2012 - 09:18

O Módulo Promovendo a Saúde e Prevenindo as DST/AIDS busca qualificar os Agentes Indígenas de Saúde (AIS), para atuarem em suas comunidades identificando os problemas de saúde relacionados às DST/AIDS e hepatites virais de transmissão sexual e hematogênica, decorrentes das mudanças do perfil epidemiológico nas comunidades indígenas.

Abrir arquivo em PDF

Alimentação Saudável para a Pessoa Idosa. Um manual para Profissionais de Saúde.

Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica.
Ministério da Saúde, Brasília – DF - 2009.
Número: 1395 / Publicado em 22/06/2012 - 09:21

De acordo com o Guia Alimentar para a População Brasileira, uma alimentação saudável deve ser acessível do ponto de vista físico e financeiro, variada, referenciada pela cultura alimentar, harmônica em quantidade e qualidade, naturalmente colorida e segura sanitariamente.

Abrir arquivo em PDF

Guia sobre Saúde Mental em Reprodução Humana.

Cilly de Almeida P. de Carvalho, Débora Seibel, Maria Yolanda Makuch, Vera Daher Maluf.
Sociedade Brasileira de Reprodução Humana.
Número: 1390 / Publicado em 22/06/2012 - 09:25

Nossa experiência no atendimento de casais inférteis aponta cada vez mais para a importância de um olhar voltado para a repercussão psíquica do fenômeno médico da infertilidade. Nesse sentido, o impacto emocional sentido pelos casais que tentam conceber naturalmente e não conseguem, tem sido assunto de inúmeros estudos no recente campo da psicologia dentro da Medicina Reprodutiva.

Abrir arquivo em PDF

Footer - v1.3
Atualizado em
04/09/2019
Saude-Direta-Facebook Saude-Direta-LinkedIN Saude-Direta-Twitter