Profissionais: 6902
Prontuários: 420814

Esqueceu a senha? Cadastro da senha

Portal Saude Direta - Busca Palavra

BUSCA POR PALAVRA

POSTAGENS ANTERIORES

TAGS CLOUD

Protocolos - Algoritmos - Diretrizes - Fluxogramas

Baixar o Adobe Acrobat Reader
Para visualizar os conteúdos abaixo é necessário ter o Adobe Acrobat Reader instalado.

Advertência: Estes artigos e resumos são protegidos pela Lei de Direitos Autorais (Lei 9.610/98), sendo vedada a sua transcrição sem citação da fonte e a sua reprodução com finalidades comerciais sem autorização dos autores.

Atenção à Criança com Menos de 2 meses de Idade (Capítulo 5)

Atenção Integrada às Doenças Prevalentes na Infância (AIDPI).
Organização Mundial da Saúde/Organização Pan-Americana da Saúde.
Número: 738 / Publicado em 19/06/2012 - 08:15

As crianças de zero a dois meses de idade têm características especiais que devem ser consideradas quando suas doenças são classificadas. Elas podem adoecer e morrer em um curto espaço de tempo por infecções bacterianas graves e, freqüentemente, apresentam apenas os sinais gerais de perigo como letargia, febre ou temperatura corporal baixa.

Abrir arquivo em PDF

Criança de 2 meses a 5 anos de Idade: Tratamento da Criança (Capítulo 4).

Atenção Integrada às Doenças Prevalentes na Infância (AIDPI).
Organização Mundial da Saúde/Organização Pan-Americana da Saúde.
Número: 737 / Publicado em 19/06/2012 - 08:16

O tratamento das crianças, freqüentemente, começa na unidade de saúde, sendo necessário dar continuidade em casa.

Abrir arquivo em PDF

Criança de 2 meses a 5 anos de Idade: Identificação do Tratamento (Capítulo 3).

Atenção Integrada às Doenças Prevalentes na Infância (AIDPI).
Organização Mundial da Saúde/Organização Pan-Americana da Saúde.
Número: 736 / Publicado em 19/06/2012 - 08:16

O passo seguinte, após avaliar e classificar uma criança doente de dois meses a cinco anos, é identificar o tratamento adequado. Em alguns casos, a criança muito doente precisa ser referida a um hospital para receber tratamento recomendado.

Abrir arquivo em PDF

Criança de 2 meses a 5 anos de Idade: Introdução à Estratégia AIDPI (Capítulo 1).

Atenção Integrada às Doenças Prevalentes na Infância (AIDPI).
Organização Mundial da Saúde/Organização Pan-Americana da Saúde.
Número: 735 / Publicado em 19/06/2012 - 08:17

A abordagem da Organização Mundial da Saúde/Organização Pan-Americana da Saúde para a saúde infantil tem evoluído e apresentado mudanças. Estimulada pela crescente quantidade de evidências científicas, a abordagem tem mudado o seu enfoque de controle de doenças individuais para uma abordagem nova e integrada do tratamento e da prevenção das doenças da infância. A estratégia de Atenção Integrada às Doenças Prevalentes na Infância (AIDPI) é uma abordagem que aceita e responde pela condição da criança doente em toda a sua complexidade. Para isso, usa-se uma estratégia padronizada, baseado em normas internacionais com grande impacto na redução da morbimortalidade infantil.

Abrir arquivo em PDF

Criança de 2 meses a 5 anos de Idade: Avaliação (Capítulo 2).

Atenção Integrada às Doenças Prevalentes na Infância (AIDPI).
Organização Mundial da Saúde/Organização Pan-Americana da Saúde.
Número: 734 / Publicado em 19/06/2012 - 08:17

É importante que toda criança seja avaliada nos principais sinais e sintomas das doenças prevalentes da infância, para que essas não passem despercebidas.

Abrir arquivo em PDF

Dermatoses Ocupacionais.

Departamento de Ações Programáticas - 2006
Secretaria de Atenção à Saúde. Ministério da Saúde.
Número: 719 / Publicado em 19/06/2012 - 07:33

As dermatoses ocupacionais representam parcela ponderável das doenças profissionais. Sua prevalência é de avaliação difícil e complexa. Grande número destas dermatoses não chega às estatísticas e sequer ao conhecimento dos especialistas. Muitas são auto-tratadas, outras são atendidas no próprio ambulatório da empresa. Algumas chegam até o clínico e ao especialista nos consórcios médicos que prestam assistência em regime de convênio com o Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS). Apenas uma pequena parcela dessas dermatoses chega até os serviços especializados.

Abrir arquivo em PDF

Algoritmos de Tratamento - Metástases Cerebrais

Eduardo Weltman, Reynaldo Brandt
einstein: Educ Contin Saúde. 2008; 6(2 Pt 2):89-91
Número: 249 / Publicado em 18/06/2012 - 08:29

Uma vez feito o diagnóstico de metástase cerebral (MC), seu tratamento consta de medidas sintomáticas ou de suporte e tratamentos específicos. As primeiras incluem agentes antiedematosos (particularmente os corticosteróides) e drogas anticonvulsivantes. As específicas incluem radioterapia (em geral, radioterapia cerebral total: RCT), radiocirurgia (RC), neurocirurgia (NC), quimioterapia e terapia biológica.

Abrir arquivo em PDF

Protocolo para o Manejo de Crises Hiperglicêmicas em Pacientes Diabéticos.

Consenso Multiprofissional.
Disciplina de Emergências Clínicas - HC - FMUSP - setembro 2003 - atualização maio de 2005
Número: 242 / Publicado em 16/06/2012 - 21:56

Ceto-acidose diabética (CAD) e descompensação diabética hiperosmolar (DDH) são as complicações agudas mais sérias do Diabetes mellitus (DM), mesmo quando manejadas adequadamente. Este documento visa orientar a abordagem diagnóstica e terapêutica destas descompensações em pacientes com indicação de internação.

Abrir arquivo em PDF

Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas - Ictioses Hereditárias

Secretaria de Atenção à Saúde
Ministério da Saúde
Número: 182 / Publicado em 16/06/2012 - 19:24

As ictioses são um grupo heterogêneo de doenças hereditárias ou adquiridas que tem como característica comum a diferenciação (cornificação) anormal da epiderme. O processo de cornificação é complexo e não completamente conhecido. Defeitos em diferentes passos e aspectos desse processo promovem um resultado similar: camada córnea anormal, descamação, eritema e hiperceratose.

Abrir arquivo em PDF

Abordagem das Parasitoses Intestinais mais Prevalentes na Infância.

Projeto Diretrizes - Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina
Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade
Número: 119 / Publicado em 22/09/2010 - 11:58

As parasitoses intestinais são muito frequentes na infância, principalmente em pré-escolares e escolares. São consideradas problema de saúde pública, principalmente em países chamados periféricos, onde são mais frequentes, com prevalências totais, quando considerado o bloco de países mais pobres do mundo, estimadas de 26%, 17% e 15% para ascaridíase, tricuríase e ancilostomíase,respectivamente.

Abrir arquivo em PDF

Footer - v1.3
Atualizado em
04/09/2019
Saude-Direta-Facebook Saude-Direta-LinkedIN Saude-Direta-Twitter