Profissionais: 6973
Prontuários: 448021

Esqueceu a senha? Cadastro da senha

Portal Saude Direta - Busca Palavra

BUSCA POR PALAVRA

POSTAGENS ANTERIORES

TAGS CLOUD

Protocolos - Algoritmos - Diretrizes - Fluxogramas

Baixar o Adobe Acrobat Reader
Para visualizar os conteúdos abaixo é necessário ter o Adobe Acrobat Reader instalado.

Advertência: Estes artigos e resumos são protegidos pela Lei de Direitos Autorais (Lei 9.610/98), sendo vedada a sua transcrição sem citação da fonte e a sua reprodução com finalidades comerciais sem autorização dos autores.

Parte III – Protocolo de Doenças Infecciosas: Abscessos Cutâneos (Capítulo 74).

Fernando Suarez Alvarez, Marcelo Dominguez Canetti, Wilson Braz Corrêa Filho, Danielle Borghi
Secretaria de Saúde e Defesa Civil - Governo do Rio de Janeiro - 2010
Número: 834 / Publicado em 12/03/2012 - 10:40

Resultam de uma quebra na barreira cutânea com contaminação da flora bacteriana residente.

Abrir arquivo em PDF

Parte I – Protocolo de Clínica Médica: Acidose Metabólica (Capítulo 26).

Fernando Suarez Alvarez, Marcelo Dominguez Canetti, Wilson Braz Corrêa Filho, Danielle Borghi
Secretaria de Saúde e Defesa Civil - Governo do Rio de Janeiro - 2010
Número: 802 / Publicado em 12/03/2012 - 10:16

Adotar medidas gerais. Calcular ânion gap.

Abrir arquivo em PDF

Parte I – Protocolo de Clínica Médica: Cetoacidose Diabética (Capítulo 22).

Fernando Suarez Alvarez, Marcelo Dominguez Canetti, Wilson Braz Corrêa Filho, Danielle Borghi
Secretaria de Saúde e Defesa Civil - Governo do Rio de Janeiro - 2010
Número: 798 / Publicado em 12/03/2012 - 10:17

A cetoacidose é causada por uma deficiência relativa de insulina em relação aos hormônios contra-regulatórios, causando hiperglicemia e hipercetonemia.

Abrir arquivo em PDF

Parte I – Protocolo de Clínica Médica: Emergências Abdominais não Traumáticas (Capítulo 16).

Fernando Suarez Alvarez, Marcelo Dominguez Canetti, Wilson Braz Corrêa Filho, Danielle Borghi
Secretaria de Saúde e Defesa Civil - Governo do Rio de Janeiro - 2010
Número: 792 / Publicado em 12/03/2012 - 10:19

São exemplos de emergências abdominais não traumáticas: Apendicite , Colecistite aguda , Úlcera perfurada e Pancreatite.

Abrir arquivo em PDF

Parte I – Protocolo de Clínica Médica: Abordagem ao Paciente com Dispnéia (Capítulo 10).

Fernando Suarez Alvarez, Marcelo Dominguez Canetti, Wilson Braz Corrêa Filho, Danielle Borghi
Secretaria de Saúde e Defesa Civil - Governo do Rio de Janeiro - 2010
Número: 786 / Publicado em 12/03/2012 - 10:21

É a sensação de falta de ar, com respiração difícil ou desconfortável.

Abrir arquivo em PDF

Parte I – Protocolo de Clínica Médica: Síndrome de Abstinência Alcoólica (Capítulo 6).

Fernando Suarez Alvarez, Marcelo Dominguez Canetti, Wilson Braz Corrêa Filho, Danielle Borghi
Secretaria de Saúde e Defesa Civil - Governo do Rio de Janeiro - 2010
Número: 782 / Publicado em 12/03/2012 - 10:22

Decorrente da interrupção súbita do uso de álcool em indivíduo com história de abuso crônico desta substância. Pode manifestar-se com quadros de: tremor agudo, convulsões, estados combativos e de agitação, alucinações auditivas agudas, síndrome de Wernicke Korsakoff e delirium tremens.

Abrir arquivo em PDF

Parte II – Protocolo de Doenças Cardiovasculares: Aneurisma de Aorta Abdominal (Capítulo 60).

Fernando Suarez Alvarez, Marcelo Dominguez Canetti, Wilson Braz Corrêa Filho, Danielle Borghi
Secretaria de Saúde e Defesa Civil - Governo do Rio de Janeiro - 2010
Número: 775 / Publicado em 12/03/2012 - 10:25

A maioria dos aneurismas é assintomática e é detectada em exames de rotina. Cerca de 90% dos aneurismas de aorta são infra-renais. É uma condição comum que pode estar presente em 5% dos homens acima dos 65 anos de idade. A ruptura do aneurisma é um quadro muito grave associada a 90% de óbito, antes da chegada ao hospital. A ruptura do aneurisma pode causar hemorragia interna para cavidade abdominal ou retroperitôneo.

Abrir arquivo em PDF

Revisão da Literatura sobre Recomendações de Utilização de Edulcorantes em Gestantes Portadoras de Diabetes mellitus.

Saunders C, Padilha PC, Lima HT, Oliveira LM, Queiroz JA, Theme MLM
Femina Abril 2010 vol 38 nº 4
Número: 755 / Publicado em 19/06/2012 - 08:39

Atualmente, o aspartame é alvo de várias críticas, porém a American Diabetes Association (ADA), revisando as evidências científicas acerca da inocuidade do aspartame, declara que o edulcorante não é carcinogênico e não está associado a desordens neurológicas. Quanto à sacarina, alguns autores recomendam restrição do consumo desta por gestantes, devido à falta de informações conclusivas sobre possíveis efeitos no desenvolvimento fetal, além das poucas evidências sobre seu efeito transplacentário e transmamário. A ADA não recomenda o uso do esteviosidio como edulcorante. Os edulcorantes não-calóricos atualmente aprovados para uso pela população em geral, incluindo as gestantes são: aspartame, acesulfame-K, sacarina, sucralose e neotame.

Abrir arquivo em PDF

Indução do Trabalho de Parto: Conceitos e Particularidades.

Souza ASR, Costa AAR, Coutinho I, Noronha Neto C , Amorim MMR
Femina Abril 2010 vol 38 nº 4
Número: 754 / Publicado em 19/06/2012 - 08:39

O manejo das pacientes em indução do parto deve ser cuidadoso, observando-se as principais contraindicações, os riscos e as precauções. São contraindicações absolutas para indução do parto: a presença de causas obstrutivas do parto, o risco de morbidade perinatal grave e o risco materno. As contraindicações relativas são: frequência cardíaca fetal não-tranquilizadora, macrossomia fetal, gestação gemelar, apresentação pélvica, doença cardíaca materna, polidrâmnio, grande multiparidade, oligo-hidrâmnio e cesariana segmentar anterior.

Abrir arquivo em PDF

Análise Crítica dos Métodos Não-Farmacológicos de Indução do Trabalho de Parto.

Souza ASR, Costa AAR, Coutinho I, Noronha Neto C , Amorim MMR
Femina Abril 2010 vol 38 nº 4
Número: 753 / Publicado em 19/06/2012 - 08:40

A indução do trabalho de parto tem se tornado prática corrente na Obstetrícia moderna. Vários métodos têm sido propostos, e dentre eles os não-farmacológicos merecem destaque. Estes métodos podem ser classificados como naturais e artificiais. Os estudos realizados para avaliar os diversos métodos naturais, como homeopatia, acupuntura, óleo de rícino, enema, banho quente de imersão, relações sexuais e estimulação mamária para indução do trabalho de parto, são heterogêneos e ainda não existe evidência suficiente de que possam ser utilizados na prática clínica.

Abrir arquivo em PDF

Footer - v1.3
Atualizado em
26/10/2019
Saude-Direta-Facebook Saude-Direta-LinkedIN Saude-Direta-Twitter