Profissionais: 6968
Prontuários: 445184

Esqueceu a senha? Cadastro da senha

Portal Saude Direta - Busca Palavra

BUSCA POR PALAVRA

POSTAGENS ANTERIORES

TAGS CLOUD

Protocolos - Algoritmos - Diretrizes - Fluxogramas

Baixar o Adobe Acrobat Reader
Para visualizar os conteúdos abaixo é necessário ter o Adobe Acrobat Reader instalado.

Advertência: Estes artigos e resumos são protegidos pela Lei de Direitos Autorais (Lei 9.610/98), sendo vedada a sua transcrição sem citação da fonte e a sua reprodução com finalidades comerciais sem autorização dos autores.

Protocolos Clínicos - 036 - Protocolo de Cetoacidose Diabética (CAD) na Infância e Adolescência.

Luís Fernando Andrade de Carvalho,Cristiano Maciel Albuquerque.
Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig) - 2010
Número: 1072 / Publicado em 17/03/2012 - 15:54

A cetoacidose diabética (CAD) é a causa mais freqüente de morte nas crianças com diabetes mellitus tipo 1 (DM1). Apresenta uma taxa de mortalidade de 0,15 a 0,3% que pode chegar a 20% nos pacientes com edema cerebral. A freqüência da cetoacidose diabética varia de 1 a 10% nas crianças com diagnóstico prévio de diabetes mellitus e de 15 a 70% como primeira manifestação nas crianças sem diagnóstico. As infecções são os principais fatores precipitantes (30 a 40% dos casos). Em pacientes com diabetes previamente diagnosticada, a cetoacidose diabética costuma estar relacionada com o uso inadequado de insulina.

Abrir arquivo em PDF

Protocolos Clínicos - 024 - Protocolo de Cuidados ao Idoso e Reabilitação.

Leonardo Cançado Monteiro Savassi, Tataiana Roberta Sarubi Bogutchi, Milena Barroso, Tiago Sávio Moreira Possas, Magda Fajardo, Ivania Cáthia Moutinho Ramos.
Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig) - 2010
Número: 1068 / Publicado em 17/03/2012 - 15:51

O envelhecimento traz vulnerabilidades decorrentes de perdas biológicas que são diferenciadas por gênero, idade, grupo social e regiões geográficas, entre outros, que podem ser reforçadas ou atenuadas pelo contexto sociocultural.

Abrir arquivo em PDF

Protocolos Clínicos - 016 - Abordagem do Paciente em Síndrome de Abstinência Alcóolica: Diagnóstico, Avaliação e Tratamento.

Hugo Alejandro C. Prais, Ednei Otávio Chagas E. Gomes, Helian Nunes de Oliveira.
Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig) - 2010
Número: 1060 / Publicado em 17/03/2012 - 16:00

A Síndrome de Abstinência Alcóolica (SAA) é um estigma da Síndrome de Dependência Alcóolica (SDA), sendo um indicador da existência de dependência, sinalizando consumo crônico e abusivo,desencadeada quando o indivíduo diminui ou cessa a ingestão abruptamente.

Abrir arquivo em PDF

Protocolos Clínicos - 007 - Abordagem e Acompanhamento Ambulatorial do Paciente com Hepatite Viral Aguda.

João Gentilini Fasciani de Castro, Tânia Maria Marcial, Francisco Carlos de Souza.
Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig) - 2010
Número: 1051 / Publicado em 17/03/2012 - 16:03

Os pacientes infectados com HEPATITES VIRAIS AGUDAS representam uma importante patologia no universo das doenças infecciosas dentro da FHEMIG e custos para o Estado. O diagnóstico e conduta corretos visam não só a identificação como também o tratamento uma vez que pode haver progressão para doença crônica e apresentação fulminante inclusive em 0,2 a 4% dos casos, com risco de óbito de 66% até 93%. Condutas padronizadas para esses pacientes visam oferecer uma melhor qualidade na prestação de serviço além de facilitar o treinamento de médicos residentes e outros profissionais.

Abrir arquivo em PDF

Protocolos Clínicos - 002 - Atendimento ao Paciente Vítima de Traumatismo Abdominal.

Equipe de Cirurgia do HJXXIII
Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig) - 2010
Número: 1046 / Publicado em 17/03/2012 - 16:05

A avaliação do abdome é um dos componentes mais críticos na abordagem inicial do traumatizado. O momento mais oportuno para avaliação abdominal deve ser determinado considerando o mecanismo de trauma, sua localização e o estado hemodinâmico do paciente. A lesão intra-abdominal não diagnosticada é causa frequente de mortes evitáveis. Qualquer doente vítima de traumatismo abdominal contuso ou penetrante, deve ser visto como portador de lesão cirúrgica, até prova em contrário.

Abrir arquivo em PDF

Trauma de Abdome (Capítulo 16).

Manual do Atendimento Pré-Hospitalar – SIATE /CBPR.
Coordenadoria Estadual de Defesa Civil do Paraná.
Número: 1026 / Publicado em 23/06/2012 - 10:39

A gravidade dos traumatismos abdominais baseia-se especialmente na possível existência de uma lesão visceral, capaz de produzir alterações gerais graves como são as peritonites ou as hemorragias.

Abrir arquivo em PDF

Algoritmos de Tratamento da Hipertensão Arterial (Leve, Moderada e Grave) associada ou não ao Diabetes mellitus.

Programa de Hipertensão.
Secretaria Municipal da Saúde - Rio de Janeiro.
Número: 1013 / Publicado em 23/06/2012 - 20:45

São apresentados três algoritmos práticos de tratamento da hipertensão arterial (leve, moderada e grave) associada ou não ao Diabetes mellitus. Estágios 1, 2 e 3.

Abrir arquivo em PDF

Questinário para Triagem do Uso de Álcool, Tabaco e Outras Substâncias.

ASSIST – OMS
http://www.saude.sp.gov.br/resources/geral/destaque_imprensa/assist_oms_oficial.pdf
Número: 1000 / Publicado em 23/06/2012 - 21:36

Substâncias abordadas: derivados do tabaco, bebidas alcoólicas, maconha, cocaína, crack, anfetaminas ou êxtase, inalantes, hipnóticos/sedativos, alucinógenos e opióides.

Abrir arquivo em PDF

As Drogas e o Cérebro: Álcool, Anfetamina, Nicotina, Canabis, Heroína, Cocaína.

IBRO- International Brain Research Organization.
http://www.braincampaign.org/Pub/Pub_Front.asp
Número: 997 / Publicado em 23/06/2012 - 21:41

Existem muitas pessoas com um desejo constante de alterar o estado de consciência recorrendo ao uso de drogas. Usam drogas estimulantes de modo a permanecerem acordadas e dançarem a noite inteira. Outras usam sedativos para ficarem mais calmas, ou mesmo substâncias que lhes permitem experimentar novas formas de consciência e esquecer os problemas diários. Todas as drogas interagem de modo particular com neurotransmissores e outros sistemas de mensageiros químicos. Em muitos casos, as drogas tomam conta de sistemas cerebrais envolvidos no prazer e recompensa – processos psicológicos importantes no acto de comer, beber, relações sexuais e até aprendizagem e memória.

Abrir arquivo em PDF

Estratégias Clínicas para a Cessação do Tabagismo.

Agência Nacional de Vigilância Sanitária - ANVISA.
BRATS - Boletim Brasileiro de Avaliação de Tecnologias em Saúde - Ano V nº 12 | Junho de 2010.
Número: 995 / Publicado em 23/06/2012 - 21:43

Apesar dos malefícios associados ao tabagismo, o número de fumantes é alarmante e vem crescendo principalmente nos países de renda média e baixa. Estratégias para redução da iniciação e para elevação da cessação do tabagismo assumem papel de grande importância neste cenário e devem ser fortemente incentivadas pelas autoridades de saúde.

Abrir arquivo em PDF

Footer - v1.3
Atualizado em
26/10/2019
Saude-Direta-Facebook Saude-Direta-LinkedIN Saude-Direta-Twitter