Profissionais: 6973
Prontuários: 448021

Esqueceu a senha? Cadastro da senha

Portal Saude Direta - Busca Palavra

BUSCA POR PALAVRA

POSTAGENS ANTERIORES

TAGS CLOUD

Protocolos - Algoritmos - Diretrizes - Fluxogramas

Baixar o Adobe Acrobat Reader
Para visualizar os conteúdos abaixo é necessário ter o Adobe Acrobat Reader instalado.

Advertência: Estes artigos e resumos são protegidos pela Lei de Direitos Autorais (Lei 9.610/98), sendo vedada a sua transcrição sem citação da fonte e a sua reprodução com finalidades comerciais sem autorização dos autores.

Tratamentos Estéticos e Cuidados dos Cabelos: uma Visão Médica (Parte 2)

Leonardo Spagnol Abraham, Andreia Mateus Moreira, Larissa Hanauer de Moura, Maria Fernanda Reis Gavazzoni Dias, Flávia Alvim Sant’Anna Addor
Surgical & Cosmetic Dermatology 2009;1(4):178-185
Número: 1966 / Publicado em 09/03/2012 - 10:50

Neste artigo, os autores complementam o primeiro trabalho sobre a pesquisa dermatológica dos tratamentos estéticos capilares. O alisamento capilar definitivo com os principais alisantes legalizados – hidróxidos de sódio e lítio, hidróxido de guanidina e tioglicolato de amônio –, suas diferenças, mecanismos de ação, indicações e segurança para a saúde são aqui abordados. O artigo ainda discute sobre o uso ilegal e indiscriminado de produtos do grupo dos aldeídos (formaldeído e glutaraldeído) nos salões de cabeleireiro no Brasil, suas implicações legais e em saúde pública, sua carcinogenicidade e a identificação dos referidos registros junto à ANVISA. Também são estudados os xampus e agentes condicionadores indicados para tratamento da haste capilar. Ao final, são discutidas as implicações dos tratamentos capilares em geral, para a saúde do fio e do couro cabeludo.

Abrir arquivo em PDF

Terapia Nutricional no Diabetes Mellitus

Borges VC, Correia MIT, Alvarez-Leite J
Sociedade Brasileira de Nutrição Parenteral e Enteral, Associação Brasileira de Nutrologia. 2011
Número: 1941 / Publicado em 07/03/2012 - 20:08

O diabetes mellitus (DM) é uma doença metabólica que cursa com aumento dos valores de glicemia plasmática devido a ausência, deficiência e/ou resistência à ação do hormônio sintetizado pelas células betapancreáticas, a insulina. No DM tipo 1, a hiperglicemia é resultado da deficiência na secreção de insulina, que progride para ausência absoluta deste hormônio. No DM tipo 2, a hiperglicemia ocorre tanto por resistência à ação da insulina como por deficiência na secreção deste hormônio. A insulina é um hormônio anabólico que está envolvido no metabolismo dos carboidratos, proteínas e lipídeos.

Abrir arquivo em PDF

Insulinização em Diabetes Tipo 2

Macedo G, Moura F, Soriano EA, Ribas DF, Andrada NC
Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabolismo
Número: 1914 / Publicado em 07/03/2012 - 19:26

O Diabetes Mellitus tipo 2 é uma doença crônica que requer uma contínua atenção médica, além de investimento em programas de educação em diabetes, para diminuir as complicações crônicas, melhorar a aderência ao tratamento e a qualidade de vida dos portadores desta patologia.

Abrir arquivo em PDF

Diabetes Mellitus Tipo 2: Prevenção

de Lima JG, dos Santos Jr AC, Nóbrega LHC, Andrada NC, Stein AT, Gonçalves M, Lobe MCS, Sorino EA, Andrada NC
Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia e outras. 2011
Número: 1905 / Publicado em 07/03/2012 - 18:40

O diabetes mellitus tipo 2 (DM2) é uma doença metabólica crônica, multifatorial, que afeta a qualidade e expectativa de vida devido a complicações micro (nefropatia, neuropatia e retinopatia) e macrovasculares (acidente vascular encefálico, infarto agudo do miocárdio e doenças vascular periférica).

Abrir arquivo em PDF

Abuso e Dependência: Crack

Marques ACPR, Ribeiro M, Laranjeira RR, Andrada NC
Associação Brasileira de Psiquiatria - 31 agosto de 2011
Número: 1890 / Publicado em 07/03/2012 - 18:00

A cocaína ressurgiu no Brasil nos últimos vinte anos. Desde então, novos padrões de consumo e apresentações da substância foram introduzidos. O consumo da cocaína atinge hoje todos os estratos sociais. A cocaína e o crack são consumidos por 0,3% da população mundia. A maior parte dos usuários concentra-se nas Américas (70%) e, na última década, o número desses vem aumentando. Entre os países emergentes, o Brasil é o maior mercado na América do Sul em números absolutos: mais de 900.000 usuários de cocaína no Brasil, quase o triplo dos levantamentos anteriores.

Abrir arquivo em PDF

Cuidados no Diabetes - Diabetes Care

Guidelines & Protocols Advisory Committee
British Columbia Medical Association Guidelines Effective Date: September 1, 2010
Número: 1883 / Publicado em 04/03/2012 - 18:00

Esta diretriz descreve os objetivos de cuidados para a prevenção, diagnóstico e tratamento do diabetes mellitus (DM) em adultos não-gestantes. Ele focaliza as abordagens e sistemas que são ideais no local para melhorar o atendimento para a maioria dos pacientes na maioria do tempo.

Abrir arquivo em PDF

Algoritmo para Abordagem Inicial e Avaliação da Malária em Adultos (em inglês)

Health Protection Agency - UK
British Infection Society - Feb 2007
Número: 1875 / Publicado em 04/03/2012 - 17:27

Algoritmo para a abordagem inicial, diagnóstico e tratamento da malária.

Abrir arquivo em PDF

Lista de Medicamentos Selecionados para Trabalhadores

Medical Treatment Guidelines
Washington State Department of Labor and Industries (L&I)
Número: 1861 / Publicado em 03/03/2012 - 22:23

Esta lista é baseada nos resultados de um processo de revisão baseada em evidência.

Abrir arquivo em PDF

Diretrizes de Colaboração sobre o Diagnóstico de Porfiria e Doenças Relacionadas

Medical Treatment Guidelines
Washington State Department of Labor and Industries (L&I)
Número: 1854 / Publicado em 03/03/2012 - 21:58

Embora os médicos devem estar familiarizados com as orientações e seguir as recomendações, L&I também entende que as orientações não são difíceis e contém regras rápidas. Bom julgamento médico é importante para decidir como usar e interpretar essas informações.

Abrir arquivo em PDF

Orientações para a Prescrição Ambulatorial de Opióides Orais para Trabalhadores Acidentados com Dor Crônica Não Oncológica

Medical Treatment Guidelines
Washington State Department of Labor and Industries (L&I)
Número: 1853 / Publicado em 03/03/2012 - 21:55

L&I, em colaboração com o Washington Medical Association, desenvolveu duas linhas de orientação sobre o tema de opióides e substâncias controladas. Estas duas orientações têm algumas áreas de sobreposição, e algum conteúdo encontrado em uma, mas não na outra. Assim, ambas as orientações são incluídos nesta publicação.

Abrir arquivo em PDF

Footer - v1.3
Atualizado em
26/10/2019
Saude-Direta-Facebook Saude-Direta-LinkedIN Saude-Direta-Twitter